1. ArchDaily
  2. Nft

Nft: O mais recente de arquitetura e notícia

A arquitetura dos ambientes virtuais: projetando para o metaverso

Galeria virtual Zaha Hadid Architects "NFTism. Imagem © JOURNEE
Galeria virtual Zaha Hadid Architects "NFTism. Imagem © JOURNEE

Nos últimos dois anos, o metaverso vem ganhando destaque, levando os arquitetos a considerar suas implicações para nossa relação com o ambiente físico e como a arquitetura pode contribuir para este novo espaço virtual. A arquitetura no metaverso não é mais um assunto marginal, tendo sido abraçada por escritórios consolidados. "O metaverso é onde grande parte da ação e inovação arquitetônica acontecerá no futuro", diz Patrick Schumacher. Sem restrições físicas, propriedades materiais e custos de construção, o metaverso desbloqueou um novo reino de expressão arquitetônica. A seguir, apresentamos algumas das várias maneiras pelas quais a profissão se envolve com o campo em expansão dos ambientes digitais.

A arquitetura dos ambientes virtuais: projetando para o metaversoA arquitetura dos ambientes virtuais: projetando para o metaversoA arquitetura dos ambientes virtuais: projetando para o metaversoA arquitetura dos ambientes virtuais: projetando para o metaverso+ 5

Renders, NFT e metaverso: qual é o futuro da visualização arquitetônica?

Das NFTs ao metaverso e as vantagens da renderização em tempo real, este é um momento oportuno para discutir as últimas tendências na área das visualizações arquitetônicas.

Nesse sentido, queremos abrir o debate e conhecer sua opinião sobre o tema. O que podemos aprender com outras indústrias relacionadas, como o cinema, os videogames e o design industrial? Como a arquitetura pode contribuir e avançar no mundo das visualizações?

Metaverso: um terreno fértil para arquitetos?

Metaverso é o nome usado para denominar um ambiente virtual imersivo, coletivo e hiper-realista, onde as pessoas poderão conviver usando avatares customizados em 3D.

Ele foi cunhado pelo escritor Neal Stephenson em seu livro de ficção científica “Snow Crash”, publicado em 1992. A obra conta a história de “Hiro Protagonist”, personagem que na vida real é um entregador de pizza, mas no mundo virtual – chamado na história de metaverso – é um samurai.

Como o metaverso será projetado?

Michael Beneville abriu seu estúdio no distrito de Flatiron, na cidade de Nova York, há uma década. O escritório reformado de dois andares tem pé-direito de 6 metros, móveis sob medida e uma parede de janelas em arco que miram a 19th Street. Beneville e sua equipe não têm estado no estúdio juntos de maneira regular há meses – pelo menos não fisicamente. Os funcionários do pequeno estúdio criativo, conhecido por seu trabalho de design em experiências imersivas como o megacomplexo de entretenimento AREA15, em Las Vegas, estão todos espalhados pelo país por conta da pandemia, mas se reúnem frequentemente em uma réplica virtual do estúdio para reuniões, sentando em torno de uma mesa digital, seus avatares segurando copos digitais de café.

Como o metaverso será projetado? Como o metaverso será projetado? Como o metaverso será projetado? Como o metaverso será projetado? + 8

7 Fatos sobre a entrada dos NFTs no mundo da arquitetura

© JOURNEE
© JOURNEE

No ano passado, os NFTs entraram no domínio da arquitetura, provocando discussões sobre o papel da profissão na futura economia digital. Do design de imóveis digitais a exposições e eventos de arquitetura explorando seu valor até chegar aos escritórios de arquitetura estabelecidos que abraçaram o novo meio, os NFTs foram adotados pela profissão como a promessa de uma nova forma de produção criativa. Veja, a seguir, um resumo dos experimentos da arquitetura com NFTs até agora, juntamente com uma série de artigos do Archdaily esclarecendo o assunto.

