Casa Preta / Buero Wagner

Casa Preta / Buero Wagner

Descrição enviada pela equipe de projeto. As áreas rurais na Alemanha são frequentemente permeadas por uma expansão urbana de baixa densidade, pequenos vilarejos e casas isoladas em meio à paisagem. Isto é exatamente o que se pode observar junto à margem leste do Lago Ammersee, não muito distante da cidade bávara de Munique. Entre um mar de edifícios singelos e genéricos desponta uma pequena casa de tons escuros. Sua fachada de madeira carbonizada faz com que ela se destaque, criando uma nova relação entre a arquitetura e a paisagem. Ao contrário das típicas residências unifamiliares que se reproduzem ad infinitum, a Casa Preta encontra-se contida por duas estruturas antagônicas: de um lado um edifício de escritórios e do outro um condomínio multifamiliar. E embora muito próxima deste último, ela se distingue conscientemente deste ambiente inócuo, revelando-se completamente alheia a seu entorno imediato. Desta forma, a Casa Preta destoa na paisagem criando uma maior diversidade em um contexto assaz homogeneizante. 

© Florian Holzherr© Florian Holzherr© Florian Holzherr© Florian Holzherr+ 21

Distrito de Landsberg, Alemanha
  • Arquitetos: Buero Wagner
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  80
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fotógrafo Fotografias:  Florian Holzherr
© Florian Holzherr
© Florian Holzherr
© Florian Holzherr
© Florian Holzherr

O que faz deste edifício singular em relação aos seus vizinhos imediatos é a forma como os arquitetos exploraram a topografia do terreno, criando diferentes cotas e platôs de forma a diluir o programa da casa na geografia do lote. Vista deste fora, é possível identificar facilmente os volumes do terraço, do porão assim como a cobertura da casa. Esta legibilidade se reflete também nos espaços interiores, onde o programa da casa se articula de forma a construir uma identidade fluida, sobrepondo-se  constantemente de forma a criar uma variedade de situações espaciais. Uma generosa abertura na estrutura de concreto do edifício permite que o espaço interior flutue para o lado de fora da casa em direção à pequena floresta, culminando às margens do pequeno riacho que contorna o terreno e ajuda a definir os limites entre interior e exterior.

© Florian Holzherr
© Florian Holzherr

Os espaços de uso comum foram reduzidos a uma cozinha com sala de estar e jantar integradas no térreo além de um espaço aberto com banheiro no porão. Enquanto o acesso de serviço está em nível com o edifício multifamiliar ao lado, o nível da sala de jantar encontra-se elevado e alinhado com o terreno do outro lado da casa, aonde o terraço se projeta para o lado de fora. Duas aberturas de vidro pivotante permitem que a fachada norte e oeste possam ser completamente abertas, revelando o generoso balanço da estrutura que se transforma então, em beiral, abstraindo os limites interior-exterior.

Planta - térreo
Planta - térreo
Corte
Corte

Da mesma maneira, o programa do edifício também se revela nas formas da cobertura da casa; a inclinação do telhado, que segue o plano contíguo do edifício ao lado, serve também para acomodar o espaço do mezanino acima da sala.

© Florian Holzherr
© Florian Holzherr

As formas e materiais escolhidos são bastante discretos. Os acessórios e mobiliário da cozinha, como armários, portas e janelas, assim como as escadas, foram executados em tábuas de madeira de carvalho. O sistema de aquecimento da casa encontra-se incorporado nos forros, pisos e paredes de concreto, os quais funcionam também como elementos de massa térmica. Simultaneamente, isso significa que a estrutura das lajes prescinde de um acabamento mais elaborado. Essas superfícies foram simplesmente lixadas e polidas atuando como o próprio material de acabamento. As demais paredes e lajes de cobertura sem forro receberam um acabamento mais simples de forma que não foi preciso nenhum tipo de tratamento químico para proteger os materiais da casa. A fachada de madeira, por exemplo, recebeu um tratamento por carbonização. Como resultado, as tábuas foram seladas, tornando-se repelentes à água e resistentes a fungos. O projeto da Black House joga com os limites entre interior e exterior, entre superior e inferior, e devido às suas formas singelas e a economia de materiais e recursos, desperta uma sensação de pureza e clareza.

© Florian Holzherr
© Florian Holzherr

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Casa Preta / Buero Wagner" [The Black House / Buero Wagner] 10 Mai 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/938871/casa-preta-buero-wagner> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.