O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Portugal
  5. M2.senos
  6. 2016
  7. Casa da Amélia / M2.senos

Casa da Amélia / M2.senos

Casa da Amélia / M2.senos
Casa da Amélia / M2.senos, © Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

© Fernando Guerra | FG+SG © Fernando Guerra | FG+SG © Fernando Guerra | FG+SG © Fernando Guerra | FG+SG + 58

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Descrição enviada pela equipe de projeto. Esta não é mais uma casa. Aqueles becos, conhecíamos nós bem. Não demasiado, corremos interminavelmente por ali, à espera que alguém nos convidasse para jantar. Era sempre cedo para terminar o dia. E aquela era a casa da tia Amélia. Construída por um só homem. Que nos mostrava, com um sorriso de orgulho e alguma benevolência, a estereotomia perfeita do revestimento. A nós, que gostávamos de casas e tínhamos tanto para aprender. Esta não era mais uma casa.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

E, ainda assim, descobrir que, no fundo do fundo do beco, existia aquele terreno não deixou de nos espantar. A figueira. E a igreja? Ali tão próxima! Pela primeira vez, espreitava-se para além do beco. E isso era uma descoberta.

Planta
Planta
Corte
Corte

Era precisamente ali que nos cabia a exigente missão de ampliar a casa. Aquela casa, construída no tempo e com tempo. Aquela casa, com terraços, anexos, escadas..., tudo ligado…, oficinas, tanques. Tudo, num ínfimo espaço. Era um beco dentro do beco, através de uma gradação de espaços exteriores. E cada um dos espaços tinha uma autonomia própria, ajustado sempre a uma escala doméstica, para o qual contribuía, sem dúvida, a presença dos telhados de duas águas e da composição volumétrica fragmentária.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Era só continuar. Tudo o resto nos pareceu natural. É mais uma casa, mais um volume, mais duas águas. No vértice voltado à igreja, corta-se, porque queremos olhar para ela. Para a tardoz, a figueira impõe o limite, e convida a piscina.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

A ligação às construções pré-existentes seria, evidentemente, através de terraços. Esta peça autonomiza-se, com um só piso e de cobertura plana, que através de um desenho mais orgânico resolve também a ligação entre a casa e o espaço exterior coberto (também com zona de garagem), delimitando o lote. A Sul/Poente, desmaterializa-se a sua presença através da grande janela em espelho, que reflete o verde do jardim.

A ligação às construções pré-existentes seria, evidentemente, através de terraços. Esta peça autonomiza-se, com um só piso e de cobertura plana, que através de um desenho mais orgânico resolve também a ligação entre a casa e o espaço exterior coberto (também com zona de garagem), delimitando o lote. A Sul/Poente, desmaterializa-se a sua presença através da grande janela em espelho, que reflete o verde do jardim.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

O programa interior é bastante simples: quase apenas uma cozinha, com uma boa área para comer. Controlando o pé direito, aproveitando-se as águas, suspende-se o volume do quarto, acessível através do terraço ou de uma escada em ferro negro, que, ao contrapor-se aos tons claros do interior, assume uma presença cenográfica.

A cor escura no exterior, complementada com a utilização da telha plana, é mais um capítulo da história da casa, feita de volumes brancos e cinzas, ao mesmo tempo que procura alguma abstração na adição volumétrica, equilibrando a composição.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
M2.senos
Escritório
Cita: "Casa da Amélia / M2.senos" [Amélia's House / M2.senos] 02 Jun 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Delaqua, Victor) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/788702/casa-da-amelia-menos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.