Centro de Artes de Qujiang / gad

Centro de Artes de Qujiang / gad
© Shiromio Studio
© Shiromio Studio

© Shiromio Studio© CCD© Shiromio Studio© Shiromio Studio+ 23

Xi'an, China
  • Diretor De Projeto:Xiaoxia Wang
  • Conceito :Xiaoxia Wang, Shouqing Wu
  • Arquitetura:Yuanyuan Fu, Zhehua Ni
  • Estrutura:Xiangming Qi, Qi Zhu, Xiaodong Shen
  • Projeto Hidro Sanitário :Ting Hu
  • Hvac:Mingxing Ji
  • Projeto Elétrico:Tao Jiang
  • Design De Interiores:CCD
  • Paisagismo:T.R.O.P
  • Cliente:Xi'an Rongchuang
  • Cidade:Xi'an
  • País:China
Mais informaçõesMenos informações
© Shiromio Studio
© Shiromio Studio

Descrição enviada pela equipe de projeto. Quando deixarmos de conceber cidades como meros lugares para se viver, e passarmos a projetá-las como os espaços dinâmicos onde tudo acontece ao mesmo tempo e no mesmo lugar, finamente seremos capazes de construir cidades mais diversas. Implantado no novo distrito de desenvolvimento urbano da cidade de Xi'an, no coração da província de Xiamxim, o Centro Comunitário de Qujiangyin é um manifesto às tradicionais definições do significado de um espaço urbano, uma estrutura que rompe com o tecido urbano existente, inserindo-se de forma provocante em seu contexto, incitando um novo estilo de vida moderno, pautado pela diversidade de usos e programas, incorporando edifícios de apartamentos, hotéis, escritórios, espaços públicos, museus e galerias de arte. É neste contexto urbano rico e diverso que o novo Qujiang Art Center encontra seu lugar, transformando-se no coração do Centro de Qujiangyin, símbolo de um novo tempo e de uma nova forma de se construir cidades.

© Shiromio Studio
© Shiromio Studio

O projeto do Qujiang Art Center foi concebido como um elemento de conexão, uma estrutura que procura construir pontes entre a arquitetura e a paisagem. Como uma das principais condicionantes do terreno, o lote é limitado ao sul por um grande anel viário de tráfego intenso. Procurando afastá-lo deste ambiente profano, o volume do edifício foi elevado, suspenso no espaço e alheio às inconveniências que ele procura negar de forma a construir um novo contexto menos hostil e mais acolhedor. Completamente aberto ao público e animado por uma série de programas de atividades formais e informais, o Centro de Arte de Qujiang se esparrama para fora do edifício, abrindo suas portas aos visitantes e convidando-os a entrar e descobrir este novo contexto e uma nova forma de se relacionar com a cidade.

De fato, antes mesmo de passarmos pela porta, já nos encontramos imersos no conteúdo do museu. Durante a sua inauguração, o Qujiang Art Center acolheu uma exposição de peças de prata de Picasso, recebendo milhares de visitantes.

© CCD
© CCD
© Shiromio Studio
© Shiromio Studio

O percurso expositivo do museu não é óbvio e tampouco direto. Seus espaços nos provocam a encontrar nosso próprio caminho, eles nos convidam a mergulhar, subir, baixar, girar-se e nos surpreendem a todo momento. Este percurso nos leva a construir a nossa própria narrativa, uma entre as tantas narrativas e histórias que constroem o espaço coletivo, promovendo uma nova forma de se relacionar com a cidade. 

© Shiromio Studio
© Shiromio Studio

Encaixado entre uma série de espaços urbanos fragmentados, o Centro de Artes de Qujiang foi concebido para unificar e dar um sentido a este lugar. Devido a uma diferença de nível de dez metros entre um lado e outro do terreno, o acesso ao edifício se dá através de um percurso sinuoso, quase poético, e que amarra os diferentes elementos da paisagem de forma a criar um todo coeso e legível. Acomodando-se na suave inclinação da encosta e projetando-se sobre a via de trafego intenso que passa ao lado do museu, o percurso é também um convite à abstração, convidando os visitantes a relaxar e desfrutar do caminho enquanto se afastam deste ambiente conturbado para mergulhar em uma outra atmosfera. A narrativa do percurso se transforma então em uma forma de diálogo entre os transeuntes e a paisagem local, assim como entre o centro de arte e a cidade de Xi'an.

