Apartamento Sardenya / Raúl Sánchez

Apartamento Sardenya / Raúl Sánchez

© José Hevia© José Hevia© José Hevia© José Hevia+ 30

  • Arquitetos: Raúl Sánchez
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  75
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fotógrafo Fotografias:  José Hevia
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Cosentino, Acor, DomesticoShop, ICONICO, Nivito
© José Hevia
© José Hevia

Descrição enviada pela equipe de projeto. O estado inicial do apartamento materializava um modo de habitar que era incompatível com os requerimentos do novo proprietário. Esses novos requerimentos, mesmo partindo da convencionalidade doméstica, conferiam suficiente liberdade para tratar a nova moradia de uma maneira menos rígida. Portanto, a nova proposta parte da demolição total da situação pré-existente, respeitando unicamente o sistema estrutural (por motivos técnicos e econômicos).

© José Hevia
© José Hevia
Planta
Planta
Maquete 01
Maquete 01

A proposta implementa dois elementos em forma de "L" que englobam as funções que o novo proprietário, um homem solteiro, requeria com certa independência: o primeiro "L", orientado ao acesso, abriga a cozinha e o segundo acolhe os dormitórios com banheiro. O restante do espaço é criado de forma que seja possível fluir livremente por seu interior, para potencializar ao máximo a sensação de espacialidade e abolir os limites entre habitações: por exemplo, tanto o dormitório como o banheiro de hóspedes são fechados com grandes portas pivotantes superdimensionadas, de piso a teto, sem esquadrias perimetrais. Isto significa que os recintos não são interrompidos quando chegam às portas mas que, ao abrirem-se, a comunicação é total estendendo os espaços comuns à essas estâncias cujo uso é previsto como ocasional, evitando que permaneçam fechadas e residuais. 

© José Hevia
© José Hevia

A área de estudos é, igualmente, um lugar ambíguo que se conecta aos espaços comuns por meio de uma nova porta pivotante, similar às anteriores mas em vidro que, por sua vez, se relaciona ao dormitório com duas portas de correr que não chegam até o teto e que, com seus diferentes tipos de vidro, desenham figuras sobrepostas que esfumaçam os eixos dominantes das habitações. 

© José Hevia
© José Hevia

Esse tratamento espacial de disfarçar os limites é o mesmo com o qual são tratados os dois elementos em "L" mencionados anteriormente: a cozinha está voltada para a entrada, mas também se separa dela com uma divisória independente, acompanhada por um grande espelho que disfarça o corredor estreito da cozinha; e, simultaneamente, abre-se para a sala de estar/jantar por meio de uma ilha que sobrepassa seus limites. Da mesma forma, o dormitório foi desfeito em vários ambientes; sua antessala é a área de estudos, relacionada com a parte que contém a cama (separada pelas portas de vidro, mas conectada pela parte superior das mesmas). Desde o dormitório se acessa o banheiro da suíte, espaço mais recluso e privativo. 

© José Hevia
© José Hevia

O tratamento material acompanha o conceito espacial, insinuando a posição de cada uso em ambientes que não possuem limites definidos. Apesar da cozinha estar alojada em um espaço mais ou menos reconhecível, sua materialidade é escura com detalhes dourados (torneira, pia) que contrastam com as superfícies negras; as grandes portas pivotantes do dormitório de hóspedes são em laca negra e seu puxadores de metal, marcando a interrupção dos elementos brancos; o banheiro da suíte é completamente negro misturando cerâmica, granito, microcimento e esmalte negro, com torneiras, pia e demais acessórios todos igualmente em preto. 

© José Hevia
© José Hevia

O banheiro dos hóspedes, por sua vez, recebe um tratamento oposto, aqui o granito, o microcimento e os esmaltes são brancos, ainda que os acessórios foram mantidos em negro. As portas, pivotantes e de correr, são de ferro e vidro e recebem peças que marcam os eixos do projeto, mas também as áreas de privacidade e aquelas mais visíveis. As luminárias são alternadas entre branco e negro; os móveis desenhados são de madeira laqueada branca e todos os puxadores são pretos. Inclusive o novo pavimento do terraço exterior, cujos parâmetros conservaram a cor original, marcam uma faixa perimetral de microcimento branco que, no seu interior, recebe um fragmento de cerâmica preta, como um tapete exterior. 

© José Hevia
© José Hevia

Duas faixas metálicas recobrem os cantos das divisórias em "L" que organizam o interior, marcando sua importância espacial e sua independência em relação ao restante dos elementos. 

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Gràcia, Barcelona, Espanha

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Apartamento Sardenya / Raúl Sánchez" [Apartamento Sardenya / Raúl Sánchez] 19 Ago 2018. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/900431/apartamento-sardenya-raul-sanchez> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.