Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. República

República: O mais recente de arquitetura e notícia

Habitação de Baixo Custo / JYA-RCHITECTS

© Hwang Hyochel © Hwang Hyochel © Hwang Hyochel © Hwang Hyochel + 11

Jangheung-gun, Coreia do Sul
  • Arquitetos: JYA-RCHITECTS
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 100.8
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2013

Bullguer Centro / SuperLimão Studio

© Israel Gollino
© Israel Gollino

© Israel Gollino © Israel Gollino © Israel Gollino © Israel Gollino + 33

República, Brasil

Meu coração bate como o seu / Estudio Guto Requena

© Ana Mello © Ana Mello © Ana Mello © Ana Mello + 22

Apartamento Retrofit / SuperLimão Studio

© Escanhuela Photo © Escanhuela Photo © Escanhuela Photo © Escanhuela Photo + 17

República, Brasil
  • Arquitetos: SuperLimão Studio
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 50.0
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2018

Clássicos da Arquitetura: Edifício Esther / Álvaro Vital Brasil e Adhemar Marinho

Este artigo foi originalmente publicado em 01 de fevereiro de 2018. Para ler sobre outros projetos icônicos de arquitetura, visite nossa seção Clássicos da Arquitetura.

Com o exponencial crescimento populacional paulistano na década de 1930 e o incentivo do mercado privado da construção civil, uma série de arquitetos foram convidados a projetarem edifícios com usos variados no centro da cidade. Álvaro Vital Brasil e Adhemar Marinho foram os responsáveis pela concepção do Edifício Esther, ícone na primeira fase de verticalização da Praça da República. [1]

Em 1933, quando a cidade ultrapassou a marca de um milhão de habitantes, um considerável número de edifícios verticais passaram a ser construídos. [2] Em decorrência da expansão demográfica urbana e verticalização em massa entre os anos 30 e 40, o elevado preço dos aluguéis e valorização da terra na região do centro expandido marcaram transformações no quadro residencial e urbano. [3]

Clássicos da Arquitetura: Edifício Sede IAB-SP / Rino Levi, Miguel Forte, Abelardo de Souza e equipe

© Rafael Schimidt © Rafael Schimidt © Gustavo Neves da Rocha Filho via IAB-SP © Anuário IAB-SP 1959 via IAB-SP + 29

Novembro de 1943, faltando ainda ano e meio para o encerramento da grande tragédia do século XX, a 2ª guerra mundial e aqui no Brasil o mesmo tempo para o fim da ditadura do Estado Novo, um grupo de notáveis arquitetos da cidade de São Paulo, liderados por Vilanova Artigas, criam o Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento de São Paulo. Cotizados, compram o terreno de 300 m² localizado na esquina das ruas Bento Freitas com General Jardim, a duas quadras da estação de metrô da Praça da República, novo centro da cidade de São Paulo, sucedendo ao antigo centro colonial, do outro lado do Vale Anhangabaú. Em 1945, organizam o 1º Congresso Brasileiro de Arquitetos realizado nesta capital. A seguir, a ação extraordinária foi a construção de seu edifício sede, cuja primeira etapa foi a realização em outubro de 1946 de um concurso, para o qual foram recebidos treze projetos. O júri, constituído de arquitetos cariocas Oscar Niemeyer, Firmino Saldanha e Hélio Uchoa também teve a colaboração de Gregori Warchavchik e Fernando Saturnino de Brito, decidiu pela reunião das equipes que apresentaram as três melhores propostas – equipes chefiadas por Rino Levi, Miguel Forte e Abelardo de Souza. Projetos de arquitetura moderna nesta cidade que antecederam o projeto da sede para o IAB-SP, foram para os edifícios Esther (1935), Prudência (1944), Louveira (1946) e a sede do jornal O Estado de SP (1946).

Apartamento P.R. / pianca+urano

© Manuel Sá © Manuel Sá © Manuel Sá © Manuel Sá + 17

República, Brasil
  • Arquitetos: pianca+urano
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 100.0
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2016

Clássicos da Arquitetura: Universidade da Virginia / Thomas Jefferson

O fim da guerra de 1812 deixou o jovem Estados Unidos da América cheio de fervor nacionalista. Nos anos seguintes, a primeira república moderna do mundo experimentou crescimento e prosperidade sem precedentes; não foi sem razão que o período passou a ser conhecido como a “Era dos Bons Sentimentos (Era of Good Feelings)”. [1] Foi nessa época de orgulho nacional desenfreado que Thomas Jefferson, um dos pais fundadores do país e seu terceiro Presidente, apresentou seu plano diretor para a Universidade da Virgínia: uma manifestação arquitetônica dos ideais iluministas e republicanos que ele ajudou a cultivar.

Planta e Fachadas da Rotunda. ImageCourtesy of Wikimedia user Fæ O Pavilhão X foi o único pavilhão dos dez a apresentar elementos coríntios. ImageCourtesy of US Library of Congress (Public Domain) Courtesy of US Library of Congress (Public Domain) Courtesy of US Library of Congress (Public Domain) + 37

Restaurante Térreo IAB-SP / Gabriel Kogan + Guilherme Pianca

© Pedro Vannucchi © Pedro Vannucchi © Pedro Vannucchi © Pedro Vannucchi + 31

República, Brasil

Sesc 24 de Maio / Paulo Mendes da Rocha + MMBB Arquitetos

© Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon + 92

São Paulo, Brasil

Clássicos da Arquitetura: Palazzo Santa Sofia / The Ca d’Oro

A edificação implanta-se na margem norte do Grand Canal de Veneza, e a fachada de mármore esculpida evidencia seu esplendor original. O Palazzo Santa Sofia — ou o Ca D'Oro (Casa do Ouro) — como também é conhecido, é um dos exemplos mais notáveis da arquitetura gótica tardia veneziana, que combinou elementos existentes na arquitetura gótica, mourisca e bizantina em uma estética única, que simbolizava o império mercantil cosmopolita da República Veneziana. Construído para servir como residência do rico empresário e político veneziano Marin Contarini, o palácio passou por um grande número de proprietários e renovações durante sua vida útil antes de finalmente tornar-se um museu para a pintura medieval e escultura. [1]

© Jean-Pierre Dalbera Cortesia de Shutterstock usuário InavanHateren Cortesia de Wikimedia usuário Madpack Cortesia de Wikimedia usuário Godromil + 10

Casa GD / INOUTarchitettura

Cortesia de INOUTarchitettura
Cortesia de INOUTarchitettura
Bardovci, Macedônia

Cortesia de INOUTarchitettura Cortesia de INOUTarchitettura Cortesia de INOUTarchitettura Cortesia de INOUTarchitettura + 22

Centro de Artes Performáticas de Sejong / Asymptote Architecture

O escritório novaiorquino Asymptote Architecture revelou imagens e desenhos para um novo Centro de Artes Performáticas em Sejong, Coréia do Sul. Descrito como uma celebração "da emergência e crescimento da cidade como um lugar de cultura", o centro de artes foi projetado para "se conectar perfeitamente ao tecido urbano". Abrigando dois teatros, o programa do edifício foi concebido para proporcionar uma experiência unificada.