Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Chile
  5. Iván Bravo
  6. 2016
  7. Casa Zupe / Iván Bravo + Bruno Giliberto

Casa Zupe / Iván Bravo + Bruno Giliberto

  • 21:00 - 17 Janeiro, 2019
  • Curadoria de Danae Santibañez
  • Traduzido por Vinicius Libardoni
Casa Zupe / Iván Bravo + Bruno Giliberto
Casa Zupe / Iván Bravo + Bruno Giliberto, © Aryeh Kornfeld
© Aryeh Kornfeld

© Aryeh Kornfeld © Aryeh Kornfeld © Aryeh Kornfeld © Aryeh Kornfeld + 20

© Aryeh Kornfeld
© Aryeh Kornfeld

Descrição enviada pela equipe de projeto. Palimpsesto é a denominação utilizada para descrever os manuscritos elaborados a mais de 1000 anos - por volta do século VII d.C. Estes raros documentos acumulavam dezenas de histórias sobrepostas, ainda que invisíveis, isso porque as informações anteriores eram apagadas para que fosse possível voltar a escrever sobre eles.

© Aryeh Kornfeld
© Aryeh Kornfeld

A escrita, algo novo naquele momento, era impressa e reimpressa continuamente uma sobre a outra, o que muitas vezes, resultava em uma sobreposição de decalques ou histórias, testemunhas do passado que insistiam em perdurar no tempo, criando um elemento misto e ambíguo.

O projeto da Casa Zupe é como um palimpsesto arquitetônico, uma nova história escrita sobre presenças de um passado ausente.

© Aryeh Kornfeld
© Aryeh Kornfeld
Planta - 1° pavimento
Planta - 1° pavimento
© Aryeh Kornfeld
© Aryeh Kornfeld

Junto ao chão, o piso existente foi mantido para conservar a projeção da antiga casa, um plano horizontal sobre um terreno inclinado. A sua presença, marcante na paisagem, foi o ponto de partida, a pedra fundamental sobre a qual se ergue o novo monumento. As fundações existentes pautaram a implantação dos novos elementos, fazendo com que a antiga geometria se fizesse presente através de novas formas.

© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

A casa, pensada como um palimpsesto, assume e interpreta as impressões deixadas pelo texto anterior para escrever uma nova história. Seus volumes e perspectivas, seus muros e vãos são resultado dessa relação ambígua com o passado, recriados a partir de suas reminiscências. 

© Aryeh Kornfeld
© Aryeh Kornfeld

Sobre os sedimentos do passado, a casa se mantém silenciosa, respeitando a memória daquela que deixou seu lugar para assistir o seu nascimento, uma fusão entre o novo e o velho em um só corpo.

© Aryeh Kornfeld
© Aryeh Kornfeld

A base da casa, que se ergue sobre as fundações e plataformas existentes, brota do solo como um sarcófago recém escavado, um pódio, um monumento que celebra o passado e o presente em uma intrincada trama de cheios e vazios, um espaço que emoldura sucessivamente as belas vistas para o vale e nutre os espaços interiores com luz natural.

Cortes
Cortes

O silêncio de suas formas colabora para amplificar a potência de seus detalhes. Os materiais se encarregam de criar uma atmosfera ainda mais nostálgica em relação ao lugar. Portas, janelas, móveis, forros, pisos, muros; cada elemento faz parte de um elaborado catálogo de elementos definidos com nitidez e precisão, articulando uma contraste entre sua ordem silenciosa e a complexidade de seus componentes.

© Aryeh Kornfeld
© Aryeh Kornfeld

Como uma irmã gêmea, a Casa Zupe incorpora as pré-existências como um legado do passado, uma ordem topográfica, como uma plataforma que nos permite ver além de nós mesmos. Por outro lado, ela é uma espécie de transcrição daquilo que foi apagado, como um palimpsesto do século VII.

© Bruno Giliberto
© Bruno Giliberto

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Cita: "Casa Zupe / Iván Bravo + Bruno Giliberto" [Casa Zupe / Iván Bravo + Bruno Giliberto] 17 Jan 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/909462/casa-zupe-ivan-bravo-plus-bruno-giliberto> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.