O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Arquitetura Cultural
  4. França
  5. Manuelle Gautrand Architecture
  6. 2014
  7. Comedie de Bethune - Teatro Nacional / Manuelle Gautrand Architecture

Remodelaçao

Apresentado por the MINI Clubman

Comedie de Bethune - Teatro Nacional / Manuelle Gautrand Architecture

Comedie de Bethune - Teatro Nacional / Manuelle Gautrand Architecture
Comedie de Bethune - Teatro Nacional / Manuelle Gautrand Architecture, © Luc Boegly
© Luc Boegly

© Luc Boegly © Luc Boegly © Luc Boegly © Luc Boegly + 25

  • Cenografia

    Bati-Scene
  • Engenharia Estrutural

    Khephren
  • Acústica

    Jean-Paul Lamoureux
  • Engenharia e Economia de Fluidos

    Hexa Ingenierie
  • Coordernação

    HD Project
  • Escritório de Controle

    Preventec
  • Exterior

    Ramery
  • Fachadas

    Diter
  • Divisórias e Cobertura

    C4M
  • Madeira

    Bara Menuiserie
  • Revestimentos de Parede e Pintura

    Vandendriessche
  • HVAC e Canalizações

    Bonnel
  • Elétrica

    Eiffage Energie
  • Equipamentos em sítio

    Caire-Manganelli
  • Mais informações Menos informações
© Luc Boegly
© Luc Boegly

Descrição enviada pela equipe de projeto. O edifício existente (Teatro Dekuvered 1999).

O edifício entregue pelo escritório em 1999 possui grande parte das características típicas mas, em comparação com um teatro convencional, ainda estava faltando uma sala de ensaio para os artistas (contemplada pela extensão atual). Esta primeira peça foi instalada "em torno" da casa conservada,a qual estava disponível no lote, adotando-se uma forma em formato de "S", uma situação complicada por este contexto. Uma grande parte do terreno foi dedicado ao ambiente e suas instalações adicionais diretas, enquanto a parte mais estreita do norte foi destinada a outras funções, como o lobby, administração e instalações anexas (banheiros, salas técnicas).

© Luc Boegly
© Luc Boegly

A implementação de um terreno ligeiramente inclinado no piso térreo permite adicionar, no último momento, um café sob a inclinação do canteiro de flores da sala, de modo a criar um lugar acolhedor tanto para artistas e público. A fim de captar o melhor deste terreno complexo e estreito, o conceito de arquitetura tinha sido o de criar um projeto muito compacto com espaços próximos uns dos outros e facilitar os deslocamentos de um espaço para outro, o programa foi dividido em duas partes justapostas: uma destinada aos artistas,com abertura na avenida Victor Hugo, e outra destinada ao público, voltando-se à rua Onze de Novembro.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Esta segunda parte foi a menor. Seu volume mais complexo foi inserido no edifício dos artistas: o piso plano e regular do térreo, desceu da rua 11 de novembro, onde está localizado o lobby, até descer à avenida Victor Hugo, onde está o bar. O bar encontrava-se sob a inclinação das arquibancadas da sala, assim, todo o arranjo criado estava em um espaço muito fluido e unitário, deslizando de um lado para outro do terreno.

Situação
Situação

Dentro da seção destinada aos artistas, as funções estão interligadas e seguem umas às outras com rigor: de um lado o backstage, no qual todas as cabines dos artistas e suas instalações de acompanhamento são sobrepostas. 

© Luc Boegly
© Luc Boegly

O edifício representa um volume muito grande, totalmente feito em concreto com verniz roxo escuro. A forma deste volume é ligeiramente curvada e arredondada, dando-lhe uma aparência de suavidade e precisão. Manuelle Gautrand não tentou esconder o volume importante do prédio, pelo contrário, para afirmar esta forma, e melhorá-la, arredondou-a e vestiu-a inteiramente em verniz roxo. Esta cor quente é usada em várias referências teatrais, assim como o vermelho, uma cor atemporal e forte.

