O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Cinco projetos vencem Prêmio Aga Khan

Cinco projetos vencem Prêmio Aga Khan

Cinco projetos vencem Prêmio Aga Khan
Cinco projetos vencem Prêmio Aga Khan, Islamic Cemetery, Altach, Austria / Bernado Bader Architects. Image © AKAA / Adolf Bereuter
Islamic Cemetery, Altach, Austria / Bernado Bader Architects. Image © AKAA / Adolf Bereuter

O Júri Master do Prêmio Aga Khan para Arquitetura de 2013 anunciou cinco dos projetos inscritos como vencedores do prestigiado prêmio de um milhão de dólares. Desde que esta premiação foi criada 36 anos atrás, mais de 100 projetos já receberam o prêmio e mais de 7,500 projetos de edifícios foram documentados por apresentar excelência em arquitetura e melhorar a qualidade de vida em suas regiões de um modo geral.

Os vencedores do Prêmio Aga Khan para Arquitetura de 2013 incluem

Cemitério Islâmico; Altach, Áustria / Bernardo Bader Architects

Islamic Cemetery, Altach, Austria / Bernado Bader Architects. Image © AKAA / Bernardo Bader
Islamic Cemetery, Altach, Austria / Bernado Bader Architects. Image © AKAA / Bernardo Bader
Islamic Cemetery, Altach, Austria / Bernado Bader Architects. Image © AKAA / Marc Lins
Islamic Cemetery, Altach, Austria / Bernado Bader Architects. Image © AKAA / Marc Lins

O Cemitério (2011) serve Vorarlberg, o estado industrializado no oeste da Áustria, onde mais de oito porcento da população é Islâmica. O projeto encontra sua inspiração nos jardins primordiais e é delineado por paredes de concreto com rosáceas num terreno em meio aos alpes; consiste em cinco volumes retangulares alternados para os túmulos e salas de oração. Os principais materiais utilizados foram o concreto estrutural aparente para as paredes e madeira de carvalho para a ornamentação da fachada da entrada e o interior dos espaços de oração. O visitante é recebido e deve passar pelo espaço de congregação, que tem estruturas treliçadas de madeira em padronagens geométricas islâmicas. O espaço inclui salas de ablução e salas de montagem que dão para um pátio, em uma paleta de cores e materiais suaves. A sala de oração do lado oposto ao pátio retoma a padronagem geométrica, mas aqui conta com caligrafia Kufic em uma malha de metal na parede 'qibla'.

O Júri declarou: "Simples na expressão e poético na forma, esse projeto não apenas envolve a paisagem natural de uma maneira inteligente mas também suspende qualquer noção de declaração. Enquanto enfatiza o pluralismo espiritual, o Cemitério também fornece um destino final para um grupo que é minoria numa sociedade dominante."

Projeto de Infraestrutura Urbana em Rabat-Salé; Rabat, Marocos / Marc Mimram Architecture 

Rabat-Salé Urban Infrastructure Project; Rabat, Morocco / Marc Mimram Architecture. Image © AKAA / Cemal Emden
Rabat-Salé Urban Infrastructure Project; Rabat, Morocco / Marc Mimram Architecture. Image © AKAA / Cemal Emden
Rabat-Salé Urban Infrastructure Project; Rabat, Morocco / Marc Mimram Architecture. Image © AKAA / Marc Mimram
Rabat-Salé Urban Infrastructure Project; Rabat, Morocco / Marc Mimram Architecture. Image © AKAA / Marc Mimram

Unindo Rabat e Salé para formar um centro urbano, a Ponte Hassan II (2011) - e suas obras de acesso - alivia os centros históricos de ambas cidades e sua população da poluição atmosférica e sonora. O projeto respeita a horizontalidade dos ambientes naturais e construídos, permitindo que a Torre Hassan do séc XII da cidade de Rabat permaneça dominante como marco vertical no skyline. As estruturas de concreto, em arcos ligeiramente diferentes, são deliberadamente delicadas na sua aparência. Além de fornecer conexões de transporte, a estrutura também oferece uma cobertura urbana sobre a planície fluvial do Rio Bouregreg, criando um espaço público protegido para feiras e atividades de lazer.

O Júri declarou: "O perfil da Ponte é baixo, agindo como uma impressionante extensão horizontal do platô existente, apresentando vistas respeitosas da Torre Hassan. Construída com grande cuidado e com alta qualidade de detalhamento e precisão construtiva, a Ponte tem um perfil esguio e elegante, de geometria flúida. É um ícone essencial, reforçando a identidade do lugar, e simboliza um novo futuro progressivo para as cidades irmãs."

Requalificação do Tabriz Bazaar; Tabriz, Irã /  ICHTO East Azerbaijan Office 

Rehabilitation of Tabriz Bazaar; Tabriz, Iran /  ICHTO East Azerbaijan Office. Image © AKAA / Amir Anoushfar
Rehabilitation of Tabriz Bazaar; Tabriz, Iran /  ICHTO East Azerbaijan Office. Image © AKAA / Amir Anoushfar
Rehabilitation of Tabriz Bazaar; Tabriz, Iran /  ICHTO East Azerbaijan Office. Image © AKAA / Amir Anoushfar
Rehabilitation of Tabriz Bazaar; Tabriz, Iran /  ICHTO East Azerbaijan Office. Image © AKAA / Amir Anoushfar

O histórico Complexo de Bazaar de Tabriz foi oficialmente tombado em 1975 e  tem sido objeto de medidas especiais de manejo desde 2010, quando foi adicionado à Lista de Patrimônio Mundial. O complexo cobre 27 hectares com mais de 5.5 km de bazares cobertos. Três áreas de proteção diferentes foram estabelecidas (uma área nominada, uma zona de amortecimento e uma zona de jardim), sujeita à regras especiais incorporadas aos instrumentos de planejamento. A margem de administração é baseada na participação dos integrantes do bazar, juntamente com as autoridades municipais e membros de base do Tabriz Bazaar da Organização Iraniana de Patrimônio Cultural e Turismo. Desde 2000, muitos complexos dentro do bazar foram restaurados com a participação dos proprietários das tendas. A infraestrutura foi melhorada e as instalações públicas foram construídas. O Tabriz Bazaar é um exemplo único de conservação urbana e de projeto de desenvolvimento no qual o patrimônio tem um papel catalizador na renovação da memória tangível e intangível da cidade histórica de Tabriz. 

