Bloco residencial Monzon / Domper Domingo Arquitectos

Bloco residencial Monzon / Domper Domingo Arquitectos

© Simón García© Simón García© Simón García© Simón García+ 10

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  4543
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fotógrafo Fotografias:  Simón García
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Cortizo, GLS prefabricados, Geo Hidrol, Luxiona, Terapia Urbana
  • Arquitetos Responsáveis:Miguel Domper, Nuria Domingo
  • Construção Edifício:Hidalgo Navarro Hinaco SL
  • Construção Praça:Equipamiento Blaslo
  • Cálculo Estrutural:Manrique Matute estructuras
  • Equipe De Projeto:Diana López, Cristina Talón, Carlos Orteu, Daniel Aljaro
  • Cidade:Monzón
  • País:Espanha
Mais informaçõesMenos informações
© Simón García
© Simón García

Descrição enviada pela equipe de projeto. O edifício se desenvolve em um bloco de residências multifamiliar, organizado em quatro pavimentos acima do solo e dois pavimentos abaixo do solo. O bloco é composto por 15 residências localizadas no térreo e demais pavimentos elevados; por três locais no térreo e semi-subsolo; e por uma área de garagens e depósito localizada no semi-subsolo e subsolo. A estratégia de projeto nasce das três condicionantes fundamentais impostas pela implantação: a situação urbana de limite, a diferença de nível entre os acessos e a preservação do valor histórico-patrimonial do edifício preexistente. Frente a tais condicionantes, se estabelecem os critérios ou ações de projeto:

© Simón García
© Simón García

A situação limite é resolvida procurando a permeabilidade dessa condição; um novo "ponto de contato" foi criado entre a nova cidade (Avda. del Pilar) e a cidade antiga (Miguel Servet). Esta nova abertura tenta melhorar a situação de isolamento da área central da rua Miguel Servet (evidente na falta de comércio, de moradias ocupadas, etc). A ideia de tornar o edifício permeável ao tráfego de pedestres deve ser compatibilizada com a diferença de nível entre as cotas das duas vias. Para tanto, este "cruzamento" será tratado procurando a dimensão urbana da sequência de elementos que o compõem: a passagem, a praça (pátio), os degraus (escadas) e os terraços (patamares). Esta sequência que atravessa o edifício reforça a ideia de continuidade do espaço urbano e, portanto, a permeabilidade do limite.

© Simón García
© Simón García
Planta
Planta
© Simón García
© Simón García

Por outro lado, a intervenção pretende valorizar a edificação preexistente; não só como um restauro material das fachadas, mas também como um "voltar a habitar" a edificação para seu uso original (casa nobre), entendendo a essência de seus elementos e resgatando-os ao estado de "carga de uso" para que foram construídos. Esta estratégia deriva várias decisões concretas de projeto: manter a "essência espacial" da casa nobre e valorizar as fachadas. Antes do desenvolvimento de um espaço destinado ao uso público, valorizou-se a possibilidade de consolidar este espaço com a edificação anexa à Casa Torrero considerada em uma fase de projeto do mesmo por parte da propriedade. Hoje em dia, é possível relacionar o esvaziamento deste espaço para uso público com a evolução histórica da cidade, valorizando o antigo traçado da muralha cristã medieval.

© Simón García
© Simón García

Um dos principais pontos a se levar em conta no desenvolvimento do projeto é a presença da muralha cristã medieval no limite norte da região, a parte mais alta da muralha situa-se à mesma altura altimétrica da calçada da Avenida del Pilar. Sendo um espaço entendido como uma ampliação a Avenida, e dando vazão ao fluxo de pedestres em direção à rua Miguel Servet, e voltando-se ao interior do Edifício Torrero, implanta-se uma plataforma coincidente com a inclinação atual da Avenida del Pilar, com a mesma pavimentação utilizada no espaço externo no térreo do edifício Torrero, que conecta com a rua Miguel Servet, para dar continuidade ao fluxo de pedestres proposto.

© Simón García
© Simón García

Sobre essa plataforma e com o objetivo de poder visualizar a muralha existente, antiga base de fundação do edifício, gerou-se um plano a uma altura inferior, simulando a escavação do terreno, para poder ver a fundação do edifício, e isso foi possível a partir de taludes que incluirão o mobiliário urbano de tal espaço. Na intersecção entre a plataforma contínua de pavimento em azulejo boira colorido e a escavação pavimentada com borracha contínua, surge um elemento que será o mobiliário urbano, nascido como um revestimento vertical, com uma altura máxima de 60 cm no ponto mais alto, materializado com uma folha de material metálico como o aço Corten.

© Simón García
© Simón García

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Av. Ntra. Sra. del Pilar, 7, 9, 22400 Monzón, Huesca, Espanha

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Bloco residencial Monzon / Domper Domingo Arquitectos" [Bloque viviendas Monzon / Domper Domingo Arquitectos] 18 Dez 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/930226/bloco-residencial-monzon-domper-domingo-arquitectos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.