Exposição "Casas Paulistas: 2000 - 2017" explora o espaço do sonho na arquitetura paulista

Exposição "Casas Paulistas: 2000 - 2017" explora o espaço do sonho na arquitetura paulista

O Campus Universitario di Matera inaugura hoje, 5 de junho, a exposição Casas Paulistas: 2000 - 2017. A mostra faz parte de uma série de exibições brasileiras na capital europeia da cultura de 2019. Com curadoria de Romullo Baratto e concepção de Ruben Otero, a exposição reúne 12 projetos de residências paulistas construídas a partir da virada do século.

É possível identificar em São Paulo, talvez mais que em qualquer outro lugar do Brasil, uma prática arquitetônica singular, pautada por algumas ideias que têm origem décadas atrás e cujo debate não raro levanta nomes bem conhecidos. Tendo João Vilanova Artigas como figura mais proeminente, a arquitetura paulista — e sobretudo paulistana — da segunda metade do século passado fincou raízes profundas que nutrem e informam a produção contemporânea.

Jardim central da Casa Taques Bittencourt, Carlos Cascaldi e João Vilanova Artigas, 1959. Foto: © Nelson Kon
Jardim central da Casa Taques Bittencourt, Carlos Cascaldi e João Vilanova Artigas, 1959. Foto: © Nelson Kon

A influência que transpassa décadas e adentra o século XXI é facilmente identificável no programa doméstico. As casas reunidas na exposição — projetadas por SPBR, MMBB, SIAA, GrupoSP, Ana Longato e Ciro Pirondi, Apiacás, Brasil Arquitetura, Andrade Morettin, UNA, Obra, Terra e Tuma, e Drucker Arquitetura — apresentam congruências com a produção dos anos 1960, aspecto especialmente notado em um elemento chave: o pátio, jardim interno ou vazio central.

Chamados por Marlene Milan Acayaba de "espaços de convite ao sonho", estes pátios e vazios centrais articulam as obras exibidas na mostra, constituindo um conjunto coerente que, de alguma forma, sintetiza a produção contemporânea paulista —  que, embora influenciada por ideias do passado, carece do componente ideológico presente naquela arquitetura.

Vazio central da Casa Olga Baeta, Carlos Cascaldi e João Vilanova Artigas, 1957. Foto: Cortesia de Acervo Vilanova Artigas
Vazio central da Casa Olga Baeta, Carlos Cascaldi e João Vilanova Artigas, 1957. Foto: Cortesia de Acervo Vilanova Artigas

Distantes do “sonho” político entranhado nas residências paulistas dos anos 60, que priorizavam um projeto social em detrimento de sua forma e caráter simbólico, estas casas contemporâneas parecem, entretanto, guardar algumas semelhanças com aquela produção, notadamente, em relação a aspectos plásticos e compositivos. Os sonhos já não são os mesmos, porém, o espaço do devaneio conserva-se enquanto desígnio.

Ficha técnica

  • Concepção: Ruben Otero
  • Curadoria: Romullo Baratto
  • Produção e preparação de imagens: Nicholas de Almeida Rottmann
  • Projeto gráfico e diagramação: Três Design

  • Título

    Casas Paulistas: 2000 - 2017
  • Tipo

    Exposição
  • De

    05 de Junho de 2019 06:30 PM
  • Até

    13 de Junho de 2019 06:30 PM
  • Onde

    Campus Universitario di Matera
  • Endereço

    Campus Universitario, via Lanera 20, Matera, Italia

Este evento foi enviado por um usuário de ArchDaily. Se você quiser, pode também colaborar utilizando "Enviar um evento". As opiniões expressas nos anúncios enviados pelos usuários archdaily não refletem necessariamente o ponto de vista de ArchDaily.

Cita: "Exposição "Casas Paulistas: 2000 - 2017" explora o espaço do sonho na arquitetura paulista" 05 Jun 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/918533/exposicao-casas-paulistas-2000-2017-explora-o-espaco-do-sonho-na-arquitetura-paulista> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.