1. ArchDaily
  2. Felipe Vera

Felipe Vera: O mais recente de arquitetura e notícia

"Radical Temporalities", um registro do urbanismo efêmero na Bienal de Shenzhen

Na recente Bienal de Arquitetura e Urbanismo em Shenzhen, Rahul Mehrotra (Harvard GSD) e Felipe Vera em colaboração com Diego Pinochet (ambos professores do DesignLab UAI, Chile), apresentaram a exposição Radical Temporalities: The landscape of ephemeral urbanism, que exibiu mais de 120 casos de urbanizações temporárias ao redor do mundo.

Radical Temporalities é uma das montagens presentes na auto-denominada "única" bienal que simultaneamente aborda o campo do urbanismo e arquitetura mundialmente, congregando duas cidades vizinhas (Hong Kong e Shenzhen) em torno do tema da "cidade atual".

Urbanismo efêmero na Índia, a raíz de celebrações religiosas locais. Imagem Cortesia de Felipe VeraUrbanismo efêmero na Índia, a raíz de celebrações religiosas locais. Imagem Cortesia de Felipe VeraUrbanismo efêmero na Índia, a raíz de celebrações religiosas locais. Imagem Cortesia de Felipe VeraUrbanismo efêmero na Índia, a raíz de celebrações religiosas locais. Imagem Cortesia de Felipe Vera+ 13

Kumbh Mela : Aprendendo com as cidades temporárias

Apresentamos a seguir um estudo interessante sobre os assentamentos temporários realizados a cada doze anos na Índia, com motivo da festa religiosa hindú, "Kumh Mela". Milhões de pessoas realizam uma peregrinação até os lugares santos para se reunir durante cinquenta e cinco dias, colocando à prova a capacidade de organização e de desenho requeridos para gerar o albergue e o dotar dos serviços necessários. Os acadêmicos Raul Mehrotra e Felipe Vera, nos explicam o que ocorre na cidade efêmera de "Kumbh Mela" para dar lugar à maior reunião pública do mundo.

Por Rahul Mehrotra e Felipe Vera

Hoje em dia, a escala e o ritmo da urbanização contemporânea desafiam a noção de permanência como a condição básica das cidades. Paisagens efêmeras em assentamentos emergentes estão constantemente aumentando em escala e confrontam a noção da cidade como uma entidade estável e permanente. Em resposta à esta condição, existe uma discussão crescente acerca de como os diálogos em urbanismo se beneficiariam dissolvendo o par binário estabelecido entre os componentes efêmeros e estáveis das cidades. Na realidade, quando as cidades são analizadas em intervalos de tempos mais extensos, o efêmero surge como uma condição sem escapatória no ciclo de vida de cada componente do entorno construído. Nas de Bishop e Williams: dada a forte evidência de que as cidades são uma complexa superposição de edifícios e atividades que são, de uma forma ou de outra, provisórias, por que os urbanistas têm focado tanto na permanência?