Ampliar imagem | Tamanho original
O edifício se desenvolve em um bloco de residências multifamiliar, organizado em quatro pavimentos acima do solo e dois pavimentos abaixo do solo. O bloco é composto por 15 residências localizadas no térreo e demais pavimentos elevados; por três locais no térreo e semi-subsolo; e por uma área de garagens e depósito localizada no semi-subsolo e subsolo. A estratégia de projeto nasce das três condicionantes fundamentais impostas pela implantação: a situação urbana de limite, a diferença de nível entre os acessos e a preservação do valor histórico-patrimonial do edifício preexistente. Frente a tais condicionantes, se estabelecem os critérios ou ações de projeto: A situação limite é resolvida procurando a permeabilidade dessa condição; um novo "ponto de contato" foi criado entre a nova cidade (Avda. del Pilar) e a cidade antiga (Miguel Servet). Esta nova abertura tenta melhorar a situação de isolamento da área central da rua Miguel Servet (evidente na falta de comércio, de moradias ocupadas, etc). A ideia de tornar o edifício permeável ao tráfego de pedestres deve ser compatibilizada com a diferença de nível entre as cotas das duas vias. Para tanto, este "cruzamento" será tratado procurando a dimensão urbana da sequência de elementos que o compõem: a passagem, a praça (pátio), os degraus (escadas) e os terraços (patamares). Esta sequência que atravessa o edifício reforça a ideia de continuidade do espaço urbano e, portanto, a permeabilidade do limite. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar