Residência Preston Hollow / Specht Architects

Residência Preston Hollow / Specht Architects

© Casey Dunn© Casey Dunn© Casey Dunn© Casey Dunn+ 31

  • Arquitetos: Specht Architects
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  820 ft²)
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fotógrafo Fotografias:  Casey Dunn
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Lutron, Blanco, Bocci, Boffi, Caesarstone, Cooper Lighting, Dornbracht, FSB, Grohe, Guardian, Halliday Baillie, Indy Lighting, Infinity Drain, Ital Windows, Kohler, La Habra, Porcelanosa, Specialty Lighting Industries, Stained Rift White Oak, Stone Source, +5
  • Arquiteto Responsável:Scott Specht
  • Equipe De Projeto:Scott Specht AIA – Founding Principal Jakeb Novak AIA, LEED AP BD+C, Senior Project Architect Travis Power AIA, Senior Project Architect
  • Construtora:Sebastian Construction
  • Paisagismo:Hocker Design Group
  • Lighting Designer:Douglas Architectural Lighting
  • Engenheiro Mecânico:E.D. Miller Service Company
  • Engenheiro Estrutural:Architectural Engineers Collaboration
  • Gerenciamento De Obra:Acton Partners, LLC
  • Projeto De Interiores:Magni Kalman Design
  • Cidade:Dallas
Mais informaçõesMenos informações
© Casey Dunn
© Casey Dunn

Descrição enviada pela equipe de projeto. A Residência Preston Hollow foi projetada pelo escritório Specht Architects, já o projeto de interiores é de Magni Kalman. O projeto da casa, com cerca de 820m² (8.000 pés quadrados), foi impulsionado pelo desejo de diluir os limites entre o interior e o exterior, enquanto proporciona uma sensação de privacidade e isolamento para com a rua e a vizinhança, a pedido do proprietário. Seu projeto é influenciado por estratégias comuns às casas modernas clássicas de Dallas das décadas de 1950 e 1960.

© Casey Dunn
© Casey Dunn
Implantação
Implantação
© Casey Dunn
© Casey Dunn

Brutas paredes de concreto estendem-se do interior da casa para a paisagem, quebrando a “caixa moderna” e configurando pátios que permitem visadas repleta de natureza em todos os cômodos. Este efeito é complementado pelas enormes paredes de vidro que definem cada espaço. Uma grande e flutuante cobertura paira sobre os volumes dos quartos, definindo os "cômodos íntimos" do local e fragmentando ainda mais a fronteira entre o interior e o exterior. O formato da cobertura e as grandes saliências em balanço foram cuidadosamente configuradas para fornecer proteção completa contra o forte sol de Dallas em todos os momentos do dia. Um “Implúvio”, isto é, uma abertura no centro do telhado, geralmente existente nas coberturas das casas romanas tradicionais, foi executado no projeto, permitindo que a água da chuva e a luz alcancem o jardim inferior. A água também desempenha um grande papel na composição. Já no acesso da casa, se inicia um canal estreito, que percorre o local e segue para a piscina. Este espelho d'água é pontuado por uma série de terraços em cascata e uma queda d'água suave próxima à entrada principal. À noite, a iluminação no interior da água configura padrões variáveis ​​nas superfícies de concreto texturizado adjacentes.

© Casey Dunn
© Casey Dunn

Um Novo Brutalismo. As paredes de concreto da casa Preston Hollow foram moldadas a partir de uma fôrma personalizada que cria uma aparência corrugada. “Esta técnica, um marco da arquitetura brutalista das décadas de 1960 e 1970, configura um diverso jogo de sombras e padrões ao longo do dia. Ao contrário do trabalho brutalista daquela época, as paredes pesadas no projeto, são contrabalançadas por delicadas colunas de aço, caixilhos com janelas esbeltas e beirais em balanço. O concreto é o elemento base, que oferece um contraste com a leveza geral dos espaços”, diz Scott Specht, fundador da Specht Architects.

© Casey Dunn
© Casey Dunn

Tradições do Modernismo de Dallas. Dallas tem uma longa tradição de arquitetura moderna, que desapareceu por décadas e agora está ressurgindo. As áreas residenciais do centro de Dallas, urbanas, relativamente densas e próximos ao centro da cidade, criaram uma arquitetura residencial única, com áreas de estar sombreadas e protegidas por brises voltados para o interior das casas privativas. A Residência Preston Hollow se relaciona a exemplos como a casa Oak Court, de Edward Durell Stone de 1959, com sua sala de jantar coberta ao ar livre e cercada por água, e a residência Beck de Philip Johnson de 1963, com seus pátios internos repletos de árvores.

© Casey Dunn
© Casey Dunn

Estratégias de projeto sustentáveis. O projeto foi organizado em torno da eliminação da incidência solar direta, permitindo grandes aberturas. A grande cobertura da casa e as saliências do beiral do telhado foram modeladas de forma a fornecer proteção passiva completa do forte sol de Dallas em todos os momentos do dia. Além disso, toda a fachada oeste não possui aberturas. Grandes planos articulados de vidro permitem ampla ventilação natural durante as estações apropriadas. O "implúvio" permite que a água da chuva alcance o jardim do pátio e à área de coleta de água inferior. A água da chuva é utilizada para irrigação e outros usos não potáveis.

© Casey Dunn
© Casey Dunn
© Casey Dunn
© Casey Dunn

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Residência Preston Hollow / Specht Architects" [Preston Hollow Residence / Specht Architects] 04 Fev 2021. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/955975/residencia-preston-hollow-specht-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.