i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Crimson Architectural Historians

Superfície como escultura: os relevos de tijolos de Henry Moore em Roterdã

15:00 - 9 Fevereiro, 2015

Em 1954 o escultor britânico Hanry Moore foi contratado para projetar e instalar um grande relevo na parede do novo bouwcentrum [Centro de Construção] de Joost Boks em Roterdã, Países Baixos. O projeto, constituído por aproximadamente 16 mil tijolos produzidos à mão, permanece como única obra concluída do autor feita com este humilde material. Em um documentário produzido por ARTtube, o historiador de arquitetura Wouter Vanstiphout narra a fascinante história por trás de Wall Relief No.1.

Detalhe da fachada. Imagem © The Henry Moore Foundation A parede in situ - fevereiro de 2015. Imagem © James Taylor-Foster Construção do relevo. Imagem © The Henry Moore Foundation A parede integrada ao bouwcentrum desde a demolição (1970). Imagem © The Henry Moore Foundation +6

Anunciada a equipe curatorial da Trienal de Oslo 2016

15:00 - 26 Dezembro, 2014
Proposta vencedora OAT 2016. Imagem © After Belonging Agency
Proposta vencedora OAT 2016. Imagem © After Belonging Agency

After Belonging Agency (ABA) anunciou a equipe curatorial da Trienal de Arquitetura de Oslo 2016 para sua proposta "In-Residence, On Residence, and the Ways We Stay In-Transit".

Estabelecida em 2000, a trienal de 2016 será a sexta edição do evento. Na esteira de uma chamada aberta de curadores lançada em setembro deste ano, a Trienal elegeu quatro equipes para a fase de entrevistas: Crimson Architectural Historians, de Roterdã,  Justin McGuirk, de Londres, Dan Handel, curador canadense, e uma equipe de cinco arquitetos espanhóis que trabalham em Nova Iorque, After Belonging Agency. A proposta de Lluis Alexandre Casanovas Blanco, Ignacio González Galán, Carlos Minguez Carrasco, Alejandra Navarrete Llopis, e Marina Otero Verzier foi escolhida unanimemente pelo júri composto por  Hege Maria ErikssonNina Berre, e Gro Bonesmo, entre outros.

O que podemos aprender com o "novo brutalismo" dos Smithsons em 2014?

17:00 - 10 Julho, 2014
O que podemos aprender com o "novo brutalismo" dos Smithsons em 2014?, Alison e Peter Smithson
Alison e Peter Smithson

Alison Gill, posteriormente conhecida como Alison Smithson, foi uma das arquitetas brutalistas mais influentes da história. No ano em que completaria 86 anos, investigaremos como o impacto de sua arquitetura, produzida em parceria com Peter Smithson, ainda ressoa no século XXI, sobretudo no Pavilhão Britânico da Bienal de Veneza deste ano. Com o edifício Robin Hood Gardens, em Londres - um de seus mais famosos projetos de habitação social em grande escala - ameaçado de demolição, como pode seu estilo - aclamado por Reyner Banham em 1955 de "novo brutalismo", influenciar futuros projetos de habitação?

Robin Hood Gardens, Londres. Cortesia de John Levett - http://www.flickr.com/photos/joseph_beuys_hat/ Robin Hood Gardens, Londres. Cortesia de Amanda Vincent-Rous - http://www.flickr.com/photos/51746218@N03/ Desenho exposto na Bienal de Veneza deste ano, Alison & Peter Smithson (1963). Imagem © James Taylor-Foster Robin Hood Gardens, Alison e Peter Smithson +8

Bienal de Veneza 2014: FAT e Crimson exploram as origens do modernismo britânico

01:00 - 7 Abril, 2014
Bienal de Veneza 2014: FAT e Crimson exploram as origens do modernismo britânico, Venice Biennale 2012: Museum of Copying / FAT. Image © Nico Saieh
Venice Biennale 2012: Museum of Copying / FAT. Image © Nico Saieh

Os curadores FAT ArchitectureCrimson Architectural Historians divulgaram mais detalhes do pavilhão britânico para a 14ª Bienal de Arquitetura de Veneza. Respondendo ao tema proposta por Rem Koolhaas: "Absorbing Modernity: 1914-2014", a exposição A Clockwork Jerusalem "explorará as diversas influências culturais que moldaram e foram moldadas pelo modernismo britânico no pós guerra e nos últimos 100 anos."

"A Clockwork Jerusalem oferecerá a oportunidade de explorar e repensar aspectos fundamentais da modernidade britânica, além da arquitetura", descreveu Vicky Richardson, Diretor de Arquitetura, Design e Moda do Conselho Britânico. "Ao passo que a Bienal evolui em um projeto de pesquisa global, estamos ansiosos para fazer uma contribuição significativa para o debate cultural acerca do passado, presente o futuro da arquitetura britânica e global."

Mais informações a seguir...

Bienal de Veneza 2012: A Banalidade do Bom: Novas Cidades, Arquitetos, Dinheiro, Política / Crimson Architectural Historians

16:00 - 27 Setembro, 2012
Bienal de Veneza 2012: A Banalidade do Bom: Novas Cidades, Arquitetos, Dinheiro, Política / Crimson Architectural Historians, © Nico Saieh
© Nico Saieh