O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Estação Ferroviária
  4. Holanda
  5. UNStudio
  6. 2015
  7. Terminal de Transferência Central de Arnhem / UNStudio

Terminal de Transferência Central de Arnhem / UNStudio

Terminal de Transferência Central de Arnhem / UNStudio
Terminal de Transferência Central de Arnhem / UNStudio, © Ronald Tilleman
© Ronald Tilleman

© Frank Hanswijk © Frank Hanswijk © Siebe Swart © Frank Hanswijk + 29

  • Gestão da Obra

    ProRail B.V. com apoio de várias partes
  • Engenharia Estrutural

    Arup Amsterdam (terminal de transporte público), Van der Werf & Lankhorst (estação de ônibus, estacionamento e escritórios)
  • Instalações

    Arcadis
  • Segurança Contra Incêndios

    DGMR Bouw BV
  • Iluminação

    Arup Lighting
  • Sinalização

    Bureau Mijksenaar
  • Especificações

    ABT
  • Empreiteira Principal Túnel de Pedestres

    Besix-Welling
  • Engenharia Estrutural Túnel de Pedestres

    Arcadis (Tender Design)
  • Empreiteira da Fase 1 do Terminal

    Bouwcombinatie BAM Ballast Arnhem , Centrum VOF (BBB, BAM & Ballast Nedam)
  • Engenharia Estrutural da Fase 1 do Terminal

    Arup Amsterdam
  • Instalações da Fase 1 do Terminal

    BAM Techniek, Unica
  • Empreiteira da Fase 2 do Terminal

    BouwCombinatie OV-Terminal Arnhem (BCOVTA, BAM & Ballast Nedam)
  • Engenharia Estrutural da Fase 2 do Terminal

    BAM Advies & Engineering ABT
  • Instalações da Fase 2 do Terminal

    BAM Techniek, Unica
  • Mais informações Menos informações
© Siebe Swart
© Siebe Swart

Descrição enviada pela equipe de projeto. O novo Terminal de Transferência na estação central de Arnhem na Holanda foi completada e custou €37.5m (£27.6m).

A estação é o resultado de um projeto ambicioso de 20 anos - o plano diretor feito pelo UNStudio - para reconstruir a maior área da estação; o maior empreendimento pós-guerra em Arnhem. Respaldado pelo governo holandês, este centro de transferência volta a escrever o livro de regras sobre as estações de trem, além de ser o mais complexo em sua categoria na Europa.

© Frank Hanswijk
© Frank Hanswijk

A estação se transformará na nova "porta de entrada" da cidade, abarcando o espírito dos viajantes. Espera-se que ela faça de Arnhem um importante vínculo entre Alemanha, Holanda e Bélgica. O novo terminal conta com áreas comerciais e um centro de conferências, além de proporcionar ligações à praça de escritórios próximos, centro da cidade, estacionamento subterrâneo e o Parque Sonsbeek. A área de entorno da estação será transformada em um lugar propriamente dito, com 160 mil metros quadrados de escritórios, lojas e um complexo de cinema.

Planta Cota +24.5m
Planta Cota +24.5m

O Terminal de 21.750 metros quadrados conta com uma geometria dramática, com uma estrutura de cobertura torcida, o que permite luzes de até 60 metros de alcance na entrada do edifício. Tomando referências de uma garrafa de Klein, de superfície exterior e interior contínua, o UNStudio desconstruiu a distinção entre espaços internos e externos no projeto ao criar uma continuação da paisagem urbana dentro da sala de transferência, onde cobertura, paredes e pisos possuem transições fluidas entre si.

© Frank Hanswijk
© Frank Hanswijk

A estrutura da cobertura e do pilar torcido só foram possíveis no momento em que abandonou-se os métodos e materiais tradicionais de construção; um aço muito mais leve tomou o lugar do concreto - material originalmente destinado à estação - e construiu-se utilizando técnicas de construção de barcos em uma escala nunca antes empreendida.

