O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Turismo
  4. Portugal
  5. Diogo Aguiar Studio
  6. 2018
  7. Edifício para Enoturismo / Diogo Aguiar Studio

Remodelaçao

Apresentado por the MINI Clubman

Edifício para Enoturismo / Diogo Aguiar Studio

  • 05:00 - 13 Março, 2019
Edifício para Enoturismo / Diogo Aguiar Studio
Edifício para Enoturismo / Diogo Aguiar Studio, © Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

© Fernando Guerra | FG+SG © Fernando Guerra | FG+SG © Fernando Guerra | FG+SG © Fernando Guerra | FG+SG + 29

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Descrição enviada pela equipe de projeto. Situada em Penafiel, Portugal, a Quinta da Aveleda é uma das principais produtoras de vinho verde do país e goza de um patrimônio edificado invulgar rodeado por belíssimos jardins. A criação de um espaço inteiramente dedicado ao enoturismo foi pensada no coração da quinta, no interior de um antigo edifício agrícola – o Edifício da Eira – deixando intacto o seu piso inferior – a Adega Velha.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

O projeto de reconversão assenta numa leitura das potencialidades espaciais do edificado pré-existente e aposta na vivência do espaço como um percurso visitável em três atos. Em oposição à densa compartimentação originalmente existente, o edifício organiza-se agora numa sucessão de espaços em contínuo, formalmente relacionados com a volumetria do edificado e que, desenhando uma simetria ausente, vão definindo o desenvolvimento do programa no tempo: a sala de provas (complementada pela copa) – numa das alas laterais –; a vinoteca e a mezzanine – no volume central –; e a loja – na restante ala lateral;

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG
Planta Térreo
Planta Térreo
© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

A sala de provas reforça o carácter longitudinal desta ala do edifício através da organização linear das mesas de provas, que promovem até cem lugares sentados; A vinoteca é o espaço de transição entre a sala de provas e a loja, dando também acesso à mezannine. Pretende ser um espaço experiência, dedicado à exposição de vinhos especiais. Cromaticamente distinto, este é um espaço de ruptura que procura criar um ambiente intimista.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Este espaço está intrinsecamente relacionado com a mezannine, que se organiza em dois espaços elevados sobre o piso térreo e um passadiço que os conecta, permitindo uma leitura dominante dos espaços adjacentes. A característica luz deste espaço é filtrada pelas portadas com lâminas fixas em madeira, preexistentes, enquanto a decoração recorre sobretudo a elementos preexistentes em outros espaços da Quinta. Por fim, a loja aposta numa disposição central do mobiliário fixo, libertando, à semelhança da sala de provas, as paredes periféricas do edifício que assim recebem também, entre os vãos que pautam o seu ritmo, memórias fotográficas e escritas e objetos.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Intrínseco ao novo desenho do espaço, está portanto o seu entendimento como espaço-museu enquanto oportunidade espácio-temporal para narrar a história da família que há cinco gerações produz vinho verde naquela região. Recuperando o espírito tradicional das madeiras pintadas – que se pode encontrar em muitas quintas do norte do país –, a intervenção socorre-se a uma composição clássica entre duas cores, o bege e o castanho – que também já existia noutros edifícios da Quinta da Aveleda –, atribuindo-lhe, desta vez, um maior dramatismo e contemporaneidade pela assunção de um forte contraste cromático entre diferentes espaços em diálogo direto.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG
Corte 1
Corte 1
© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Ao nível estrutural, importará dizer que, por impossibilidades técnicas, não foi possível manter as asnas originais do edifício: as do corpo central, asnas esbeltas em tesoura sem linha, já não se encontravam no ideal estado de conservação; e as das alas laterais já haviam sido adulteradas para asnas de tijolo armado. Nesse sentido, recuperou-se o desenho invulgar das asnas em tesoura sem linha em madeira – inicialmente apenas existentes no volume central do edifício – e adaptou-se esse mesmo desenho para os corpos mais baixos do edifício.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Ao mesmo tempo que libertam um maior pé-direito dando a sensação de uma maior amplitude espacial, estas asnas invulgares assumem uma iconografia singular, caracterizante deste edifício particular, diferenciando-o dos demais. Concluindo, toda a intervenção espacial assenta no reforço da identidade do edifício, pela potenciação do seu carácter longitudinal, pela simulação de uma simetria inexistente, pela reinterpretação do seu desenho inicial, pela reintegração de elementos originários, recuperando-se a essência vernacular de uma casa de quinta e dotando, subtilmente, o edifício de novas valências, nomeadamente ao nível do conforto térmico (isolamento e AVAC) e acústico.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Ver a galeria completa

Localização do Projeto

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Edifício para Enoturismo / Diogo Aguiar Studio" 13 Mar 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/913029/edificio-para-enoturismo-diogo-aguiar-studio> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.