Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Centro Comunitário Hakka Triangle House / TEAM_BLDG

Centro Comunitário Hakka Triangle House / TEAM_BLDG

© Eiichi Kano © Eiichi Kano © Jonathan Leijonhufvud © Eiichi Kano + 28

Guangzhou, China
  • Arquitetos: TEAM_BLDG
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 1200.0 m2
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2019
  • Fotógrafo Fotografias: Eiichi Kano, Jonathan Leijonhufvud
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: PAK, WEIXUCHENG GLASS, ZIIQE
  • Arquiteto responsável

    Lei Xiao
  • Equipe de projeto

    Lei Xiao, Yi Cao, Pedro Manzano Ruiz, Eleonora Nucci
  • Engenharia

    AND Office / Zhang Zhun
  • Colaborador

    BXHH Architects
  • Cliente

    Poly Group
Mais informações Menos informações
© Eiichi Kano
© Eiichi Kano

Descrição enviada pela equipe de projeto. O novo Centro Comunitário de Jiangpu está localizado no Distrito de Conghua, na cidade de Guangzhou, a noroeste de Hong Kong. O edifício, chamado de “The Hakka Triangle House”, foi concebido para abrigar uma série de espaços de encontro e lazer e conta como um vasto programa de atividades voltado aos moradores desta pequena localidade na província de Guangdong. O estúdio de arquitetura de Xangai responsável pelo projeto, o TEAM_BLDG, foi responsável também pelo projeto de interiores o quais foram inspirados pela arquitetura vernacular chinesa. O resultado disso é um edifício profundamente vinculado ao contexto local, um projeto que faz referência à tradicional tipologia de habitação dos povos Hakka (Hacá), chamada de Wei Long Wu ou Casa do Dragão.

© Eiichi Kano
© Eiichi Kano

“Wei Long Wu” ou simplesmente “Long Wu”, é uma tipologia arquitetônica característica das diversas regiões da China onde floresceu a cultura Hacá, principalmente na província de Guangdong e é uma forma bastante simples de habitação unifamiliar. A construção da Casa do Dragão se utiliza de solo compactado ou paredes de adobe, estruturas maciças que contem uma série de espaços semi-circulares concêntricos que servem à diversas funções. No projeto para o Centro Comunitário de Jiangpu, os arquitetos buscaram transcender as formas da arquitetura Hakka, rompendo com o layout tradicional das casas Long Wu. Isso significa que a geometria do espaço foi transgredida, transformando os vários semicírculos em triângulos. Porém, manteve-se o mesmo conceito, apropriando-se da repetição de suas formas geométricas e a organização programática do layout do edifício, enfatizando a profundidade e a integração entre os diversos espaços interiores. A configuração formal do edifício, finalmente, acaba por criar uma sensação de sobreposição de camadas, espaços sequenciais profundamente articulados e integrados.

© Eiichi Kano
© Eiichi Kano

Os arquitetos se esforçaram para criar um edifício que integrasse a cultura tradicional aos valores modernos, empregando novas tecnologias e materiais, para por fim, criar uma nova arquitetura Hakka, substituindo um espaço tradicionalmente recluso e introspectivo por um espaço aberto e integrado.

© Jonathan Leijonhufvud
© Jonathan Leijonhufvud

Tradicionalmente, a arquitetura Hakka encontra-se profundamente imersa na exuberante natureza das florestas chinesas. O edifício do novo Centro Comunitário, por sua vez, é uma estrutura de dois pavimentos que busca uma estreita relação com o seu contexto: a cobertura leve do edifício, como a copa de uma árvore, fornece sombra e proteção aos usuários, assim como as incontáveis colunas de aço parecem troncos que se espalham pela floresta. O espelho d'água do lado de fora do edifício ajuda a suavizar a geometria aguda do edifício. Grandes superfícies de vidro, cercadas por espaços verdes, redefinem a relação entre o interior e o exterior, entre arquitetura e paisagem.

