O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Apartamentos
  4. Portugal
  5. Atelier in.vitro
  6. 2016
  7. Palácio do Comércio / Atelier in.vitro

Palácio do Comércio / Atelier in.vitro

  • 09:00 - 4 Março, 2017
Palácio do Comércio / Atelier in.vitro
Palácio do Comércio / Atelier in.vitro, © José Campos
© José Campos

© José Campos © José Campos © José Campos © José Campos + 98

  • Arquitetos

  • Localização

    Porto, Portugal
  • Arquiteto Responsável

    Atelier in.vitro
  • Autor

    Joana Leandro Vasconcelos
  • Promoção

    Altar, Sociedade de Investimentos, S.A.
  • Área

    600.0 m2
  • Ano do projeto

    2016
  • Fotografias

© José Campos
© José Campos

Descrição enviada pela equipe de projeto. Pretendia-se reabilitar um conjunto de 3 apartamentos existentes, cada um com cerca de 200 m² de área de intervenção, mantendo a sua função de habitação com tipologias generosas (T3, T4 e T5), possibilitando também a sua utilização como unidade turística. Os apartamentos ocupam parte do 5º, 6º e 7º pisos de um dos edifícios mais carismáticos da cidade do Porto, designado de Palácio do Comércio, localizado na Rua Sá da Bandeira, e mantêm, na sua generalidade, a distribuição funcional e os revestimentos e elementos construtivos originais.

© José Campos
© José Campos

Durante a elaboração dos projetos, foi tido em consideração o fato do projeto de arquitetura deste exemplo notável da arquitetura portuguesa de meados do século XX ser da autoria dos Arqt.s Maria José Marques da Silva e David Moreira da Silva. Os pormenores construtivos e os materiais nobres utilizados na sua construção demonstram a qualidade construtiva e o rigor arquitetônico do edifício. Salientam-se as pedras mármore nas zonas comuns do edifício, as madeiras nobres nos revestimentos de pavimentos e nas carpintarias, o cobre nos caixilhos, alguns deles curvos, entre outros.

© José Campos
© José Campos

As alterações propostas procuraram, nesse sentido, minimizar o impacto nos apartamentos, preservando e valorizando as suas características originais. Paralelamente, o facto dos apartamentos se encontrarem em bom estado de conservação, levou a que as propostas envolvessem essencialmente um conjunto de intervenções pontuais, nomeadamente através da reabilitação dos elementos construtivos existentes e de pequenas alterações de distribuição funcional. A introdução de novas infra-estruturas, nomeadamente hidráulicas, eléctricas e de telecomunicações, foi pensada de forma a colidir o menos possível com os elementos construtivos existentes.

© José Campos
© José Campos

Os apartamentos organizam-se num espaço retangular longitudinal com duas frentes, uma para a rua e outra para o interior do saguão, por onde se faz o acesso de serviço. O acesso principal é feito num dos topos deste retângulo, sendo a distribuição interior realizada através de um eixo central que estabelece uma separação clara entre os espaços de serviço, orientados para o saguão, e os espaços nobres, virados para a rua. Esta hierarquia entre os espaços é traduzida também nos materiais de revestimento, sendo que as carpintarias apresentam madeiras de espécies exóticas à vista nos compartimentos mais nobres, enquanto que nos restantes espaços são esmaltadas a cores diversas. Grande parte destes revestimentos foi reabilitada, como é o caso dos soalhos, nos quartos e salas, das pedras mármore, mosaicos hidráulicos e elementos cerâmicos nas instalações sanitárias e nas cozinhas. Sempre que houve necessidade de introduzir novos revestimentos optou-se por manter esta hierarquia entre os espaços com diferentes funções.

Planta
Planta
Planta
Planta
Planta
Planta

Em termos de distribuição funcional, as alterações mais relevantes estão relacionadas com a remodelação das zonas de serviço, materializada pela reorganização das cozinhas e pela criação de uma sala de jantar associada à sala de estar. No caso dos apartamentos do 5º e do 6º piso, esta alteração libertou mais espaço para os antigos quartos de serviço, permitindo que se transformassem em suítes. Houve ainda a necessidade, em particular no caso do apartamento do 7º piso, de acrescentar uma instalação sanitária, para incrementar a funcionalidade  dos apartamentos. Em suma, as intervenções pontuais realizadas permitiram valorizar  as  características  originais  dos  apartamentos,  preservando  o seu elevado valor patrimonial e garantindo, em simultâneo, uma melhoria das condições de utilização e de conforto.

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Palácio do Comércio / Atelier in.vitro" [Palácio do Comércio / Atelier in.vitro] 04 Mar 2017. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/806416/palacio-do-comercio-atelier-iitro> ISSN 0719-8906