O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Índia
  5. unTAG
  6. 2016
  7. Vrindavan / unTAG

Vrindavan / unTAG

Vrindavan / unTAG
Vrindavan / unTAG, © unTAG
© unTAG

© unTAG © unTAG © unTAG © unTAG + 26

  • Arquitetos

  • Localização

    Ozram Baudhwadi, Índia
  • Arquitetos do projeto

    Gauri Satam, Tejesh Patil
  • Área

    93 m2
  • Ano do projeto

    2016
  • Fotografias

© unTAG
© unTAG

Descrição enviada pela equipe de projeto. Vrindavan é uma modesta residência rural de 93 metros quadrados, localizada dentro de uma fazenda de 2,5 hectares que é fiel a seu sentido mitológico sânscrito. Trata-se de uma casa de retiro para um casal de 60 anos em sua terra natal, Ozram, Maharashtra, Índia, em uma tranquila fazenda, preciosa para os dois como um hobby nos últimos 15 anos, com suas plantações de manga, castanhas de caju, sapoti, jaca e palmeiras. Sua única síntese possível é uma humilde residência próxima à natureza. Sua única limitação, um orçamento reduzido de aproximadamente 15 mil dólares, o que significava construir a casa a 160 dólares por metro quadrado.

© unTAG
© unTAG

Nosso objetivo era projetar uma residência indígena econômica, que pudesse se relacionar com a escala humana, onde a experiência de habitar devesse ser priorizada em relação à forma.

Planta
Planta

Em nossa primeira visita ao local, encontramos uma árvore de mangas morta sobre uma quadrícula bem definida de 1,8 m2 onde existiam plantações de manga e sapoti. Instintivamente sentíamos que a casa se implantaria perfeitamente aqui, dentro de uma área densamente arborizada com uma vista distante da colina. A casa apropriou-se das vistas das copas das árvores, verdes e exuberantes, estabelecendo uma conexão entre o interior-exterior ao mesmo tempo que mantendo a privacidade entre as partes. O projeto foi desenhado como uma série de 3,6 metros de espaços decrescentes, desde um dormitório privado com sanitário, até um amplo espaço com ventilação cruzada, e a uma galeria que tem vistas à colina. A sala de estar e o dormitório se fundem em um único espaço durante o dia, criando a sensação de uma área modular maior. A entrada da casa é demarcada através de um fino e leve vestíbulo, que conecta a casa principal à cozinha. Essa possui um pátio de serviços para o desi chulas (um fogão rural), que é interrompido por uma pedra Jali, que fornece sombra enquanto magicamente transforma o espaço todo durante o dia. A casa descende gradualmente, seguindo a topografia local, concluindo um volume de 1,3 metros de altura -da varanda-, que oferece uma vista tranquila do entardecer por trás das montanhas distantes.

© unTAG
© unTAG
Isométrica
Isométrica

Chira (laterite), uma pedra indígena econômica obtida em uma pedreira a 3 km de distância, é o corpo formador da casa, ao ser utilizada como o principal elemento estrutural no projeto. Trata-se de uma pedra porosa que foi colocada com argamassa de cimento e cal, e que comporta-se como uma cerâmica de barro. Mantêm a temperatura interna 4-5 graus mais baixa do que a do ar exterior e também permite suportar as monções do oeste que predominam no cinturão de Konkan. A sombra, uma parte inerente a uma residência tropical, encontra-se garantida através dos grandes balanços das telhas de terracota -disponíveis localmente- que apoiam-se em uma estrutura inclinada de metal. As portas-janelas foram feitas à mão em madeira de teca e jaqueiras locais recuperadas, compradas a preço de custo, uma vez que foram reutilizadas antigas vigas de um templo hindu deteriorado de um povoado próximo. O piso e as paredes internas foram revestidas com a pedra indiana Kotah, adicionando outra camada de isolamento térmico como proteção do sol intenso. Os antigos móveis inutilizados do cliente foram modificados e reutilizados para a sala de estar. Um equilíbrio entre otimização dos materiais locais e reutilização dos ativos existentes nos levou, finalmente, a projetar e construir essa casa sustentável.

© unTAG
© unTAG

O prazer de ter a possibilidade de colher uma manga da janela de casa, de tomar uma xícara de chá enquanto observa-se o pôr do sol - através de um filtro de copas verdes - é uma experiência que os clientes apreciam. Esta casa NÃO tem como tema principal sua formalização, mas a forma como alguém se sente dentro dela. Trata-se de uma conexão perfeita entre uma residência modesta e um pomar que foi criado pelos clientes nos últimos 15 anos. 

© unTAG
© unTAG

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
unTAG
Escritório
Cita: "Vrindavan / unTAG" [Vrindavan / unTAG] 01 Jun 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Brant, Julia) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/872375/vrindavan-untag> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.