Elevação
Elevação

Trata-se também de uma referência aos tijolos do norte, às fachadas coloridas que vão do vermelho ao marrom através de roxo. Quando a cor dos tijolos não é brilhante o suficiente para contrapor o céu cinzento, eles são muitas vezes pintados. As fachadas apresentam assim um aspecto monumental e distinguem-se pela sua cor de cetim roxo. A superfície do verniz é coberta com um padrão de stencil, desenhos muito gráficos e um friso de tijolos esmaltados pretos, desde o chão até o topo. Este friso estilizado permitiu dar uma certa escala para as fachadas desta parte do projeto. Além disso, o outro elemento que vem reafirmar a escala do ambiente é a fachada do antigo cinema, reproduzida de forma idêntica, já que é uma parte da herança histórica dos moradores de Bethune.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Metas da extensão e da renovação

Como a casa de esquina da rua foi demolida, a extensão foi realizada após 16 meses de trabalho, parcialmente em local ocupado. A agência Manuelle Gautrand Arquitetura aproveitou esta oportunidade para adequar o edifício às novas normas de segurança (que foram alteradas há 15 anos).

© Luc Boegly
© Luc Boegly

O projeto atingiu duas metas principais:

• Realizar a extensão, prevista desde 1994, incluindo a sala de ensaio;

•Implantar novas normas de segurança e renovar o teatro.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

1/ A Extensão:

A extensão está localizada na esquina da quadra, em três níveis: um volume de arranha-céus localizado no mesmo nível do solo natural, e dedicado à sala de ensaio; em seguida, um nível de escritórios, que se liga com o chão do escritório existente para o segundo andar do edifício. O tamanho da sala de ensaio permitiu reposicionar o salão na esquina da rua 11 de Novembro e da Avenida Victor Hugo, uma disposição que já existia durante a competição em 1994. Esta posição tem várias vantagens: permite dar uma melhor visibilidade ao teatro e fazer o café mais acessível. O café-bar anteriormente localizado sob o volume do chão da sala, não podia usufruir nem de uma entrada direta a partir da Avenida Victor Hugo, nem da iluminação natural. Agora, a construção do salão de canto conecta-se diretamente ao café, trazendo uma iluminação natural e tornando-se uma passagem animada e acolhedora. Acima, a administração dispõe de um espaço maior e mais funcional, graças ao que se estende desde o segundo nível do teatro existente.

Cortesia de Manuelle Gautrand Architecture
Cortesia de Manuelle Gautrand Architecture
© Luc Boegly
© Luc Boegly

2/ Reestruturação do Existente

Muitos espaços também foram alterados no interior do edifício existente. De fato, desde a entrega do edifício original há 15 anos atrás, as normas de segurança evoluíram consideravelmente. Assim, este projeto envolveu a modernização de todo o edifício. Várias normas de segurança foram levadas em conta, incluindo as normas de segurança de incêndio e acessibilidade a todos os espaços do teatro para as pessoas com deficiência. A extensão também exigiu a construção de uma escadaria localizada no lado direito do corredor futuro, para servir ao primeiro andar do nível superior da sala de ensaio do CNAD (Academia Nacional das Artes Dramáticas) e suas instalações adicionais, e os escritórios no segundo andar. Finalmente, o edifício conseguiu atingir os mais ambiciosos regulamentos térmicos e de energia.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

3/ A sala acima do poço

O escritório usou todos estes trabalhos para concluir esta sala, que foi deixada "crua" durante a construção do edifício original, transformando-a em uma segunda sala de ensaio, sem grades, e menor que a principal sala de ensaio, com um acesso facilitado pela escadaria dos escritórios.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Orientações arquitetônicas para a extensão

Como mencionado anteriormente, esta extensão è desejada há muito tempo pela Cidade e pela "La Comédie De Bethune", porque só com ela poderia ser concluído este ambicioso programa. Portanto, a extensão foi a peça que faltava por mais de dez anos, e a possibilidade de adquirir o lote de esquina pela cidade em 2009, tinha finalmente criado as condições para alcançar este objetivo principal. Hoje, o teatro terminado é uma espaço magnífico para a comédia: é uma nova "ferramenta" pronta para uma nova geração de atores e diretores ...

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Este projeto foi importante para o escritório porque é raro de ser capaz de intervir de novo em um edifício quinze anos após a sua entrega. É a oportunidade de ver como o trabalho de escritório se desenvolveu, como os usuários se adaptaram, e, na realidade, esta é uma oportunidade maravilhosa que criar um anexo real: um anexo para o prédio que o próprio escritório havia concebido, portanto, construiu-se, em seguida, foi feita a extensão. Todo esse projeto é, também, um anexo para os usuários e para a cidade de Bethune que acompanharam estas duas aventuras arquitetônicas.

