1. ArchDaily
  2. Arquitetura Popular

Arquitetura Popular: O mais recente de arquitetura e notícia

Arquiteturas populares em sertões da Bahia: perspectivas sociais, econômicas e políticas

Diversas casas com fachadas de platibanda são observadas em espaços urbanos e rurais de sertões da Bahia. Muitas delas apresentam-se revestidas com módulos de porcelanato, gradis de ferro, além de portas e janelas metálicas. Esta recorrência pode ser entendida como um fato cultural: as construções aqui discutidas foram observadas em cidades, distritos e povoados localizados nos municípios de Monte Santo, Uauá e Curaçá no ano de 2019.

Estas fachadas trazem em si composições gráficas, produzidas por aqueles que as constróem em diálogo com os moradores das próprias casas. São diagramadas, por pedreiros e ou moradores-construtores¹, informações visuais impressas sobre os revestimentos cerâmicos, assentados sobre o plano. Ainda na composição do plano frontal, são fixadas grades que também desenham as aberturas de grande parte de residências e estabelecimentos estudados.

Casa em Poço de Fora, município de Curaçá, Bahia. Image © Pedro LevorinCasa em Mandassaia, município de Monte Santo, Bahia. Image © Pedro LevorinCasa em Curaçá (distrito-sede do município homônimo), Bahia. Image © Pedro LevorinCasa em Poço de Fora, município de Curaçá, Bahia. Image © Pedro Levorin+ 15

"La casa infinita": Pavilhão da Argentina na Bienal de Veneza aborda as habitações populares

Desenvolvido pelo arquiteto Gerardo Caballero, com a colaboração de Paola Gallino, Sebastian Flosi, Franco Brachetta, Ana Babaya, Leonardo Rota, Emmanuel Leggeri, Sofia Rothman, Gerardo Bordi, Edgardo Torres e Alessandro De Paoli, La casa infinita, um projeto inspirado nas casas tradicionais argentinas, representará o país na próxima exposição internacional de arquitetura da Bienal de Veneza. O projeto refletirá sobre a identidade da casa popular argentina e sobre a história da habitação coletiva no país, explorando exemplos tanto públicos quanto privados. La casa infinita buscará estender os limites do doméstico e enfatizar a importância do coletivo sobre o individual, determinando que uma casa pode ser muito maior que a própria moradia: "pode ser a cidade, o campo e até mesmo o mundo".

Workshop de Assistência Técnica em Melhorias Habitacionais

Este workshop, além de ser uma grande oportunidade para profissionais e estudantes de diferentes áreas de atuação que tenham afinidade e interesse pelo tema da Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social, é o primeiro workshop de uma sequência em vários Estados que tem por objetivo ampliar a Rede de ATHIS iniciada em São Paulo, no curso Vivência em ATHIS para Melhorias Habitacionais. Essa Rede pretende fomentar essa prática e favorecer a troca de informações e oferecer suporte aos envolvidos, através da metodologia do Arquiteto de Família.

O Módulo I é focado no atendimento individualizado às famílias e tem por objetivo

Fricções Culturais: para uma transferência das arquiteturas tradicionais à produção contemporânea

Ensina-me a viver da sua maneira para eu poder ver o mundo através do seu entendimento.
Juan Downey, arquiteto e artista chileno.

A proposta Fricções Culturais: Para uma transferência das arquiteturas tradicionais à produção contemporânea, desenvolvida pelo arquiteto chileno Samuel Bravo Silva, tem como objetivo investigar as arquiteturas tradicionais em perigo de extinção ao longo das três principais bacias hidrográficas do mundo (Amazonas, Congo e Brahmaputra), como uma relação tanto física como significativa dos povos com a paisagem.

Olhando através de determinadas construções da paisagem, o autor pergunta-se como os povos se ocupam da fricção dos espaços tradicionais com a modernidade. Sua pesquisa indaga na experiência de Juan Downey, um arquiteto chileno que, nos anos setenta, aproximou-se do povo Yanomami no Amazonas; analisa sua própria obra construída no Deserto do Atacama e na Amazônia Peruana; e finalmente tira lições das arquiteturas tradicionais, desde os entornos típicos aos bairros periféricos.

Conheça em detalhe a proposta - finalista do Wheelwright Prize 2016 (Harvard GSD)-, a seguir.

A Casa Invisível: Fragmentos sobre a arquitetura popular no Brasil / João Diniz