O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Itália
  5. Camillo Botticini
  6. 2014
  7. Casa Alps / Camillo Botticini

Casa Alps / Camillo Botticini

Casa Alps / Camillo Botticini
Casa Alps / Camillo Botticini, © atelier XYZ
© atelier XYZ

© atelier XYZ © atelier XYZ © atelier XYZ © atelier XYZ + 29

  • Engenharia Estrutural

    Eng. Franco Palmieri
  • Engenharia de Instalações

    Planex srl

  • Colaboradores

    Arq. Lucia Fanetti, Eng. Paolo Dellana, Arq. Giorgia Guseo, Arq. Stefano Farina
  • Construtora

    Baglioni Costruzioni srl
  • Supervisão da Construção

    Geom. Roberto Migliorati
  • Mais informações Menos informações
© atelier XYZ
© atelier XYZ

Descrição enviada pela equipe de projeto. Casa Alps até “Passo del Cavallo”

A casa situa-se numa clareira nas árvores, a 700 metros sobre o nível do mar, próximo ao "Passo del Cavallo", ao lado de uma estrada que conecta o Vale de Trompia e o Vale Sabbia, numa encosta íngreme. A paisagem é caracterizada por um vale aberto a sul e uma vista para as montanhas verdes com picos de rocha dolomita ao norte. Situa-se num local perto do ruído urbano, mas ao mesmo tempo muito distante, onde o aroma de ervas da montanha e as ovelhas pastando parecem ter parado o tempo; o que determina a condição fundamental do projeto: a relação primária entre a intervenção artificial e a natureza. A relação com o terreno e a paisagem são a materialidade que constroem o projeto: a topografia ao comunicar-se com a edificação opera um princípio de "enraizamento" na encosta para o norte, onde a casa parece morder a montanha, e uma "emancipação" para o sul, com a saliência pendendo a casa para o vale.

© atelier XYZ
© atelier XYZ

Ao norte, um pátio abre-se para o Monte permitindo as vistas para o perfil das rochas dolomitas que, a 1.200 m acima do nível do mar, continuam o plano verde inclinado de modo que fecha virtualmente a quarta fachada da casa. Para o sul uma grande janela esticada faz a mediação entre o interior do estar e a paisagem, e a luz que vem do sul continua como uma janela balcão para o pátio norte. Leve, a integração no lote, com aberturas e fechamentos, sem exibicionismo, conecta o princípio fundamental gerado pelo desempenho do solo e a organização interna do espaço, produzindo uma ideia do doméstico que oferece uma habitação contemporânea sensível ao terreno. Estes são os elementos que compõem o conjunto, com um anseio de harmonia e tensão, buscando uma forma arquitetônica pela forte intensidade expressiva, mas ao mesmo tempo uma forma de equilíbrio e enraizamento no uso de materiais naturais, tais como cobre oxidado e madeira.

© atelier XYZ
© atelier XYZ

A casa possui uma planta irregular em forma de um "C" com um pátio, onde a quarta fachada é feita de um plano verde que proporciona a estrutura planimétrica que gera os espaços da casa, criando três volumes com alturas variáveis aumentando de norte a oeste, onde o volume desaparece pela integração ao terreno. O primeiro volume possui três dormitórios, dois deles com janelas viradas para o pátio, através do banheiro; enquanto o terceiro conta com uma subtração que abre-o, juntamente com o banheiro para o oeste na clareira. Para o sul do segundo volume há uma altura entre 3,50 e 4,50 metros, introduzindo a sala de estar e o espaço aberto suspenso entre o pátio e a paisagem. Seu lado fechado é caracterizado pela presença de uma lareira que termina com o mesmo tamanho da janela sul.

© atelier XYZ
© atelier XYZ

A sala de estar continua com o jantar, a leste, como um volume de pé-direito duplo: um espaço contínuo, caracterizado por uma cobertura estruturada por planos triangulares, dentro do qual está embutido o sistema de iluminação. A parte mais alta do volume, a leste, é caracterizada por um loft, onde há uma cozinha aberta para o pátio, com um espaço de estudo sobre ela. Isso cria um espaço fluido integrado e aberto ao exterior, simultaneamente protegido e quase fechado nos lados leste e oeste (onde eles abrem a janela como uma escavação do dormitório e do banheiro).

© atelier XYZ
© atelier XYZ

O nível principal de acesso, coberto pela saliência de três metros do estar, é inserido para o sudeste. Ao entrar há uma rampa paralela a uma grande sala com lareira. Aqui existe uma escada para o nível da sala de jantar e, em seguida, para o mezanino, onde uma claraboia abre-se para o céu ao norte. O acesso pela estrada conta com duas possibilidades. Uma entrada com rampa coberta levando os automóveis ao subsolo, um nível abaixo do principal acesso. E um acesso de pedestres constituído por uma escala linear suspensa feita de aço, a partir da estrada, como um espaço coberto levando ao nível de entrada.

Planta Baixa
Planta Baixa

Um elevador conecta o nível da garagem com o estar. Os espaços e áreas de serviço estão localizadas no subsolo. A casa aparece em sua relação primária com a paisagem, sem outros elementos artificiais, além da escada suspensa que corta a encosta. Sistema geotérmico, bomba de calor, paredes ventiladas, criam uma ventilação natural, embora as paredes espessas (65 cm) protejam contra o frio e calor permitem a construção de uma casa com custos muito baixos de aquecimento, com consumo e poluição perto de zero. Queríamos uma casa ecológica nos materiais de construção e isolamento, equipada com paredes ventiladas, sustentável no balanço com a paisagem.

© atelier XYZ
© atelier XYZ

Prados verdes e árvores enquadrando o revestimento externo em cobre oxidado corrugado e madeira Accoya (patente da madeira indeformável da Nova Zelândia de pinus reflorestado), são os únicos elementos que, juntamente ao vidro triplo dos quartos, contrapõem com a natureza. A parede ventilada de cobre é modulada com um ligeiro plissamento para fazer vibrar a luz sobre a superfície anti-reflexiva. A madeira da grande abertura reflete a luz que se refrata desde o sul. O piso do pátio feito em madeira iroko e as grandes janelas integradas no revestimento de cobre definem um espaço que é reforçado por uma árvore que traz um pedaço da natureza. Internamente, os pisos são feitos de resina cor de areia, as paredes são de gesso pintadas de branco, nos tetos há luzes embutidas em negativos da laje, os parapeitos são de vidro e as esquadrias são em ferro pintado com o objetivo de exaltar o espaço e sua continuidade, favorecendo a integração com o terreno.

© atelier XYZ
© atelier XYZ

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Camillo Botticini
Escritório
Cita: "Casa Alps / Camillo Botticini" [Alps Villa / Camillo Botticini] 11 Abr 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/764983/alps-villa-camillo-botticini> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.