O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Eventos
  3. URBE_2016 - Caminhada Expedicionária no Bom Retiro

URBE_2016 - Caminhada Expedicionária no Bom Retiro

  • 18:00 - 24 Novembro, 2016
URBE_2016 - Caminhada Expedicionária no Bom Retiro
URBE_2016 - Caminhada Expedicionária no Bom Retiro, URBE_2016 - Caminhada Expedicionária no Bom Retiro
URBE_2016 - Caminhada Expedicionária no Bom Retiro

São Paulo_cidade transversal

A cidade e seus constantes fluxos de transformação se refletem em sotaques e constroem narrativas na relação entre identidade e lugar. Explorar esse território alicerçado por uma composição artística, que convida o público a vivenciar projetos de arte e compartilhar seus sentidos, é o pilar central dessa segunda edição da URBE_mostra de arte pública.

Nessa equação poética, adotou-se a transversalidade como elemento de forte contorno narrativo, o qual atravessa o vocabulário estilístico e convive livremente entre as obras criadas para a mostra e o local escolhido para sua realização, o bairro do Bom Retiro.

Entender a complexidade dessa região paulistana é estar em contato permanente com a história da cidade. O conjunto de traços e tramas étnicos, econômicos, socioculturais, arquitetônicos e de hábitos que organiza a fascinante antropologia urbana do Bom Retiro situa o lugar como principal intermediário entre a cidade e o indivíduo.

No decorrer de quinze dias, o público terá a oportunidade de desfrutar de uma experiência artística que ressignifica o cotidiano, cria caminhos expandidos e permite que cada um desenvolva sua própria narrativa lúdica. Plataformas de escuta e apreciação de confissões, transcodificação cromática, deslocamento transposto por vazios e sulcos, repouso-meditação, antropofagia e interfaces analógicas e digitais compõem o repertório de transversalidades propostas pelas obras desenvolvidas por Anaisa Franco, Guto Requena e Iara Freiberg.

O projeto Doce reflexão, de Anaisa Franco, é uma instalação que trabalha várias camadas dos sentidos humanos, adicionando uma experiência antropofágica à mostra. Em um pavilhão paramétrico em formato de colmeia, o público interage com a obra, tendo a face mapeada por fotografia e transformada em chocolates e panquecas impressos em 3-D. O espectador poderá comer-se e ainda ver seu rosto impresso aplicado a uma parede da obra, gerando um memorial em processo. A transversalidade aparece, nesse caso, como fonte de memória por meio do compartilhamento dos sentidos entre interfaces digitais e sensações gustativas.

Em Me conta um segredo?, Guto Requena penetra na intimidade do público por meio de uma obra interativa, mistura de mobiliário urbano, arte sonora e light design, que recodifica o relato dos participantes em escalas sonoras e cromáticas. Espectador e obra se fundem como confidente e ouvinte, em um espaço reflexivo em constante mutação. A transversalidade se compõe num eixo relacional de intimidades dentro de um jogo contemplativo de alteridade.

Flutuação, da artista Iara Freiberg, é um exercício que investiga os volumes tradicionais da paisagem urbana. Cada participante, ao se deslocar pelo território e escolher seus percursos, terá experiências visuais estimuladas por flutuações desenhadas diretamente sobre superfícies arquitetônicas, atravessando construções de diferentes tipologias e usos. Essas marcas operam ora como sulcos, vazios, intervalos, ora como provocações ou invasões, que transbordam os traços dos edifícios, desmontando a composição e a estrutura regular próprias do urbanismo vigente. Aqui a transversalidade assume significação na noção de totalidade ao criar espacialidades que se renovam, gerando outro todo.

Romper com os modelos expositivos clássicos é também atuar de maneira transversal dentro dos mecanismos tradicionais de contemplação da arte a fim de alcançar uma experiência única de habitar a urbe.

Desse modo, a segunda edição da mostra converge múltiplos processos e estéticas, gerando uma expografia expedicionária interativa e relacional com o bairro, mas também proporcionando ao público uma experiência de imersão urbana, onde a arte conecta desejos e desperta desvios.

Alessandra Marder, Felipe Brait, Reinaldo Botelho
Curadores

Baixar as informações relacionadas com este evento aqui.

Veja mais:

Eventos

Este evento foi enviado por um usuário de ArchDaily. Se você quiser, pode também colaborar utilizando "Enviar um evento". As opiniões expressas nos anúncios enviados pelos usuários archdaily não refletem necessariamente o ponto de vista de ArchDaily.

Cita: "URBE_2016 - Caminhada Expedicionária no Bom Retiro" 24 Nov 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/800098/urbe-2016-caminhada-expedicionaria-no-bom-retiro> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.