Vista Explodida
Vista Explodida

A entrega de um projeto tão complexo e grande no prazo, dentro do orçamento, e sem compromisso de desenho exigiu coragem e determinação por parte do cliente, ProRail B.V. e dos arquitetos. Trata-se também do resultado de um esforço de colaboração excepcional pelas principais partes interessadas, ProRail, Contractor Combination Ballast Nedam - BAM, o Ministério de Infraestrutura e a Prefeitura de Arnhem. 

© Ronald Tilleman
© Ronald Tilleman

O UNStudio iniciou o projeto geral em 1996 e completou seu primeiro croqui de desenho para o terminal no ano 2000. Após investigar intensamente fluxos de passageiros e modos de transporte, o escritório propôs que o novo edifício deveria ser ampliado para transformar-se em uma "máquina de transferência" que incorporasse toda a gama do transporte público, satisfazendo as demandas de deslocamento do século XXI.

Corte JJ
Corte JJ

Trabalhando com os engenheiros de estruturas Arup, produziu-se um espaço sem pilares, formando uma expressão arquitetônica projetada em torno das formas que as pessoas utilizarão intuitivamente o espaço. A estação funciona a nível internacional, nacional e regional, permitindo aos passageiros que se desloquem entre cidades de forma intuitiva e com facilidade. Este projeto faz parte de uma atualização dos trens de todo o país, que terá novas estações em Roterdão, Delft, Haya, Breda e Utreque. 

© Frank Hanswijk
© Frank Hanswijk

"Arnhem Central já não é apenas uma estação de trem. Ela transformou-se em um centro de transferência. Queríamos dar um novo e vital impulso ao projeto da estação, já que ao invés de simplesmente projetar a estação ao redor das atividades e fluxos de pessoas já existentes, a arquitetura ampliada do novo terminal dirige e determina como as pessoas usam o espaço e como se movem ao redor do edifício.", disse Ben van Berkel, fundador e principal arquiteto do UNStudio.

Corte BB
Corte BB

"Para manter todas as partes interessadas a bordo e no caminho correto durante a longa viagem até o final, foi um verdadeiro desafio.", conta Karin van Helmond, gerente de projeto e desenvolvimento de estações da ProRail. "Nos últimos vinte anos, muitas coisas mudaram na economia, na tecnologia, na política e no entorno social. Ao focarmos nosso objetivo final, o edifício desta magnífica estação, conseguimos superar todos os contratempos e dos riscos, trabalhando em estreita colaboração foi possível atingir a plenitude desse projeto sem precedentes".

© Siebe Swart
© Siebe Swart

Integrando a paisagem naturalmente inclinada de Arnhem, o escritório UNStudio concebeu o terminal como uma fluida paisagem utilitária, composta de diferentes funções sobrepostas em quatro pavimentos sobre a terra e dois abaixo. O espaço chave é o salão principal de transferência, uma área de 5.355 m2 sobre uma cobertura dinâmica e ondulada.

Planta Cota +32.5m
Planta Cota +32.5m

No desenvolvimento do projeto, a prática utilizou-se de uma série de ferramentas estruturais conceituais para modelar a geometria da passagem do terminal, para abrigar as diferentes funções do programa. Estas incluem o uso de "paredes V", uma estrutura de concreto portante que absorve as diferenças nas malhas existentes e proporciona luz natural aos pavimentos abaixo do solo. Os espaços entre esses elementos formam, também, o acesso público a partir do estacionamento subterrâneo aos outros componentes.

© Frank Hanswijk
© Frank Hanswijk

Em 2001, o Arnhem Central conquistou a condição de um dos "Novos Projetos Chave" (estações com importância nacional) do governo holandês. Estas estações devem funcionar como catalisadores para a renovação urbana e o crescimento econômico. Se prevê que o novo terminal, que substitui uma estação de trem da década de 1950, facilitará o crescimento econômico ao permitir um aumento enorme do fluxo de passageiros diários à cidade de 110.000 passageiros por dia no ano de 2020.

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Escritório
Cita: "Terminal de Transferência Central de Arnhem / UNStudio" [Arnhem Central Transfer Terminal / UNStudio] 18 Mar 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Brant, Julia) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/783410/terminal-de-transferencia-arnhem-central-unstudio> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.