O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Chipre
  5. Kythreotis Architects
  6. 2013
  7. Pavilhão na Residência do Arquiteto / Kythreotis Architects

Pavilhão na Residência do Arquiteto / Kythreotis Architects

  • 19:00 - 1 Fevereiro, 2015
  • Traduzido por Arthur Stofella
Pavilhão na Residência do Arquiteto / Kythreotis Architects
Pavilhão na Residência do Arquiteto / Kythreotis Architects, © Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

© Stelios Kallinikou © Stelios Kallinikou © Stelios Kallinikou © Stelios Kallinikou + 22

© Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

Descrição enviada pela equipe de projeto. Concluído em 2013, o pavilhão situa-se em um terreno de 2000 m² ao longo do rio Pedieos, no distrito de Ayios Andreas na cidade de Nicosia, Chipre, e é projetado para coexistir com uma residência de 1940 que foi reformada.

Planta Baixa Pavimento Térreo
Planta Baixa Pavimento Térreo

O terreno em forma de T desfruta de uma longa exposição de 80 metros ao rio, no leste, ao longo do qual, o jardim desce suavemente de encontro à margem do rio e se funde com o seu habitat natural, desta forma tornando indefinida a fronteira entre o feito pelo homem e o natural .

© Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

O rio, neste local específico, tornou-se, com o decorrer do tempo, uma extensão natural da área protegida das Nações Unidas, coloquialmente conhecida como a "linha verde", uma zona desmilitarizada, congelada em um status quo militar desde a invasão da ilha pela Turquia em 1974. Enquanto esta longa faixa de terra engloba aldeias rurais abandonadas, terras agrícolas que se encontram em repouso, e edifícios de pedra que ruíram, na histórica cidade de Nicósia, ele conseguiu escapar do boom da construção em ambos os lados da Linha Verde, e, como resultado, os prados tem se recuperado da contaminação com agrotóxicos e fertilizantes artificiais, as florestas de encostas foram preservadas, e a vida selvagem foi deixada para prosperar, tornando-se um refúgio para a fauna e flora, desenvolvendo-se naturalmente sobre a ausência de interferência humana; a linha verde, devido ao seu isolamento, tornou-se, literalmente, "verde".

© Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

É no encontro entre o produzido pelo homem e o natural que o pavilhão está posicionado, próximo à margem do rio, em contraste com a residência, situada no final da rua, respondendo ao caráter suburbano desta área.

© Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

A entrada para o local é feita através de um portão da rua, no lado oeste, a poucos metros da porta principal da casa, que atua como um portal principal para uma experiência que varia desde suburbana até rural e do construído ao não edificado. A ligação entre o antigo e o novo é alcançada através de um pátio/terraço aberto pavimentado com terracota, um espaço intermediário paisagístico, deixado em aberto aos elementos, formado pela justaposição dos dois edifícios, agindo como um espaço de transição, uma passagem plantada, onde a natureza é experienciada como uma conexão de arquitetura não construída.

Elevação 2
Elevação 2

Projetado primeiramente em 2010 para funcionar como um retiro natural e pousada, o pavilhão, com cada um dos seus elementos físicos refinados à sua essência irredutível, representa uma expressão minimalista de arquitetura, suavemente colocada dentro do contexto complementar e simultaneamente contraditório de um jardim informal paisagístico e uma natureza espontânea, criando um equilíbrio harmônico entre a forma geométrica pura, feita pelo homem, e da paisagem orgânica que o rodeia, que se torna um aspecto integral da concepção arquitetônica e estética do arquiteto.

© Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

O pavilhão é projetado de tal forma que se desdobra e reinventa-se com a mudança das estações, permitindo assim que seus habitantes tenham a experiência do silêncio rural de um ambiente urbano único através do tempo. A calma estabilidade do objeto feito pelo homem contrasta mas ao mesmo tempo coexiste com os movimentos, sons e ritmos sutís da água, do vento e da vegetação. Habitar o pavilhão envolve uma confiança no ambiente, aproxima a natureza através de uma experiência quase cinematográfica da mudança das estações, sem a presença de tecnologias como luzes de teto, resfriamento e aquecimento (além da lareira), a experiência torna-se mais intensa e autêntica.

© Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

A arquitetura do pavilhão representa uma expressão minimalista da estrutura, espaço e contexto.

Espacialmente, consiste em um espaço de 9 por 11 metros, um espaço de concreto aparente semi-enterrado, contendo um quarto, banheiro, sala de estar e uma cozinha, agindo como uma casa casa de hóspedes auto-sustentável, também consiste em um pavilhão de 12 por 11 metros, de planta aberta, elevado, dividido principalmente por seu mobiliário, sofá, mesa de jantar e cadeiras, enquanto um armário de carvalho baixo e concreto serve como bar e cozinha.

© Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

O pavilhão é composto por dois elementos horizontais, o piso, uma laje de concreto, flutuando a 80 centímetros acima do chão, revestido com tábuas de madeira recuperada de 3 centímetros de espessura, e um telhado, uma laje de cobertura de metal/concreto leve, revestido com lingueta e ranhura de madeira teca. Com seu piso e teto enfaticamente planos suspensos nas colunas de aço amplamente espaçadas, o espaço parece flutuar acima do solo, com três degraus largos de tijolos vermelhos, transcendendo quase que sem esforço para fora do chão, como se estivessem flutuando até a entrada.

Corte 1
Corte 1

Entre os dois planos flutuantes de madeira, paredes deslizantes de vidro do chão ao teto com 2,5 metros de altura fortalecem a ideia do arquiteto de atar o espaço com seu entorno, enquanto redefinem a característica da fronteira entre o abrigo e o que está do lado de fora. O vidro colabora dialeticamente, alterando a consciência do observador entre a emoção da exposição aos elementos da natureza quando aberto, e a confortante estabilidade de um invólucro arquitetônico quando fechado. Uma série de reflexões da paisagem do entorno criam uma camada infinita de imagens e experiências em constante mudança;

© Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

A estrutura do pavilhão é principalmente composta por uma viga e um poste de aço apoiado na laje estrutural que é a laje de cobertura semi-cave. É composta por oito colunas de aço corroído em forma de quadrado contrastando com os troncos mais leves das árvores de eucalipto ao redor, mas também complementando as cores naturais através da sua patina natural, e uma parede estrutural de concreto, disfarçado como uma lareira, que atua como uma parede anti-sísmica.

© Stelios Kallinikou
© Stelios Kallinikou

Nas fachadas norte, leste e oeste, as paredes de vidro são planas, sem beiral, a fim de permitir que o sol da manhã e da tarde entrem, e maximizar a visibilidade para o céu, enquanto que no lado sul do pavilhão, a estrutura de madeira do telhado/teto estende-se para além das paredes deslizantes de vidro e age como uma cobertura para um espaço de varanda elevado, uma extensão do interior, à direita, e os degraus que levam diretamente para os azulejos de andesito verde da piscina à esquerda.

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Kythreotis Architects
Escritório
Cita: "Pavilhão na Residência do Arquiteto / Kythreotis Architects" [Pavilion at Architect’s Residence / Kythreotis Architects] 01 Fev 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Stofella, Arthur) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/761078/pavilhao-na-residencia-do-arquiteto-kythreotis-architects> ISSN 0719-8906