7 Fatos sobre a entrada dos NFTs no mundo da arquitetura 7 Fatos sobre a entrada dos NFTs no mundo da arquitetura 7 Fatos sobre a entrada dos NFTs no mundo da arquitetura 7 Fatos sobre a entrada dos NFTs no mundo da arquitetura + 8

Por que todo designer e arquiteto pode se beneficiar da economia criativa no metaverso

A Nike adquiriu recentemente o RTFKT, um estúdio de design fundado em janeiro de 2020, conhecido por seus sneakers e colecionáveis "prontos para o metaverso". Aquisições de terrenos no metaverso estão fazendo manchetes com seus preços multimilionários. Também vimos a adoção de artes NFT pelo mainstream neste ano, e estima-se que as vendas devam disparar para 17,7 bilhões de dólares até o final de 2021.

Por baixo da hype e do frenesi, podemos observar uma mudança fundamental que desbloqueia uma nova economia criativa. Ela oferece aos criadores acesso direto ao mercado, constrói relações contínuas com os fãs, e une desconhecidos em comunidades auto-governadas. Neste artigo, vamos discutir porque todo designer 3D e arquiteto deveria abraçar o movimento Web 3.0 para adotar uma nova lógica de mercado e se beneficiar da economia de criadores do metaverso. 

Por que todo designer e arquiteto pode se beneficiar da economia criativa no metaversoPor que todo designer e arquiteto pode se beneficiar da economia criativa no metaversoPor que todo designer e arquiteto pode se beneficiar da economia criativa no metaversoPor que todo designer e arquiteto pode se beneficiar da economia criativa no metaverso+ 10

Bitcoin, NFT's e metaverso: refletindo sobre o ano do mercado imobiliário digital

Imagine se há alguns anos você acordasse com a notícia de que alguém pagou mais de um milhão de dólares por três lotes de terreno digital ao lado da famosa mansão digital do rapper Snoop Dogg. Você provavelmente se perguntaria: "O que é um terreno digital, e por que alguém pagaria por isso?" Durante o ano, uma corrida para comprar propriedades, arte e terras aconteceu — mas tudo isso existe em um mundo virtual chamado de metaverso. Embora este mundo já existisse muito antes da pandemia, os lockdowns impulsionaram o mundo online para um novo nível, chamando a atenção de compradores privados e corretores que começaram a canalizar dinheiro para esta realidade. Mas como surgiu este mundo, o que o futuro nos reserva, e qualquer um pode se juntar a esta realidade virtual?

Bienal de Arquitetura de Tallinn premia pavilhão financiado por blockchain

Devido a circunstâncias inesperadas, a Bienal de Arquitetura de Tallinn anunciou o novo vencedor do seu concurso de instalações: Fungible Non-Fungible Pavilion por iheartblob, uma inédita abordagem "descentralizada e sistemática" para o projeto arquitetônico permitiu que a comunidade participe sendo designer ou investidora, criando uma estrutura que evolui ao longo do tempo. O TAB 2022 acontecerá de setembro a outubro de 2022, com a semana de abertura de 7 a 11 de setembro.

Bienal de Arquitetura de Tallinn premia pavilhão financiado por blockchainBienal de Arquitetura de Tallinn premia pavilhão financiado por blockchainBienal de Arquitetura de Tallinn premia pavilhão financiado por blockchainBienal de Arquitetura de Tallinn premia pavilhão financiado por blockchain+ 14

Arquitetura do metaverso: o que é, quem construirá e por que é importante?

Você deve ter ouvido que Mark Zuckerberg quer que o Facebook se torne uma Metaverse Company, e que no início deste ano a Epic Games, empresa que desenvolve a Unreal Engine, anunciou ter concluído uma rodada de financiamento de US$1 bilhão para apoiar o plano de longo prazo para o metaverso. Metaverso é, definitivamente, a palavra da moda mais quente no mundo da tecnologia atualmente. Neste artigo, discutiremos brevemente o que é o metaverso, quem o construirá e, mais importante, por que ele é importante para os arquitetos e como os designers podem desempenhar um papel significativo na economia digital que está por vir?

