O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Noruega
  5. Saunders Architecture
  6. 2015
  7. Residência S / Saunders Architecture

Residência S / Saunders Architecture

  • 11:00 - 11 Setembro, 2015
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Residência S / Saunders Architecture
Residência S / Saunders Architecture, © Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

© Bent René Synnevåg © Bent René Synnevåg © Bent René Synnevåg © Bent René Synnevåg + 25

© Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

Descrição enviada pela equipe de projeto. A residência do arquiteto de Bergen,Todd Saunders, é uma sinfonia em madeira norueguesa. Descrevendo seu mais recente projeto, uma residência para sua própria família no subúrbio de Bergen, Todd Saunders diz: "É como três hastes empilhadas umas sobre as outras".  De certo modo, a residência pode ser descrita como composta por três elementos revestidos de madeira, um vertical e dois horizontais - porém ela é muito mais complexa do que isso, é uma composição estritamente funcional.

© Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

Uma torre contendo escadas e circulação é dividida em duas por uma imponente viga horizontal que forma o núcleo da casa, com a cozinha no seu centro e suportada numa extremidade por uma área de serviço generosa fixada em ângulos retos à estrutura principal. Embora necessite apenas um único olhar para compreender o arranjo de funções, a casa é mais complexa do que parece ser à primeira vista. Durante todo o térreo de 300 m2  existem truques espaciais, grandes terraços, alinhamentos escondidos, um nível de atenção aos detalhes que somente um arquiteto poderia conceder em seu espaço pessoal.

© Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

A residência está situada entre um conjunto de moradias modernas em Tveiterås Garden City, ao sul da cidade de Bergen. Após deixar de ser uma zona estritamente rural, o subúrbio foi projetado pelo arquiteto pioneiro local Leif Grung no início de 1930. O elegante funcionalismo de Grung tem resistido e os terrenos continuam bem cuidados, Com sua plantação verdejante e vistas de longo alcance acabam por criar um oásis de tranquilidade.

Planta Baixa - primeiro pavimento
Planta Baixa - primeiro pavimento

A primeira visão da nova casa é uma íngreme e estreita entrada, a partir da qual se obtém vislumbres tentadores das aberturas em fita, telhados planos e fachadas fechadas do vintage Grungs. Saunders acena para os vizinhos ao mesmo tempo em que faz uma forte declaração. Revestida em madeira preta manchada, a residência possui uma presença marcante, com a vidraça na "torre" de três andares refletindo o céu e as árvores. O grande balanço confere a impressão que a residência acabou de pousar no terreno. O esforço de qualquer compilação desmente a ideia de que uma casa pode ser apenas 'assentada' no seu entorno, especialmente depois de que Saunders e sua família passaram um ano visitando diariamente o local. 

© Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

Situada em um alinhamento leste-oeste, assim como os seus vizinhos antigos dos anos 80 - a nova casa se sente totalmente integrada ao local. Como a última parcela remanescente do masterplan de Grung, o terreno foi originalmente designado a um parque comunal, mas tinha sido abandonado à vegetação. Limpa e nivelada, com algumas árvores principais preservadas, a nova casa se situa em uma leve inclinação. Incrivelmente, a única restrição sobre a concepção era que tinha de ser inferior a 9m de altura, embora Saunders e sua esposa tiveram de apresentar as suas propostas para os 14 vizinhos. Nenhum se opôs. A estrutura de aço e madeira é utilizada em residências anteriores, com juntas delicadamente moldadas por um carpinteiro experiente e altamente qualificado por Saunders .

Planta Baixa - segundo pavimento
Planta Baixa - segundo pavimento

"Esta não é a residência mais espetacular que eu fiz ", diz Saunders, "mas é a forma mais interessante para este clima". Ou seja, a residência é robusta, porém elegante. Terraços cobertos e varandas abundantes. "É como um guarda-chuva que protege contra a chuva". Bergen é certamente úmida - chove 250 dias por ano - embora a nossa visita ocorreu em lindos dias de sol, com as suas enormes janelas emoldurando a vista tanto para a cidade portuária distante quanto para a íngreme encosta rochosa. "É muito retilínea", diz Saunders. "As casas aqui não são imponentes, e esta deveria ser uma boa vizinha. Era o que parecia certo em termos de escala e de materialidade"

© Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

Modéstia de Saunders é desarmante. O canadense tem vivido em Bergen por 18 anos, e apesar de que 75% do seu trabalho ocorre fora dos limites da cidade, ele é claramente apaixonado por ela. Já reconhecido por seu trabalho na Noruega, os pavilhões do arquiteto e o hotel para Fogo Island cimentou a sua reputação. Suas formas geométricas à deriva na costa de Newfoundland tornaram-se elementos muito renomados na arquitetura mundial.

© Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

Sobre sua própria residência, ele diz: "Não há muito aqui que nunca será usado. Tentei projetar uma casa para minha família, para tornar nossa vida muito boa". O nível superior possibilita a criação de uma garagem abaixo, e uma passarela coberta leva até a porta da frente. A varanda, área de serviço e sala de jogos ocupam o andar térreo, com escadas em direção ao espaço principal, onde a casa se abre. As dimensões são impressionantes - uma área de estar com 35m de comprimento, composta por longas tábuas de madeira (algumas com 14m ininterruptos), bem como o imponente balcão da cozinha com 9m. Ao contrário da cozinha, os dormitórios são bem simples, com uma suíte master a oeste, dois dormitórios para suas filhas no centro da casa e uma sala de estar ao leste. Os terraços são parcialmente cobertos e as orientações individuais os tornam perfeitos para o uso diurno ou noturno.

© Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

Os móveis e acessórios foram escolhidos em colaboração com o artista sueco Hannes Wingate, um graduado na Central St Martins que passou alguns anos trabalhando no departamento de interiores de Jeanne Gang, em Chicago. "A arquitetura de Todd está relacionada a uma origem vernacular na sua forma, materialidade e posicionamento no terreno", diz Wingate. Partindo do zero, o artista reuniu uma coleção presente na maioria dos espaços, incluindo um sofá-cama por Another Country, aparadores dinamarqueses vintage, luminárias por Roll & Hill e a bancada da cozinha por Søren Rose , enquanto as telhas cerâmicas artesanais de San Francisco decoram todos os três banheiros. A escadaria personalizada- com seus degraus abertos preservando as vistas ao longo da casa - continua até o último andar, onde há um espaço de biblioteca e mais dois terraços. Saunders descreve a biblioteca como a maior extravagância em uma casa que está preparada para o essencial. "É o mais próximo que eu cheguei em conectar arquitetura e lar. É um capítulo de quem eu sou como um arquiteto, mas não é a história completa."

© Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

Enquanto isso, paredes grossas escondem camadas de armazenamento, bem como faixas de isolamento, com piso aquecido alimentado pela energia geotérmica. A arquitetura de Saunders traduz com sucesso a leveza e graça do modernismo em um ambiente que exige solidez e força. Esta é a arquitetura para climas do norte, um espaço para viver e admirar.

© Bent René Synnevåg
© Bent René Synnevåg

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Cita: "Residência S / Saunders Architecture" [Villa S / Saunders Architecture] 11 Set 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/773041/resdidencia-s-saunders-architecture> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.