O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Museus E Espaços De Exposições
  4. Estados Unidos
  5. Frank Lloyd Wright
  6. 1959
  7. Clássicos da Arquitetura: Museu Guggenheim / Frank Lloyd Wright

Clássicos da Arquitetura: Museu Guggenheim / Frank Lloyd Wright

Clássicos da Arquitetura: Museu Guggenheim / Frank Lloyd Wright
Clássicos da Arquitetura: Museu Guggenheim / Frank Lloyd Wright

Clássicos da Arquitetura: Museu Guggenheim / Frank Lloyd Wright Clássicos da Arquitetura: Museu Guggenheim / Frank Lloyd Wright Clássicos da Arquitetura: Museu Guggenheim / Frank Lloyd Wright Cortesia de Creative Commons - Flickr + 10

Descrição enviada pela equipe de projeto. Construído em Manhattan, o Museu Solomon R. Guggenheim foi o último grande projeto desenhado e construído por Frank Lloyd Wright, entre 1943 até ser aberto ao público em 1959, seis meses após sua morte. Tornou-se um de seus trabalhos mais longos, e também um de seus projetos mais populares. Contrastando completamente com a grade rigorosa de Manhattan, as curvas orgânicas do museu são um ícone familiar tanto para os amantes da arte, visitantes e pedestres.

O exterior do Museu Guggenheim é um cilindro espiralado branco de concreto armado. As curvas dramáticas do exterior do museu evidenciam um efeito ainda mais impressionante no interior. Ali Wright propôs "um grande espaço em um piso contínuo", atingindo grande êxito nesse conceito.

Planta Baixa
Planta Baixa

Caminhando através do interior, a primeira visão do visitante é um átrio enorme, subindo a 28 metros de altura até uma abóbada de vidro. Ao longo dos lados deste átrio fica uma rampa contínua desenrolando seis andares através de quase meio quilômetro de comprimento que permita que um andar flua até o outro. A rampa também cria uma procissão em que o visitante experiencia as artes exibidas ao longo das paredes enquanto continua subindo.

Cortesia de Creative Commons - Flickr
Cortesia de Creative Commons - Flickr

O projeto do museu como uma rampa perimetral com vistas ao átrio aberto também permitiu a interação de pessoas em diferentes níveis, intensificando o projeto em corte.

Corte
Corte

Embora o espaço dentro do edifício seja inegavelmente majestoso e ele seja monumental em si, não foi perfeitamente bem sucedido em termos funcionais. As paredes curvas do interior eram destinadas a que as pinturas tivessem de ser inclinadas para trás, "como no cavalete do artista". Isso falhou, pois era muito difícil expor as obras por causa da concavidade das paredes. Por causa disso, antes da inauguração do museu 21 artistas assinaram uma carta de protesto sobre a exposição de suas obras em tal espaço.

Muitos críticos também argumentam que o prédio compete com o trabalho de arte que pretende exibir, um problema que o diretor do museu James Johnson Sweeney levou muito a sério, afirmando: "Este é o interior arquitetônico de museu mais espetacular neste país. Mas meu trabalho é exibir uma coleção magnífica em sua máxima expressão. Wright, por sua vez, também teve um problema com os administradores de código de construção de Manhattan que discutiram sobre questões estruturais, como a cúpula de vidro que tinha que ser reduzida em tamanho e redesenhada para incluir costelas de concreto que são extensões dos discretos pilares estruturais nas paredes exteriores.

Cortesia de Creative Commons - Flickr
Cortesia de Creative Commons - Flickr

Em 1992, o museu construiu uma adição projetada por Gwathmey Siegel & Associates Arquitetos, que Wright tinha originalmente pretendido. Os arquitetos analisaram os esboços originais de Wright e de suas idéias criaram uma torre de pedra calcária de 10 andares que tinha paredes planas, mais apropriadas para a exibição de arte.

Entre 2005 e 2008 o Museu Guggenheim passou por uma renovação exterior onde onze camadas de pintura foram removidas da superfície original e revelaram muitas rachaduras ocasionadas pelo clima. Esta revelação levou a uma extensa pesquisa sobre materiais, para restaurar o exterior.

Apesar da opinião dos críticos, não há dúvida de que o projeto de Wright para o Museu Guggenheim oferece uma liberdade espacial que é exclusivo para seu estilo. Wright realizou 700 esboços e seis séries de desenhos técnicos para transformar sua visão em uma extraordinária escultura de um prédio com vistas ao Central Park. Este edifício, no mínimo, deveria ser reconhecido como uma das obras arquitetônicas de mais beleza espacial do estilo internacional.

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: Perez, Adelyn. "Clássicos da Arquitetura: Museu Guggenheim / Frank Lloyd Wright" [AD Classics: Solomon R. Guggenheim Museum / Frank Lloyd Wright] 01 Nov 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/798207/classicos-da-arquitetura-museu-guggenheim-frank-lloyd-wright> ISSN 0719-8906