1. ArchDaily
  2. Lars Spuybroek

Lars Spuybroek: O mais recente de arquitetura e notícia

Quando gotas criam espaços: Um olhar sobre arquitetura líquida

Ao longo do século passado, a relação da arquitetura com a água tem sido desenvolvida ao longo de uma variedade de diferentes caminhos. Com sua "Casa Cascata", por exemplo, o mestre americano Frank Lloyd Wright confrontou o fluxo dramático da água com linhas horizontais expressivas para aumentar a experiência da natureza. Desde então, o uso da água na arquitetura tornou-se mais variada e complexa. Um espaço feito quase exclusivamente de água surgiu com o projeto de Isamu Noguchi na Expo de Osaka: a água brilhante parecia cair do nada e brilhava no escuro. Mais tarde, com a digitalização e as formas fluidas dos projetos paramétricos, o foco mudou para uma arquitetura líquida feita de água e luz. As interpretações têm variado de formas arquitetônicas modeladas para literais gotas de água, como a visionária “Bubble”, de Bernhard Franken, para a BMW, a instalações espetaculares feitas de linhas de água, transformadas em pixels pela luz.

Pavilhão Islandês. Hannover, Expo 2000. Image © Thomas SchielkeBlur Building. Pavilhão de Exposições, Yverdon-Les-Bains, 2002. Arquitetos: Diller Scofidio + Renfro. Image © Diller Scofidio + RenfroOlafur Eliasson: O Corredor Reflexivo, Projeto para parar a queda livre, 2002. (Der reflektierende Korridor, Entwurf zum Stoppen des freien Falls, 2002). Fotógrafo: Werner J. Hannappel. Cortesia de Centre for International Light Art Unna, Germany. Image © 2002 Olafur EliassonLuce Tempo Luogo, 2011. Milão. Arquitetos: DGT Architects. Fotógrafo: Daici Ano. Image © DGT Architects+ 20