Casa Ventana / Bloco B arquitetura + Arquitetura Bossa

Casa Ventana / Bloco B arquitetura + Arquitetura Bossa
© Camila Alba Costa Curta
© Camila Alba Costa Curta

© Camila Alba Costa Curta© Camila Alba Costa Curta© Camila Alba Costa Curta© Camila Alba Costa Curta+ 24

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  52
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fotógrafo Fotografias:  Camila Alba Costa Curta
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Ajover, AutoDesk, Casas da água, GRAPHISOFT, Giacomossi, Madeireira Lokal, Marcos carpintaria, Métrica engenharia, Suvinil Tintas, Tigre, Wetzel
  • Arquitetas Responsáveis:Júlia De Fáveri, Giovana Bossa
  • Engenharia:Métrica engenharia
  • Cidade:Rio Tavares
  • País:Brasil
Mais informaçõesMenos informações

Descrição enviada pela equipe de projeto. O projeto do espaço cultural Casa Ventana foi desenvolvido para substituir a garagem da residência de artistas por uma escola de corporalidades e um espaço de apresentações. Algumas premissas condicionaram as escolhas projetuais: durabilidade e resistência devido à necessidade estética de representar uma edificação segura; relação com entorno imediato; tempo de execução e restrição orçamentária. No terreno funcionam a casa cultural e a casa moradia onde habitam os artistas.

© Camila Alba Costa Curta
© Camila Alba Costa Curta

A casa moradia pré-existente no local feita de madeira pré-moldada é voltada em si. Dessa forma a casa cultural se impõe em forma e dimensão para indicar onde é o lugar que recebe o público. Entre as edificações está o ponto mais alto da nova edificação, com 7m de altura, o paredão de concreto define o limite físico entre morar e praticar. A forma triangular foi definida para criar a cobertura com apenas uma água que encaminha a vazão da chuva para a parte permeável do terreno.

© Camila Alba Costa Curta
© Camila Alba Costa Curta
Planta baixa
Planta baixa
© Camila Alba Costa Curta
© Camila Alba Costa Curta

Nela optou-se pelo uso da telha metálica por permitir uma menor inclinação fazendo com que o ponto médio onde são pendurados os equipamentos circenses alcance uma altura maior. Os fechamentos e aberturas foram pensados de acordo a implantação. Dessa forma duas fachadas localizadas ao norte foram criadas com fechamento em placas de concreto visando fechar-se ao maior período de incidência solar e definir a forma e materialidade da edificação. Voltadas ao sul as outras fachadas se abrem ao máximo para o exterior conectando a edificação com a vegetação do entorno. Nestas fachadas aproveita-se das amplas aberturas para utilizar ao máximo a iluminação natural e os ventos recorrentes.

© Camila Alba Costa Curta
© Camila Alba Costa Curta
Corte transversal
Corte transversal
© Camila Alba Costa Curta
© Camila Alba Costa Curta

As esquadrias têm papel importante de diálogo entre espaço interno e externo, sua materialidade traz organicidade, permeabilidade e leveza em contraponto à robustez e o peso do concreto. Feitas em madeira por um artesão são fechadas com telhas de policarbonato o que permite que sejam leves e facilmente manuseadas. A escolha do material ao invés do vidro reduziu consideravelmente o valor da obra. As aberturas basculantes funcionam com sistema de cordas e as portas-janelas servem como cobertura para a ampliação do espaço interno. A necessidade de um espaço amplo para as atividades corporais permite diferentes formas de ocupá-lo tanto nas aulas como nas apresentações.

© Camila Alba Costa Curta
© Camila Alba Costa Curta

Para dimensionar o espaço estudou-se a amplitude dos movimentos, devido à ocupação na superfície horizontal e também no vazio vertical utilizado pelos corpos nos equipamentos aéreos. Ao entrar o usuário deve tirar os sapatos, não existe separação de ambientes, tudo é sala de aula, tudo é palco, tudo é platéia. O calor e a textura da madeira do chão convidam todos a sentar, misturarem-se à cena iluminada pelo sol do fim do dia. Ao fundo se vê a vegetação distorcida pelo formato arredondado das telhas definindo um limite sutil entre espaço interno e externo. A cabeça acompanha o corpo dançante, chão, paredes, teto observa-se todo o espaço em pouco tempo, domina-se o espaço com o olhar, o cheiro e o tato. Fecham-se as “ventanas”: se concretiza o diálogo entre copo, natureza e arquitetura.

© Camila Alba Costa Curta
© Camila Alba Costa Curta

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Rio Tavares, Florianópolis - State of Santa Catarina, Brasil

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Casa Ventana / Bloco B arquitetura + Arquitetura Bossa" 30 Abr 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/938546/casa-ventana-bloco-b-arquitetura-plus-arquitetura-bossa> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.