O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Eventos
  3. Encontros USINA 25: Cooperativismo uruguaio em debate no Instituto Pólis

Encontros USINA 25: Cooperativismo uruguaio em debate no Instituto Pólis

  • 12:00 - 15 Julho, 2015
Encontros USINA 25: Cooperativismo uruguaio em debate no Instituto Pólis
Encontros USINA 25: Cooperativismo uruguaio em debate no Instituto Pólis, Cortesia de USINA CTAH
Cortesia de USINA CTAH

No dia 22 de julho (quarta-feira) tem início o ciclo de encontros do Projeto USINA 25 - Arquitetura como prática política. Neste primeiro encontro, realizado em parceria com o Instituto Pólis, os arquitetos José Baravelli e Mário Braga apresentarão um panorama a respeito do cooperativismo habitacional uruguaio e dos primeiros mutirões autogeridos no Brasil. A conversa será mediada pela militante do movimento de moradia Evaniza Rodrigues.

Como em outros países da América Latina, as iniciativas politicamente mais avançadas de habitação popular no Brasil tiveram como referência a produção das cooperativas de habitação implantadas em Montevidéu e outras cidades do Uruguai a partir da década de 1970.

O debate a respeito desta produção na São Paulo de 2015 e na celebração dos 25 anos da USINA precisa retomar os pontos mais relevantes destas experiências cooperativas em confronto com os desafios atuais do nosso espaço urbano. Se as cooperativas uruguaias legaram o ideal autogestionário para a habitação social latinoamericana, qual a sua atualidade diante da consolidação da autoconstrução e o crescimento da produção empresarial nas periferias brasileiras?

A seguir, as informações detalhadas do evento:

Encontros USINA 25
Cooperativismo uruguaio: das cooperativas habitacionais uruguaias aos primeiros mutirões autogeridos no Brasil

  • com José Baravelli, Mário Braga e Evaniza Rodrigues (mediação)
  • Quarta-feira, 22/07 às 19h
  • Instituto Pólis – Rua Araújo, 124, 1° andar. Próximo ao Metrô República

SOBRE O PROJETO USINA 25

Fundada em 1990 por profissionais de diversos campos de atuação como uma assessoria técnica a movimentos sociais, a USINA - Centro de Trabalhos para o Ambiente Habitado tem atuado no sentido de articular processos que envolvam a capacidade de planejar, projetar e construir pelos próprios trabalhadores, mobilizando fundos públicos em um contexto de luta pelas reforma urbana e agrária.

A equipe da USINA tem a intenção de superar a produção autoral e estritamente comercial da Arquitetura e do Urbanismo e busca, para tanto, integrar e engendrar processos alternativos à lógica do capital através de experiências sociais, espaciais, técnicas e estéticas contra-hegemônicas.

Em 2015, a USINA completou 25 anos de atuação. Visando preservar e ativar a memória dos principais processos desenvolvidos pela USINA nesse período, a atual equipe da assessoria deu início ao Projeto USINA 25 - Arquitetura como prática política.

Cortesia de USINA CTAH
Cortesia de USINA CTAH

Nesse contexto, alguns pesquisadores externos foram convidados a iniciarem um processo de pesquisa visando a criação de um documentário baseado no material de arquivo da assessoria e em entrevistas com técnicos, lideranças de movimentos sociais e mutirantes envolvidos nos principais processos desenvolvidos pela USINA.

Tendo como fio condutor a trajetória da USINA, este documentário visa situar a relevância histórica e as contribuições originais de arquitetos/as, cientistas sociais e profissionais de outros campos de atuação que se colocaram a serviço da efetivação do direito à moradia e do direito à cidade através de processos desenvolvidos junto a movimentos sociais – quer seja nos projetos desenvolvidos em conjunto com os futuros moradores, na inovação tecnológica e produtiva, nos processos de educação popular ou na organização do trabalho no canteiro de obras.

Por meio de exemplos concretos, pretende-se: 1) demonstrar que há espaço para o desenvolvimento de propostas com alta qualidade técnica e arquitetônica no âmbito da habitação de interesse social; 2) contar parte da história da luta por moradia e pela reforma urbana no Brasil e 3) abordar criticamente o papel das políticas públicas relacionadas à provisão habitacional no país.

Para tanto, a equipe envolvida na produção do documentário planeja abordar algumas das experiências mais significativas desenvolvidas pelos profissionais que passaram pela USINA, a exemplo do COPROMO, do Mutirão União da Juta e do Mutirão Paulo Freire – construídos em São Paulo (SP) –, do projeto da Cidade da Reforma Agrária – feito a convite do MST para o Assentamento Ireno Alves dos Santos, em Rio Bonito do Iguaçu (PR) – e do projeto de Reassentamento da Comunidade do Piquiá de Baixo – em Açailândia (MA).

Como parte deste processo, serão realizados diversos encontros públicos para tratar de temas que dizem respeito à atuação da USINA nos últimos 25 anos. Para acompanhar a programação, acesse a página do Projeto USINA 25 no Facebook.

SOBRE OS CONVIDADOS

JOSÉ BARAVELLI – É arquiteto, professor no Centro Universitário FIAM-FAAM e integrante da USINA CTAH desde 2008. Estudou o cooperativismo habitacional uruguaio em sua pesquisa de mestrado (clique aqui para baixar) e concluiu recentemente tese de doutorado sobre o Programa Minha Casa Minha Vida.

MÁRIO BRAGA – É arquiteto e urbanista pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo (1985) e mestre em Habitação pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas de SP - IPT. É professor da Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo da Universidade Metodista de Piracicaba- UNIMEP e um dos fundadores da USINA CTAH.

EVANIZA RODRIGUES – É assistente social, mestre em Arquitetura e Urbanismo e atua na área de elaboração e gestão de propostas de política urbana e habitacional nos movimentos populares e na capacitação de atores sociais, trabalhando com programas autogestionários de habitação. Foi coordenadora-executiva da União Nacional por Moradia Popular e membro da coordenação nacional do Fórum Nacional de Reforma Urbana. Foi chefe de gabinete da Secretaria de Programas Urbanos do Ministério das Cidades e assessora da Presidência da Caixa Econômica Federal na implementação do Programa MCMV Entidades. É conselheira de Habitação em São Paulo.

  • Título

    Encontros USINA 25: Cooperativismo uruguaio
  • Organizadores

  • De

    22 de Julho de 2015, 19:00
  • Até

    22 de Julho de 2015, 21:00
  • Onde

    Instituto Pólis
  • Endereço

    Rua Araújo, 124 - República, São Paulo - SP, 01220-020, Brasil
Sobre este autor
Romullo Baratto
Autor
Cita: "Encontros USINA 25: Cooperativismo uruguaio em debate no Instituto Pólis" 15 Jul 2015. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/770256/encontros-usina-25-cooperativismo-uruguaio-em-debate-no-instituto-polis> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.