Planta - Térreo
Planta - Térreo

No entanto, não foi tão fácil estender o enorme volume curvo e roxo do teatro, especialmente depois de 20 anos ... O escritório não quis estender a arquitetura existente com o mesmo estilo exato, mas preferiu explorar dois períodos diferentes. Dessa forma, o edifício tinha uma história mais longa, ligando três períodos: antes do teatro em 1999, havia o cinema da década de 1930, do qual o escritório manteve a fachada. Portanto,não se trata de dois períodos arquitetônicos, mas três.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Para a extensão, Manuelle Gautrand apropriou-se do conceito arquitetônico de um volume simples, quase retangular, que vem para fechar o ângulo entre o Boulevard Victor Hugo e da rua 11 de Novembro. Simbolicamente, esta extensão parece ligar todas as funções, para facilitar os deslocamentos dos usuários: o lobby envolve a nova sala de ensaio a abre-se em ambas as ruas. O lobby liga sucessivamente o salão histórico, a nova sala de ensaios e a sala acima do canteiro. Seu comprimento permite a instalação de vários bares, que criam mais lugares de quebras dedicados aos artistas ou audiências.

Planta - Primeiro Pavimento
Planta - Primeiro Pavimento

As fachadas: A encenação sutil ao redor do preto.

A concepção das fachadas integrou a parte mais visível do projeto inicial, este grande volume arredondado com os cantos suaves, totalmente lacado em roxo. E não seria tão fácil justapor um novo estilo.

Finalmente, é em preto que o escritório revestiu esta extensão: uma cor profunda e poderosa. Para criar uma ligação simbólica com o volume inicial, este preto é implementado sob a forma de uma espécie de painéis de metal ondulados,com losangos para lembrar das formas arredondadas roxas. Os losangos, portanto, parecem ir de um volume para outro; são declinados em duas formas diferentes. De fato, na "esteira preta" existente, os losangos são desenhados utilizando estêncil no concreto e, na extensão, eles foram desenhados no revestimento de metal, alternando sucessivamente entre os painéis "preto fosco" e "preto brilhante".

© Luc Boegly
© Luc Boegly

O edifício existente é montado em uma estrutura diagonal que permite fixar os painéis em forma. As ondas destes painéis, esteiras e brilhantes, refletem a luz de forma diferente, dependendo do seu grau de brilho e sua orientação em relação a ela. Além dessa extensão com os enormes losangos desenhados na fachada roxa existente, há uma inspiração delicada tirada de trabalho do artista Pierre Soulages.

Corte 1
Corte 1

Finalmente, esta bela construção de esquina completa o projeto com um volume preto e poderoso: uma forma de afirmar a âncora do teatro na cidade de Bethune. E, ao mesmo tempo, este preto "escuro" é, por vezes, extremamente leve, quando a luz do dia ilumina a fachada do edifício, como acontece nas pinturas de Soulages. O preto torna-se brilhante, reluzente, e quase branco. O edifício é refinado e delicado; torna-se quase cristalino, completando, assim, o volume curvo existente com uma forma mais rigorosa e geométrica. O desafio do projeto foi também de melhorar as performances térmicas e ambientais da reestruturação e da extensão. O edifício existente já apresentava boas performances térmicas, graças a um isolamento eficaz. Para a extensão, essas qualidades são melhoradas com um isolamento exterior muito grosso revestido com metal.

© Luc Boegly
© Luc Boegly

O coração do projeto permanece na coerência em relação ao matiz inicial: uma mistura de tons escuros, indo do preto ao roxo. Somente o mobiliário de bares e mesas, que estende-se ao longo do caminho, é revestido com um branco muito brilhante, que ilumina esses lugares amigáveis. O branco dos móveis também é utilizado nas paredes, criando inserções brilhantes e quase fluorescentes nas paredes pretas. A luz do teto é constituída com longos tubos fluorescentes que lembram as dobras do revestimento preto branqueado pela luz do dia. Uma das últimas questões no projeto foi pensar sobre o progressivo apagamento da presença do ex-fachada do cinema. Como se uma geração fosse afastando a anterior, a fachada preservada e restaurada no projeto antigo, com seus acabamentos pastéis um pouco desatualizados, foi completamente coberta com o verniz roxo, como se o casco arredondado a tivesse engolido. E aqui está este teatro, ao qual o escritório tornou-se muito ligado, pronto para uma nova vida!

Corte 2
Corte 2

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Manuelle Gautrand Architecture
Escritório
Cita: "Comedie de Bethune - Teatro Nacional / Manuelle Gautrand Architecture" [Comedie de Bethune - National Drama Theater / Manuelle Gautrand Architecture] 28 Mai 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Brant, Julia) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/766866/comedie-de-bethune-teatro-nacional-manuelle-gautrand-architecture> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.