© Shiromio Studio
© Shiromio Studio
© Shiromio Studio
© Shiromio Studio

Contribuindo para com esta transição de escala, do edifício ao espaço urbano, o projeto de paisagismo arrama o programa do museu ao seu contexto específico, criando uma simbiose ou sintonia perfeita entre a arquitetura do edifício e da paisagem. Não há nenhuma pressa para chegar ao objetivo, muitos pelo contrário, o que se propõe neste projeto é mais um perder-se e voltar a encontrar-se. Ao afastar-se e aproximar-se do edifício, os visitantes vão descobrindo o objeto em sua escala, tempo e materialidade. Uma vez no interior, eles podem mais uma vez percorrer com os olhos o caminho que fizeram para chegar até ali, como se nunca estivessem estado em outro lugar, sem saber se estão dentro ou fora do edifício. Esta seqüência arquitetônica, se assim pudermos chamar a experiência de espaço que o projeto se propõe, é a materialização de uma narrativa espacial capaz de despertar as mais variadas emoções e sensações, enriquecendo a nossa percepção da arquitetura e também da paisagem na qual estamos inseridos.

© Shiromio Studio
© Shiromio Studio

Ao percorrer este espaço e imergir nesta experiência, somos convidados a todo momento a contemplar a relação entre a arquitetura e a natureza. O volume do Qujiang Art Center, suspenso quinze metros acima do chão, se materializa em uma enorme caixa de vidro concebida para abrigar os principais espaços expositivos do museu, uma solução construtiva que garante a leveza e a transparência do edifício, permitindo que o mesmo interaja com a paisagem ao seu redor, operando de forma complementar ao seu contexto e evitando opôr-se à ele. Devido a sua solução em fachada dupla, afastada dois metros uma da outra, cria-se um efeito chaminé que permite melhor controlar a ventilação dos espaços do edifício, minimizando a dependência do sistema mecânico de condicionamento de ar e maximizando o desempenho térmico e acústico da estrutura como um todo.

Corte perspectivado
Corte perspectivado
© CCD
© CCD

O espaço central deste grande volume de vidro foi então dividido em três diferentes níveis. A estrutura da caixa suspensa opera de forma integrada, uma solução que, devido à suas proporções, permite a criação de balanços extremamente generosos. Se comparado com a coluna central de apoio, sob a qual se ergue o volume central do edifício, cria-se um efeito poético de suspensão, como se praticamente toda a estrutura “não tivesse peso algum.” Além disso, devido a sua estrutura perimetral de aço, os espaços expositivos encontram-se totalmente livres de estruturas secundárias, cirando uma linha de visão contínua entre o interior e o exterior, como se já não houvessem limites concretos entre a arquitetura e a paisagem.

© CCD
© CCD
© Shouqing Wu
© Shouqing Wu

O Qujiang Art Center é um projeto desenvolvido em parceria entre o gad, o CCD (projeto de interiores) e o T.R.O.P (arquitetura da paisagem). Como um contêiner de espaço e memória, o Qujiang Art Center — através da "força" do seu design, da "permeabilidade" de sua  materialidade e da "inteligência" de sua estrutura — resolve uma tensão visual extrema com uma solução tecnicamente simples, criando um centro de arte flutuante, um espaço que pretende injetar uma nova energia na comunidade de Xi'an e Qujiang.

© Shiromio Studio
© Shiromio Studio

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Rongchuang Qujiangyin, Qujiang New District, Xi'an, Shanxi, China

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Escritório
Cita: "Centro de Artes de Qujiang / gad" [Xi'an Qujiang Art Center / gad] 17 Jun 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/941699/centro-de-artes-de-qujiang-gad> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.