© Eiichi Kano
© Eiichi Kano

Um beiral pra lá de generoso dá as boas-vindas aos visitantes. No interior, a maioria dos espaços conta com um pé direito duplo de dez metros de altura. As amplas superfícies de vidro da fachada proporcionam uma experiência visual de completa transparência, como se não existissem limites claros entre o espaço construído e a natureza. Dentro de um layout aberto e integrado, as diferentes funções foram sofisticadamente encaixadas para separar e organizar os espaços sem romper com a integridade geral do edifício: a área de descanso foi rebaixada no piso, as grandes prateleiras de madeira encontram-se suspensas e atirantadas na cobertura, os espaços de reunião foram implantados entre os vazios das escadas enquanto as áreas privativas encontram-se no segundo pavimento.

© Jonathan Leijonhufvud
© Jonathan Leijonhufvud

A área rebaixada serve também para conter o espelho d'água, criando uma analogia ao tradicional pátio da arquitetura Hakka, o qual serve para coletar e armazenar a água da chuva. Esta superfície d'água não apenas reflete as variações de luz e sombra, mas serve também para criar harmonia entre a geometria da arquitetura e a suavidade das formas da natureza.

© Jonathan Leijonhufvud
© Jonathan Leijonhufvud

O principal espaço de encontro e socialização é caracterizado por um ambiente aberto e acolhedor, enfatizando a profundidade e a transparência dos espaços do edifício. Ao lado deste lounge encontra-se o café, o qual se conecta à área de leitura definida pela grande estante de madeira. O mobiliário suspenso funciona como um elemento de conexão entre os dois pavimentos, integrando os espaços de leitura do térreo e do pavimento superior, aquele mais aberto e este mais reservado.

© Jonathan Leijonhufvud
© Jonathan Leijonhufvud

Uma escada em espiral atravessa suavemente este espaço geométrico, um objeto que dispensa o uso de estruturas robustas devido ao preciso cálculo de seus elementos de aço, apresentando-se de forma elegante e equilibrada. Através dela, os visitantes têm acesso à sala VIP e aos escritórios administrativos além de poder apreciar as pitorescas vistas emolduradas por estes imensos planos de vidro.

© Eiichi Kano
© Eiichi Kano
© Jonathan Leijonhufvud
© Jonathan Leijonhufvud

Inteligentemente, o mobiliário suspenso de madeira foi implantado junto à fachada sul, projetando sombra e protegendo os espaços interiores da luz direta, contribuindo também para com a organização do programa. Estas enormes estantes acolhem ainda pequenos espaços para reuniões, estantes de livros e a área do café. Este elemento vertical enriquece a geometria rígida do edifício, ecoando de dentro para fora enquanto conecta os espaços do térreo e do primeiro pavimento.

© Jonathan Leijonhufvud
© Jonathan Leijonhufvud
© Eiichi Kano
© Eiichi Kano

Ao abordar a arquitetura contemporânea a partir de uma profunda compreensão da tradicional tipologia Hakka, os arquitetos foram capazes de conceber um edifício que se encaixa de forma sutil e eficiente neste cenário único. Os valores tradicionais da arquitetura Hakka foram incorporados e adaptados para criar um edifício extremamente contemporâneo. Seus espaços foram concebidos de foram integrada e contínua, proporcionando uma experiência única para os moradores e visitantes, reinterpretando as tradicionais formas da arquitetura Hakka em um espaço leve, fluido e integrado.

© Jonathan Leijonhufvud
© Jonathan Leijonhufvud

Galeria do Projeto

Ver tudo Mostrar menos

Localização do Projeto

Endereço: Rodovia Guancun, Localidade de Jiangpu, Distrito de Conghua, Cidade de Guangzhou, Província de Guangdong, China

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Centro Comunitário Hakka Triangle House / TEAM_BLDG" [The Hakka Triangle House / TEAM_BLDG] 02 Dez 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/929341/centro-comunitario-hakka-triangle-house-team-bldg> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.