O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Escola Primária
  4. Austrália
  5. Baldasso Cortese Architects
  6. 2014
  7. Escola Básica Nossa Senhora da Cruz do Sul / Baldasso Cortese Architects

Escola Básica Nossa Senhora da Cruz do Sul / Baldasso Cortese Architects

  • 13:00 - 10 Dezembro, 2015
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Escola Básica Nossa Senhora da Cruz do Sul / Baldasso Cortese Architects
Escola Básica Nossa Senhora da Cruz do Sul / Baldasso Cortese Architects, © Peter Clarke
© Peter Clarke

© Peter Clarke © Peter Clarke © Peter Clarke © Peter Clarke + 18

  • Arquitetos

  • Localização

    2/20 Howqua Way, Taylors Hill VIC 3037, Austrália
  • Diretor de Projeto

    Steven Cortese
  • Equipe de Projeto

    Devkrishna Mistry, Loris Rebeschini, Hannes MacNamara
  • Arquiteto

    David Choate, Nick Nackovski
  • Ano do projeto

    2014
  • Fotografias

  • Especialista em Construção Educational

    Hal Cutting
  • Técnico

    Konrad Schaller, Albert Picone
  • Designer de Interior

    Anastasia Malishev
  • Arquiteto de Pós-Graduação

    Vanessa Wong
  • Apresentação Gráfica

    Gabriella Muto
  • Construtora

    2 Construct/ Nicol Group/ Magellan Projects
  • Paisagista

    Urban initiatives/ Land Design Partnership
  • Engenharia Estrutural e Geotérmica

    Cardno
  • Engenheiros de Manutenção

    MacCormack Associates/ Clements
  • Topografia

    McKenzie Group
  • Cliente

    Our Lady of the Southern Cross Primary School/ Catholic Education Office
  • Mais informações Menos informações
© Peter Clarke
© Peter Clarke

Descrição enviada pela equipe de projeto. Fazendo parte de um grande plano geral feito em 2007, a escola foi desenhada como 3 Comunidades de Aprendizagem, cada qual destinada à 150 alunos de diferentes idades. 

© Peter Clarke
© Peter Clarke

A escola foi construída em 5 etapas que começam com a Comunidade de Aprendizagem 1; Administração; e o Salão de Usos Múltiplos financiado pelo BER e a Comunidade de Aprendizagem 2. A Comunidade de Aprendizagem 3 juntamente como salão de extensão foi a etapa final do desenvolvimento na escola. 

© Peter Clarke
© Peter Clarke

Estava claro desde o princípio que a escola seria diferente de todas as outras. Com o objetivo de afastar-se completamente das aulas formais foi criada uma série de espaços destinados à diferentes atividades e estilos de aprendizagem. A aprendizagem personalizada, colaborativa em pares e as equipes de ensino influenciaram no desenho arquitetônico dos espaços. A incorporação da tecnologia no espaço de aprendizagem, quadros inteligentes e conexão de internet wi-fi, somam-se a flexibilidade que exigia o plano de estudos. 

Master Plan
Master Plan

Os estudantes agrupam-se em "cenários sem idade" aumentando sua participação, assim são ensinados a ter mais responsabilidade sobre sua aprendizagem. O docente como facilitador, trabalhando juntamente com outros professores, dedica-se muito mais para o planejamento e organização das atividades. O projeto proporciona uma grande área de trabalho rodeada por todos os recursos/necessidades. Um espaço de jogos elevado, dentro da principal área de aprendizagem, é apto para atividades mais tranquilas e táteis ou para a hora da leitura. Salas de conferência e reuniões estão disponíveis para pequenos grupos de discussão, de leitura ou para o uso pessoal. 

© Peter Clarke
© Peter Clarke

A escola foi desenhada sem uma biblioteca formal. A funcionalidade da biblioteca foi dispersada entre as 3 comunidades de aprendizagem, permitindo que os recursos sejam diretamente acessíveis aos estudantes no espaço em que mais necessitem. Cada comunidade possui um espaço para atividades científicas que incorpora generosas bancadas, áreas de experimentos individuais de diferentes alturas, ilhas, de atividade, um fogão e o depósito. Uma segunda área foi disponibilizada para as atividades relacionadas a "Arte e Construção", com acesso direto fora do espaço de aprendizagem.

Corte
Corte

A evolução do plano geral foi traduzida em uma planta maior de sucessivos espaços de aprendizagem, onde se teve cuidado especial no desenho com um aumento de luz natural, ventilação e tratamento acústico. O teto elevado e as aberturas eletrônicas permitem que a luz natural e a ventilação penetrem no centro do edifício. Acusticamente, um alto grau de isolamento de ruído, paredes em angulo e materiais absorventes garante o mínimo de perturbação no espaço de aprendizagem. Espaços internos conduzem diretamente às áreas de aprendizagem exterior com paisagismo protegidas por grandes beirais e árvores.

© Peter Clarke
© Peter Clarke

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Escola Básica Nossa Senhora da Cruz do Sul / Baldasso Cortese Architects" [Our Lady of the Southern Cross Primary School / Baldasso Cortese Architects] 10 Dez 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/778049/escola-basica-nossa-senhora-da-cruz-do-sul-baldasso-cortese-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.