O Júri declarou: "O que a colaboração, sob a orientação da equipe de projeto, conseguiu alcançar é retornar à proeminência um artefato histórico da vida da cidade para o centro da comunidade e em suas vidas."

Revitalização do Centro Histórico de Birzeit ; Birzeit, Palestina Riwaq - Centre for Architectural Conservation

Revitalisation of Birzeit Historic Centre; Birzeit, Palestine / Riwaq - Centre for Architectural Conservation. Image © AKAA / RIWAQ
Revitalisation of Birzeit Historic Centre; Birzeit, Palestine / Riwaq - Centre for Architectural Conservation. Image © AKAA / RIWAQ
Revitalisation of Birzeit Historic Centre; Birzeit, Palestine / Riwaq - Centre for Architectural Conservation. Image © AKAA / RIWAQ
Revitalisation of Birzeit Historic Centre; Birzeit, Palestine / Riwaq - Centre for Architectural Conservation. Image © AKAA / RIWAQ

Esse projeto de cinco anos, parte do master plan de reabilitação iniciado por Riwaq, transformou a decadente cidade de Birzeit, criou empregos através da conservação e reviveu, neste processo, técnicas tradicionais extintas. O envolvimento da comunidade foi encorajado desde o início, incluindo ONG's locais, o setor privado, proprietários e usuários, todos trabalhando com a Prefeitura. Os edifícios históricos e os espaços públicos foram ambos restaurados nos centros de atividade comunitária. Partes das paredes antigas foram substituídas e permanecem distintas das estruturas originais, sem interferir na coerência arquitetônica. Características históricas perdidas foram substituídas onde havia clara evidência de sua aparência anterior, como os ladrilhos de piso com motivos Palestinos. Técnicas tradicionais baratas e materiais locais foram utilizados em todo o projeto. Onde não havia nenhum modelo histórico disponível, novos elementos foram construídos num espírito contemporâneo robusto.

O Júri declarou: "Ao inverter um processo de descaso e eliminação dentro de um contexto político complexo e difícil, o projeto consegue transformar não apenas um núcleo histórico negligenciado, mas também a vida das pessoas, e restaura não apenas os edifícios, mas a dignidade de seus usuários."

Centro de Cirurgia Cardíaca Salam; Khartoum, Sudão / Studio Tamassociati

Salam Cardiac Surgery Centre; Khartoum, Sudan / Studio Tamassociati. Image © AKAA / Raul Pantaleo
Salam Cardiac Surgery Centre; Khartoum, Sudan / Studio Tamassociati. Image © AKAA / Raul Pantaleo
Salam Cardiac Surgery Centre; Khartoum, Sudan / Studio Tamassociati. Image © AKAA / Raul Pantaleo
Salam Cardiac Surgery Centre; Khartoum, Sudan / Studio Tamassociati. Image © AKAA / Raul Pantaleo

O Centro de Cirurgia Cardíaca Salam (2010) consiste de um hospital com 63 leitos e 300 funcionários, com alojamento para a Equipe Médica com capacidade para 150 pessoas. O centro é construído como um pavilhão em um jardim, com os edifícios organizados em torno de grandes pátios. O edifício do hospital apresenta um alto padrão técnico, com funções complexas que incluem três salas de operação estrategicamente dispostas em relação aos laboratórios de diagnóstico e a enfermaria. Diferentes técnicas de luz e ventilação natural são utilizadas para permitir que todos os espaços sejam acolhedores e intimistas e, ainda sim, seguros. Vendo os containers abandonados que foram utilizados no transporte dos materiais de construção para o Centro de Cirurgia Cardíaca Salam, os arquitetos foram inspirados a reutilizá-los para abrigar os funcionários do Centro. Noventa containers de seis metros formam o bloco de alojamentos, sendo que cada unidade ocupa um container e meio, com um banheiro e uma pequena varanda com vistas para o jardim. Sete containers de doze metros abrigam a cafeteria e outros serviços. Isolamento se dá através de um chamado 'sistema cebola' de painéis internos de isolamento de 5 centímetros e uma camada externa que compreende uma cobertura metálica ventilada e elementos de brises em bambu. O aquecimento da água é feito através de painéis solares.

O Júri declarou: “Intimamente relacionado com a natureza do entorno, o projeto 'auto-construído' facilita um ambiente de claridade e cura, enquanto fornece o direito humano fundamental da saúde, gratuito para todos. Seguindo um processo de projeto "de baixo para cima",esse complexo projeto evoluiu com sucesso, envolvendo de maneira criativa todas as especificidades locais, políticas, sociais, topográficas e estéticas sem sacrificar sua visão de excelência e função.”

Esses finalistas foram eleitos entre 20 projetos selecionados. Veja todos aqui.

A descrição dos projetos é cortesia de AKDN.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Karissa Rosenfield
Autor
Cita: Rosenfield, Karissa. "Cinco projetos vencem Prêmio Aga Khan" [Five Projects Win Aga Khan Award for Architecture] 26 Set 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Santiago Pedrotti, Gabriel) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/142045/cinco-projetos-vencem-premio-aga-khan> ISSN 0719-8906