Arquitetura do metaverso: o que é, quem construirá e por que é importante?Arquitetura do metaverso: o que é, quem construirá e por que é importante?Arquitetura do metaverso: o que é, quem construirá e por que é importante?Arquitetura do metaverso: o que é, quem construirá e por que é importante?+ 10

OMA cria série de NFTs inspirada em esculturas subaquáticas

imagem do vídeo NFT Coral Arena. Imagem © OMA com Charlotte Taylor e Nicholas Préaud
imagem do vídeo NFT Coral Arena. Imagem © OMA com Charlotte Taylor e Nicholas Préaud

OMA / Shohei Shigematsu, junto com os artistas Charlotte Taylor e Nicholas Préaud, criaram uma série de NFTs inspirados em uma escultura subaquática feita para o projeto ReefLine. Encomendado por Aorist para seu mercado de NFT voltado para o meio ambiente, o vídeo NFT Coral Arena desdobra uma narrativa virtual do monumento, simulando a evolução da futura obra de arte física de um objeto abstrato para ser o suporte de um ecossistema subaquático. Os NFTs foram revelados durante a Miami Art Week e os lucros de sua venda serão doados para a conclusão do projeto ReefLine.

OMA cria série de NFTs inspirada em esculturas subaquáticasOMA cria série de NFTs inspirada em esculturas subaquáticasOMA cria série de NFTs inspirada em esculturas subaquáticasOMA cria série de NFTs inspirada em esculturas subaquáticas+ 6

Zaha Hadid Architects projeta galeria virtual que explora arquitetura, NFT e metaverso

O escritório Zaha Hadid Architects apresentou o projeto "NFTism", uma galeria de arte virtual na Art Basel Miami que explora a arquitetura e a interação social no metaverso. A galeria apresenta espaços que exploram a experiência do usuário, interação social e composições "dramatúrgicas", combinados com MMO (massively multiplayer online game, ou jogo multijogador massivo online) e serviços tecnológicos de interação.

Zaha Hadid Architects projeta galeria virtual que explora arquitetura, NFT e metaversoZaha Hadid Architects projeta galeria virtual que explora arquitetura, NFT e metaversoZaha Hadid Architects projeta galeria virtual que explora arquitetura, NFT e metaversoZaha Hadid Architects projeta galeria virtual que explora arquitetura, NFT e metaverso+ 17

O que é arquitetura NFT e por que ela difere dos modelos virtuais comuns?

Hoje você abrirá as portas de sua casa para receber os colegas em uma reunião de trabalho. A mesa está preparada à beira da piscina de borda infinita, sob a sombra de uma imensa estrutura metálica curva, que remete aos projetos mais audaciosos de Zaha Hadid, exceto pela ausência completa de pilares. Pairando no ar, essa cobertura completa o cenário idílico do rochedo onde está inserida a mansão. A casa foi adquirida recentemente através do NFT e é acessada digitalmente via código criptografado. Pois é, essa é a sua casa virtual. A física é um pequeno apartamento de 40m2 no centro de uma das metrópoles mais movimentadas e poluídas do sul global.

Você pagaria por arquitetura virtual? O que a tecnologia NFT significa para o futuro da profissão

Se alguém tentasse te vender uma casa virtual, qual seria a sua primeira reação? Isso mesmo—uma casa virtual, um arquivo digital de uma casa. Você compraria uma casa que jamais poderia habitar pela simples razão de que esta casa jamais seria construída? Apenas uma imagem, um vídeo que você poderia assistir quantas vezes quiser. É disso que se trata quando falamos da comercialização de arquitetura digital NFT, a sigla para Tokens Não Fungíveis—um conceito que parece ter tomado o mundo de assalto da noite para o dia. Caso você tenha dormido no ponto, esta é a infinitésima ‘grande discussão’ do momento no mundo da arquitetura. Em uma profissão que procura constantemente redefinir o seu significado, a chegada dos NFTs promete grandes mudanças para o futuro da arquitetura, sendo a transformação de ambientes virtuais em mercadoria a mais grave delas.

Mars House, a primeira casa digital vendida no mundo

A Mars House, concebida pela artista e fundadora do Techism Movement, Krista Kim, tornou-se a primeira casa digital a ser comercializada no mundo. Elaborada como um arquivo digital único e exclusivo, como uma espécie de token criptográfico (NFT), a Mars House é na verdade um arquivo 3D que pode ser explorado através de realidade virtual ou realidade aumentada. A Mars House é uma estrutura feita de luz, uma casa digital com uma atmosfera única e que vem acompanhada por uma trilha sonora criada por Jeff Schroeder da banda Smashing Pumpkins.