Escritórios Fintual Palácio Droguett / Studio Cáceres Lazo

Escritórios Fintual Palácio Droguett / Studio Cáceres Lazo

© Bruno Giliberto© Bruno Giliberto© Bruno Giliberto© Bruno Giliberto+ 21

  • Arquitetos Responsáveis:Gabriel Cáceres, Daniel Lazo
  • Equipe De Projeto:John Miller, Tomislav Mimica, Diego Melero
  • Construção :Julio Hernández
  • Cidade:Providencia
  • País:Chile
Mais informaçõesMenos informações
© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

Descrição enviada pela equipe de projeto. Durante a última década, o cenário de startups chileno se posicionou como um dos líderes na região. Ambiciosos programas governamentais combinados com uma geração poderosa de jovens inovadores tornaram o pequeno país sul-americano um centro de renome internacional para empreendedores de tecnologia emergentes, abrigando um número significativo de produtos de tecnologia de sucesso. A Fintual é um desses grupos de empreendedores, fundada em 2016 e lançada em 2018, que tem como objetivo colmatar o fosso entre as ferramentas de investimento financeiro e o público em geral através da tecnologia e graças a uma estratégia de comunicação franca e direta com os seus clientes, salpicada de uma boa dose de humor. Em 2020, eles administravam fundos de mais de 425 milhões de dólares e tinham mais de 47 mil clientes, um grande salto em relação aos 44 milhões e 7 mil clientes do ano anterior, o que significava que precisavam de mais pessoas em sua equipe e eventualmente de um espaço.

© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

O Palácio Droguett viveu muitas vidas. Residência urbana para uma família rica construída em 1931 pelo famoso arquiteto Sergio Larraín García-Moreno, o volume de 12 quartos e 1.400 metros quadrados tornou-se um dos marcos da cidade no início dos anos 1980, quando os herdeiros da família o transformaram em um centro de eventos. É neste ponto de sua história, quando seu enorme terraço ao ar livre de 300 metros quadrados no segundo andar foi coberto com a abóbada de vidro e aço que lhe daria seu aspecto característico e lhe valeu o apelido de "A Casa de Vidro".

© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

Em 2011, o centro fecharia as portas e começaria uma nova vida como escritório e coworking para inovação e empreendedorismo, primeiro para um conglomerado espanhol e depois para o StartUp Chile, o programa acelerador de startups do governo do país.

© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

No final de agosto de 2020, em meio à pandemia global, exatamente quando a cidade de Santiago estava saindo de uma quarentena de 4 meses, fomos contratados - por meio de uma curta competição privada - para projetar os escritórios do Fintual no Palácio Droguett, que tinham acabado de alugar. A tarefa era simples. O projeto seria desenvolvido em etapas, sendo a primeira o andar de escritórios e a sala de reuniões localizados no segundo nível do prédio. Com a necessidade de acomodar entre 40 e 60 funcionários em todos os momentos, o projeto consistia em proporcionar múltiplas possibilidades de trabalho, desde espaços convencionais a mesas compartilhadas, teleconferências privadas e em grupo, além de situações mais descontraídas como salas e refeitório. Deveria ser um espaço divertido para trabalhar e deveria refletir a cultura horizontal da empresa. E eles queriam plantas. Muitas plantas.

© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

No entanto, havia uma complexidade. Eles precisavam se mudar o mais rápido possível. O esquema geral desta primeira fase desenvolveu-se em 10 dias -durante a fase de competição- e concentrou-se principalmente no antigo terraço exterior agora coberto com a abóbada de vidro ou "a pérgula" como chama o Fintual, já que, o interior do Palácio, pelas suas excelentes qualidades espaciais, mais do que uma intervenção, necessitava ser mobiliado. 

© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

A ideia da pérgula era simples: replicar a ordem estabelecida acima pela abóboda, agora abaixo. A secção retangular da abóbada iria, então, dividir o espaço em duas áreas principais, uma para os postos de trabalho e outra - de forma irregular - oferecendo diferentes tipos de situações de trabalho. Para isso, desenvolvemos uma série de objetos, todos familiares entre si e nomeados de acordo com sua aparência ou função (a mesa "verme" ou "quadro-negro", para citar um exemplo). Com exceção das mesas, confeccionadas em branco fosco, todos os elementos compartilhavam a mesma materialidade: painéis de madeira laminada.

© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

Trabalhando dentro de um orçamento de construção apertado, ficou estabelecido desde o início com o cliente que buscaríamos uma estética elegante, mas de baixo custo, equilibrando o barato com alguns toques mais caros, "como vestir uma camisa gasta com jeans caro", disse uma vez Pedro, um dos fundadores da empresa. A madeira é um bom exemplo dessa abordagem: embora não seja a madeira mais barata disponível, tem uma cor quente e não apresenta nós, o que confere ao móvel uma aparência homogênea e abstrata - como uma peça sólida - enquanto, vista de perto, a fabricação no local revela pequenas imperfeições e uma certa qualidade rústica. Todo o espaço seria pintado de preto para anular o ruído visual produzido pelas redes de instalação, os painéis de espuma isolante e a série de vigas e estruturas que cruzam o céu, ao mesmo tempo que fazem um contraponto com o interior branco do Palácio.

© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

O toque final foi um golpe de sorte. Em algum momento da vida do edifício, o luxuoso piso de cerâmica branco original do terraço foi revestido com um piso laminado. Felizmente, depois que os revestimentos foram removidos - lá estava ele, completo e em boas condições, tudo o que precisava era um polimento profundo e uma vedação.

Cortesía de Studio Cáceres Lazo
Cortesía de Studio Cáceres Lazo

Como o Fintual precisava se mudar e nós precisávamos de tempo para desenvolver os planos de construção, dividimos a construção em duas, uma fase úmida e uma fase suja, ou seja, todas as obras que não podem ser feitas com pessoas utilizando o espaço, que incluiu: pintar todo o segundo andar e polir os pisos. E uma fase limpa, que envolveu a confecção de todos os móveis e da rede elétrica, contornando a Fintual que já estaria ocupando o espaço. Para todos os envolvidos em fazer o plano funcionar, apesar das rígidas restrições de tráfego, quarentenas, toques de recolher, uma escassez nacional de materiais de construção e, claro, uma pandemia global, parece uma conquista. Mas o projeto é gratificante por explorar questões arquitetônicas contemporâneas em edifícios históricos, bem como estratégias de design em tempo real, enquanto ao mesmo tempo celebra a cultura inovadora e vanguardista no coração do projeto do Fintual.

Cortesía de Studio Cáceres Lazo
Cortesía de Studio Cáceres Lazo

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Providencia, Região Metropolitana, Chile

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Escritórios Fintual Palácio Droguett / Studio Cáceres Lazo" [Fintual HQ Palacio Droguett / Studio Cáceres Lazo] 15 Jun 2021. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/963364/escritorios-fintual-palacio-droguett-studio-caceres-lazo> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.