1. ArchDaily
  2. Projeto Participativo

Projeto Participativo: O mais recente de arquitetura e notícia

Arquitetura participativa: quando a comunidade se faz presente no processo projetual

Centro Comunitário de Naidi / CAUKIN Studio. Foto: © Katie EdwardsKindergarten Zimbabwe / Studio Anna Heringer. Foto: © Margarethe HolzerNave Multiprograma - sistema vertical de plataformas esportiva e culturais / Alejandro Haiek / LAB PRO FAB. Fotografia: © Julio Cesar MesaUVA El Paraíso / EDU - Empresa de Desarrollo Urbano de Medellín. Foto: © Alejandro Arango+ 39

A experiência do usuário facilmente pode se contrapor aos ideais de um projeto, principalmente quando espaços devem ser pensados para comunidades. Sendo assim, recorrer a uma arquitetura na qual os futuros usuários possuem poder de decisão representa um movimento no qual distintos pontos de vistas podem se aliar ao olhar do arquiteto para gerar um partido inovador.

Quadra LA DOCE: o futebol como intervenção social e urbana

© Armando Juárez© Marcos Betanzos© Zaickz Moz© Zaickz Moz+ 44

Quadra "LA DOCE" é um projeto colaborativo, parte de uma rede e uma proposta de mudança que surge da necessidade de criar espaços públicos de qualidade em áreas marginalizadas em diversas cidades do mundo. O futebol é um dos esportes mais queridos, mais jogados e, talvez, o que conta com mais seguidores em escala mundial. É uma forma de conectar-nos com nós mesmos e com os demais.

Participar, observar e conviver são atividades que nos permitem ver além do óbvio e de tudo aquilo que poderia rodear este esporte, o futebol representa uma construção social, um passatempo que permite o estabelecimento de vínculos através do jogo, um evento que não diferencia classes sociais e concede àqueles que fazem parte deste momento, a possibilidade de se integrar com uma equipe, de ser parte de algo maior do que "eles". 

A Tripla Dimensão: uma metodologia para o projeto colaborativo do espaço público

Publicado originalmente como Desenho colaborativo do espaço público. A Tripla Dimensão, esta nova colaboração de Paisaje Transversal propõe uma metodologia específica, tanto para avaliar a qualidade do espaço público, quanto para facilitar o desenho urbano "se queremos transformar o espaço público em uma trama viva", explicam os autores.

O espaço público é o fluido que unifica a cidade, a trama que costura a edificação e tece as relações sociais, econômicas e ambientais; condiciona questões tão relevantes como a mobilidade, a convivência e o intercâmbio cultural de uma comunidade, assim como a qualidade ambiental que repercute diretamente sobre a saúde de todos.

O espaço público determina nosso dia a dia e nos oferece ou nega espaços de socialização. Trata-se, portanto, de um tema prioritário, tanto em termos de sustentabilidade das cidades, como na vida das pessoas que a habitam, uma questão com a qual devemos nos envolver, não só enquanto profissionais do urbanismo mas como todos os membros da sociedade. Para isso, é necessário que a população seja conhecedora dos fatores estabelecidos para habitabilidade e funcionalidade dos espaços públicos, além de reconhecer as características de uma moradia digna.

Aula Inaugural do Mestrado Belas Artes

No dia 16 de março, às 10 horas, a Belas Artes promoverá a aula inaugural do seu Programa de Mestrado Profissional em Arquitetura, Urbanismo e Design. Além de receber os novos alunos, o evento dará início a discussões pertinentes às linhas de pesquisa do curso e a área de concentração em Arquitetura, Urbanismo e Design.
A partir do tema "Do Taller Total ao Projeto Participativo", a aula contará com a participação da Profª. Drª. Sylvia Adriana Dobry Pronsato, da FIAMFAAM, e do Prof. Dr. Wilson Caracol Ribeiro dos Santos Jr., da PUC-Campinas.

Arquitetura que transcende barreiras de linguagem: Casas de Parto no México

Até alguns anos atrás, a maior causa de mortes no município de Tenejapa, localizado na região de Los Altos de Chiapas, era por problemas relacionados ao trabalho de parto. Ante esse panorama, e aliado à falta de serviços médicos na região, as parteiras tradicionais de 22 comunidades agruparam-se para combater o problema e formaram a Rede de Parteiras “Un solo corazón A.C.”, organização que conseguiu reduzir a zero a taxa de mortalidade materna e infantil atendendo 98% dos partos na área.