Arquivo de Pedras Yingliang / Atelier Alter Architects

Arquivo de Pedras Yingliang / Atelier Alter Architects

© Atelier Alter© Atelier Alter© Atelier Alter© Atelier Alter+ 47

  • Arquitetos Responsáveis:Xiaojun Bu Yingfan Zhang
  • Equipe De Projeto :Kai Qin, Zhenwei Li, Dehu Du, Tongwei Liu
  • Civil/Estrutura/Complementares:Jie Jin, Zhe Li, Wei Li, Ming Cheng
  • Paisagismo:Xiaojun Bu, Dehu Du
  • Construtora:An Hui Wan Cong Construction Services Co.,Ltd., Beijing Jingcheng Yongshun Science and Technology Development Co., Ltd.
  • Custo:$427,560
  • Cidade:Pequim
  • País:China
Mais informaçõesMenos informações
© Atelier Alter
© Atelier Alter
Planta - Primeiro Pavimento
Planta - Primeiro Pavimento

Descrição enviada pela equipe de projeto. O projeto do Arquivo de Pedras Yingliang é uma obra de reforma concebida pelo Atelier Alter Architects no Distrito Artístico Internacional de Pequim, China. Concebido como um novo Museu–Arquivo, o projeto de reabilitação deste antigo armazém na capital chinesa foi desenvolvido com o principal objetivo de criar um espaço expositivo onde arquitetos e arquitetas podem consultar um catálogo de soluções construtivas em pedra em escala 1:1.

Circulação - Primeiro Pavimento
Circulação - Primeiro Pavimento
Circulação do Segundo Pavimento
Circulação do Segundo Pavimento

Como um dos materiais construtivos mais antigos utilizados pelo homem, a pedra segue sendo utilizada com autenticidade na arquitetura contemporânea chinesa e internacional. Entretanto, com o surgimento de novas tecnologias aplicadas à construção civil, materiais naturais como a pedra acabam relegados à um papel secundário. Desta forma, o valor imaterial que elas carregam em suas estruturas, texturas e composições, parecem estar se perdendo à medida que vão sendo gradualmente substituídas por novos materiais e soluções construtivas. De forma crítica, este projeto procura se contrapor à esta tendência “natural” na arquitetura contemporânea.

© Atelier Alter
© Atelier Alter
Corte E
Corte E

Do seu estado bruto e natural até as suas formas mais requintadas de acabamento, a pedra passa por inúmeros processos—começando com a extração de enormes volumes cúbicos das montanhas rochosas. Nosso projeto busca resgatar este momento primordial e o valor do material em seu estado bruto, incorporando uma parede de pedra de sete metros de altura no interior do edifício. Ao dissecar a pedra em seu estado bruto e apresenta-la em seu estado mais primitivo e bruto, fomos construindo um jogo dinâmico de cheios e vazios que realça as camadas sedimentares da estrutura da rocha: enquanto a parte sólida representa o espaço propriamente dito, onde estão expostos os materiais, o vazio faz menção ao espaço de arquivo, por onde as pessoas podem circular e observar o conteúdo do museu. Estas placas de pedra, muitas vezes são utilizadas como elementos de organização espacial, assumindo o papel de divisórias ou elementos de mediação entre um espaço e outro.

© Atelier Alter
© Atelier Alter

A fachada do edifício é composta por três diferentes camadas, as quais se sucedem no espaço de forma a construir uma narrativa. Os exemplos de pedras expostos ao longo dos espaços do edifício são amostras retiradas em diferentes etapas do processamento do material. A primeira camada, que delimita o edifício frente à rua opera como uma espécie de muro, um filtro construído com o auxílio de milhares de pequenos cubos de rocha de dez centímetros cúbicos. O acesso ao edifício se dá através de uma das três aberturas trapezoidais recortadas nesta primeira camada de fachada. As outra duas aberturas funcionam como janelas, permitindo que a luz natural penetre profundamente nos espaços interiores do edifício. Entre esta primeira fachada e a parede existente do antigo armazém, foi criado um jardim, o qual favorece a ventilação e a iluminação natural anteriormente mencionada. A segunda camada, como um mostruário de recortes de pedra, opera como um anteparo e elemento de mediação entre o exterior e o interior, anunciando tudo aquilo que o visitante irá encontrar uma vez no interior do edifício. Esta parede maciça, composta por infinitos recortes de pedra bruta, inclina-se para fora como que em uma tentativa de expor a estrutura geológica de seus elementos. A superfície bruta do material contrasta fortemente com a linha afiada do corte da pedra, revelando toda a potência deste nobre material. A terceira e última camada, é composta por uma tela metálica vazada incorporada no projeto como uma prateleira de amostras, configurando um elemento tridimensional que organiza e define os espaços programáticos do edifício como a sala de reuniões o arquivo e as galerias expositivas. Esta camada de tela incorpora ainda uma série de elementos móveis deslizantes que permitem abrir ou fechar determinados espaços, permitindo uma maior flexibilidade ao layout do edifício.

© Atelier Alter
© Atelier Alter
Isométrica - Espaço Expositivo do Primeiro Pavimento
Isométrica - Espaço Expositivo do Primeiro Pavimento

Inspirados pelas formas como as diferentes etapas do processamento da rocha se  reflete na materialidade da própria arquitetura, o projeto do Arquivo de Pedras Yingliang é uma reinterpretação contemporânea de um dos mais tradicionais elementos construtivos. Ao dar forma à uma nova arquitetura, profundamente enraizada nos métodos construtivos tradicionais locais, nos esforçamos para desenvolver um projeto que encontra equilíbrio entre a escala urbana do edifício e a riqueza de seus pequenos detalhes. Construtivamente falando, o projeto se desenvolve a partir de elementos de pedra e aço, trabalhando com a suspensão e inclinação de seus elementos monumentais como uma forma de expressar a autenticidade ressignificada deste tradicional elemento construtivo. Desta forma, a rocha se torna tanto a matéria do próprio edifício quanto o pano de fundo para o espetáculo da arquitetura.

© Atelier Alter
© Atelier Alter
Detalhe - The Tree Room & The Tilted Display Shelf
Detalhe - The Tree Room & The Tilted Display Shelf

Além disso, o edifício conta ainda com um pequeno restaurante, um bar e finalmente um café junto à galeria. Junto a este espaço encontra-se a biblioteca e um pátio interno anexo. O mobiliário e os itens de decoração foram concebidos em concreto polido e finas lâminas de pedra, as quais representam o mais requintado grau de processamento do material ao qual o edifício presta sua homenagem. Para finalizar, um tapete pétreo se extende pelo piso conectando as três camadas que compõe os espaços do edifício.

© Atelier Alter
© Atelier Alter
© Atelier Alter
© Atelier Alter

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Distrito de Chaoyang Beiyuan Norte Vinícula Qu Distrito Artístico Internacional, Pequim F1-1001, China

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Arquivo de Pedras Yingliang / Atelier Alter Architects" [Yingliang Stone Archive / Atelier Alter Architects] 28 Nov 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/951884/arquivo-de-pedras-yingliang-atelier-alter-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.