1. ArchDaily
  2. Forro

Forro: O mais recente de arquitetura e notícia

Residência NB / Jacobsen Arquitetura

© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG+ 29

Angra dos Reis, Brasil
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  760
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019

Casas Brasileiras: 6 residências com forro ripado de madeira

Como um de seus principais atrativos, a madeira é um material que tem por característica a capacidade de trazer a sensação de aquecimento visual do espaço, tornando-o mais acolhedor e confortável. Por isso, é muito comum que arquitetos e designers de interiores especifiquem este material para o revestimento de pisos e paredes em seus projetos numa variedade de espécies, padrões e tonalidades. Porém, indo além do uso tradicional, tem se tornado cada vez mais comum a aplicação deste material em forros residenciais, auxiliando na ambiência acolhedora e sensação de rebaixamento do forro, mas sobretudo, nos parâmetros de comodidade acústica.

Sistema inovador de laje grelhada usa 55% menos concreto

Uma das imagens mais emblemáticas da Bienal de Veneza 2014 veio da exposição Elements of Architecture, de Rem Koolhaas, em que um corte de um falso forro suspenso, repleto de dutos e fiação era dramaticamente sobreposto ao domo do pavilhão central do Giardini. O gesto trazia uma crítica à redução da arquitetura à mero tratamento de superfícies - mas para os fabricantes do Holedeck, um sistema estrutural que recentemente venceu o Prêmio de Inovação do CTBU 2015, os pecados da típica laje de concreto e forro suspenso são muito maiores.

O sistema de laje de concreto do Holedeck usa 55% menos concreto que um alaje tradicional, o que o torna significativamente menos agressivo ao meio ambiente que os sistemas mais comuns, além disso, as lajes são também mais finas, o que permite um maior número de pavimentos em edifícios em altura. 

Holedeck com sistemas mecênico e elétrico integrados. Cortesia de HoledeckConfiguração disponível do Holedeck. Cortesia de HoledeckCortesia de HoledeckCortesia de Holedeck+ 14

Qual a pior coisa na arquitetura de hoje?

O teto.

O teto evoluiu de um ponto focal de um ambiente para um espaço destinado a equipamentos mecânicos. Em todas as grandes construções da humanidade, sempre olhamos para cima em reverência. Onde nosso olhar outrora encontrava fantásticos tetos abobadados, impressionantes estruturas treliçadas ou tratamentos decorativos distintos, hoje frequentemente encontramos painéis acústicos, tubulações e faixas fluorescentes de iluminação. Abandonando o teto como uma tela para criatividade no alvorecer da era tecnológica, tivemos dificuldade em tomá-lo de volta. Hoje, é difícil competir com os equipamentos mecânicos quando tudo o que defendemos é uma superfície branca. Mas uma proposta convincente de um espaço projetado para fazer do teto seu principal atributo pode encantar mesmo as mentes mais pragmáticas. Há uma boa razão para ser teimoso: já que raramente reorganizamos ou redecoramos o teto como fazemos com o resto do espaço, o que criamos acima de nossas cabeças tende a durar muito tempo.