O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Centro De Diagnóstico
  4. Argentina
  5. MORINI Arquitectos
  6. 2016
  7. Edifício Experimenta 21 / MORINI Arquitectos

Edifício Experimenta 21 / MORINI Arquitectos

  • 21:00 - 31 Maio, 2017
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Edifício Experimenta 21 / MORINI Arquitectos
Edifício Experimenta 21 / MORINI Arquitectos, © Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

© Gonzalo Viramonte © Gonzalo Viramonte © Gonzalo Viramonte © Gonzalo Viramonte + 35

  • Arquitetos

  • Localização

    X5000IJJ,, Ituzaingó 484, Villa Nueva, Córdoba, Argentina
  • Arquitetos Autores

    Lucio Morini, Sara Gramatica, Jorge Morini
  • Arquiteto Diretor de Projeto

    Adrián Castagno
  • Arquiteto Coordenador de Obra

    Luciano Barrionuevo Demaría.
  • Área

    1550.0 m2
  • Ano do Projeto

    2016
  • Fotografias

  • Arquitetos Colaboradores

    Luciano Bonelli, Florencia Tremsal Massa, Daniel Guerrero, Cecilia Mariel Villarreal, Julia Garayoa, Mariana Pelliza, Juan Pablo Ramírez, Laura Piantoni, Adolfo Cerros, Claudia Scabuzzo.
  • Concreto Deslizante

    Fragueiro & Novillo Ings.
  • Cálculo estrutural e fundações

    Eng. Juan Ferreyra
  • Cálculo estrutura metálica

    Arq. Hugo Pasetti
  • Termomecânica

    Miguel Carando
  • Elevadores

    Eng. Miguel Toledo
  • Instalação Elétrica

    Eng. Alberto Perelló
  • Instalação Contra-Incêndio

    Arq. Javier Camandona
  • Materialização Concreto da Fachada

    Víctor Barrera
  • Mais informações Menos informações
© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

Descrição enviada pela equipe de projeto. A Torre Experimenta 21 e um novo anfiteatro aberto somam-se agora a uma série de edifícios executados em uma alameda completamente desenvolvida, delimitando o grande âmbito do "jardim" planejado pelo Plano Diretor que César Pelli desenhou em 1999, para a Universidade Século XXI.

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

O conteúdo deste novo edifício conforma um conjunto de oficinas e laboratórios onde o ensino é desenvolvido através de técnicas e tecnologias avançadas que são claramente não convencionais.

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

Consequentemente, o edifício deveria expressar tanto no seu exterior como no seu interior um caráter também não convencional e de alguma forma disruptivo. 

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

Ao mesmo tempo, deveria se manifestar como ícone visual da Universidade adotando um desenvolvimento vertical de proporções esbeltas em contraposição ao desenvolvimento horizontal do Campus, marcando claramente sua localização no perfil da cidade.

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

A imagem desenhada é a de um prisma de concreto perfurado aleatoriamente como um corpo poroso onde não é possível perceber nenhuma relação de escala.

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

Essa porosidade deixa entrever um interior luminoso e transparente no qual se desenvolve a dinâmica de todas as atividades do edifício.

Este efeito é potencializado durante a noite pelo brilho das suas perfurações irregulares recortadas sobre o fundo escuro do céu.

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

O esquema funcional é simples, elementos de circulação vertical que dão acesso a um hall com dimensões adequadas para funcionar como expansão das oficinas que se encontra à espera de um futuro crescimento.

Corte
Corte
Plantas
Plantas

Este lugar é praticamente transparente composto por dois pátios verticais. O espaço livre deixa a estrutura metálica do corredor dos elevadores e os pisos de vidro assentados sobre um tramado metálico e os transformam em um grande pátio de luz através do qual são iluminadas as oficinas, permitindo também a visibilidade do aluno em relação à diversidade de atividades que ali ocorrem.

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

A resolução técnica do edifício foi projetada sobre a base do uso não convencional de recursos disponíveis no mercado local.

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

Os problemas técnicos-econômicos que trazia sua esbeltez e a necessidade de não colocar apoios intermediários nos espaços úteis, levou a técnica do concreto deslizante que permitiu a execução de uma fachada estrutural em forma de prisma com 41 metros de altura em somente 14 dias de concretagem contínua. 

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

As lajes aparentes das oficinas, pré-fabricadas e protendidas, foram montadas sobre mísulas metálicas contínuas fixadas nas divisórias perimetrais.

O resto do edifício, incluso seu interior, foi resolvido através de uma estrutura metálica de perfis laminados montados na obra através de uniões aparafusadas que contribuem para reafirmar uma imagem próxima da oficina ativa.

O edifício foi concebido levando especialmente em conta sua eficiência energética.

Fachada
Fachada

Desde o ponto de vista da sua sustentabilidade, o desenho operou em vários aspectos. O primeiro foi possuir a maior iluminação natural com o menor ganho ou perda na temperatura. As perfurações voltadas diretamente ao exterior estão reguladas de acordo com as necessidades interiores e se complementam com a iluminação plena através de pátios interiores de temperatura controlada por meios naturais. Neste sentido, e levando em conta as condições climáticas do terreno, projetou-se na face interior dos muros de concreto, uma superfície porosa umedecida onde o ar exterior cede calor latente, se resfria e entra de forma controlada através da janelas das oficinas saindo pela parede em um elemento de evacuação também regulável.

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

Toda a água da chuva é armazenada em uma cisterna desde onde baixa pelo muros, é tratada e acumulada em uma cuba transparente que serve de cobertura para o hall de entrada e se rearticula novamente para o reservatório superior em um ciclo contínuo.

Diagrama
Diagrama

Os muros exteriores de concreto complementam sua grande inércia térmica com isolamento e revestimento interior ajudando a regular de forma natural os períodos de temperatura média.

© Gonzalo Viramonte
© Gonzalo Viramonte

Apesar do edifício possuir equipamentos de ar-condicionado, o objetivo é que seu uso seja mínimo e somente em situações de temperaturas extremas.

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
MORINI Arquitectos
Escritório
Cita: "Edifício Experimenta 21 / MORINI Arquitectos" [Edificio Experimenta 21 / MORINI Arquitectos] 31 Mai 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/872519/edificio-experimenta-21-morini-arquitectos> ISSN 0719-8906