O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Arquitetura Cultural
  4. Finlândia
  5. MX_SI
  6. Museu Gösta Serlachius / MX_SI

Museu Gösta Serlachius / MX_SI

  • 19:00 - 17 Janeiro, 2015
  • Traduzido por Arthur Stofella
Museu Gösta Serlachius / MX_SI
© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

© Pedro Pegenaute © Pedro Pegenaute © Pedro Pegenaute © Pedro Pegenaute + 23

  • Equipe MX_SI

    Oscar Fabian Espinosa,Olga Bomač, Elsa Bertran, Mariona Oliver, Jure Kolenc
  • Arquiteto Local

    Huttunen-Lipasti-Pakkanen Architects Oy
  • Colaboradores e Consultores Estruturais do Museu e da Ponte

    A-Insinöörit Oy
  • Consultor Elétrico

    Sähkötekniikka Kari Siren Oy Landscape Architect
  • Consultor

    Ramboll Finland Oy Collaborators Museum
  • Gerente de Projeto

    Pöyry CM Oy
  • Consultor HVA

    AIRIX Talotekniikka Oy
  • Consultor de Incêndio

    Pöyry Finland Oy
  • Sinalização

    Petitcomite
  • Empresa Construtora Museu-Ponte

    Jämsän Kone- ja Rakennuspalvelu Oy
  • Orçamento do Museu

    € 19,500,000
© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Descrição enviada pela equipe de projeto. O escritório MX_SI recebeu o prêmio de Arquitetura Espanhola Internacional de 2013, na categoria Projeto de Concurso Internacional com o projeto para o Museu Gösta Serlachius, concedido pelo Conselho Superior das Associações de Arquitetos da Espanha.

O estúdio de arquitetura MX_SI com sede em Barcelona, foi o ganhador do concurso internacional para a ampliação do Museu de Arte Contemporânea Gösta Serlachius na Finlândia. Seu projeto foi selecionado entre 579 propostas, fazendo com que esta fosse o concurso com a maior quantidade de participantes da história da Finlândia.

Planta de Locação
Planta de Locação

MX_SI, cujos trabalhos incluem o Centro Frederico Garcia Lorca em Granada, também projetaram a ponte que une o parque onde o novo museu se localiza, na ilha de Taavetinsaari e sugeriu o layout das obras de arte de Harry Kivijärvi para que formassem parte da paisagem.

Em 13 de Junho de 2014 foi inaugurado o Museu de Arte Contemporânea Gösta Serlachius em Mänttä, Finlândia, projetado por MX_SI, um escritório de arquitetura com sede em Barcelona, vencedores do concurso internacional aberto em 2011, organizada pela Fundação Serlachius com o apoio da associação dos arquitetos finlandeses SAFA. Foram recebidas 579 propostas de 42 países para o concurso, fazendo dele o mais popular de todos os tempos na Finlândia.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

A competição era para uma extensão da mansão Joennimei, uma construção que não foi originalmente projetada como um museu e foi reformada em 1983, para servir como sede para o centro.

A solução providenciada pelos arquitetos do estúdio MX_SI, Mara Partida, Boriz Bezan e Hector Mendoza, permitiu que as instalações fossem adaptadas para abrigar exibições itinerantes de arte contemporânea, ao mesmo tempo em que resolvia o problema de espaço devido à coleção do museu em crescimento. A nova edificação é erguida contra um cenário abstrato de uma floresta petrificada e está posicionado de forma a criar uma praça de entrada ao longo da historicamente importante mansão Joennimei. O MX_SI colaborou com Huttunen-Lipasti-Pakkanen Architects em Helsinque como parceiros locais para o desenvolvimento do projeto e supervisão da construção.

© Tuomas Uusheimo
© Tuomas Uusheimo

O novo edifício respeita o que originalmente estava no local ao mesmo tempo em que assegura a possibilidade de criar sua própria arquitetura com uma linguagem moderna sem perder sua identidade. A riqueza espacial gerada pelo diálogo fluido e contínuo entre as atmosferas interiores e exteriores, em conjunção com a harmonia do volume projetado e como foi adaptado à paisagem em seu perímetro, são os valores que foram transferidos e fizeram sua marca no projeto.

Planta-Baixa Pavimento Térreo
Planta-Baixa Pavimento Térreo

Paralelo à construção da nova edificação, o MX_SI foi convidado a aceitar a oportunidade de conectar o museu, localizado em um parque nas margens do Lago Melasjärvi, na ilha de Taavetinsaari, conseguindo um aumento natural no espaço de exibição externo. Uma ponte foi construída com uma estrutura simples e singular, mantendo a aparência formal e conceitual do projeto inicial. Um elemento que coexiste com a integração dos trabalhos de arte na paisagem, que em adição à sinalização da edificação, também foi supervisionado pelo estúdio arquitetônico MX_SI.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

A Fundação Serlachius foi criada em 1933 com o propósito de cuidar da manutenção da coleção de arte reunida por Gösta Serlachius (1876-1942), proprietário de uma das maiores fábricas de papel da Finlândia. Atualmente, o museu exibe trabalhos valiosos de diversos períodos do movimento artístico finlandes, desde as primeiras ovras da prolífica Era Dourada, modernismo e criações contemporâneas. Além da exibição SuperPop!, com a curadoria de Timo Valjakka, incluindo clássicos da Pop Art americana e finlandesa.

No exterior, a edificação apresenta uma série de esquadrias verticais que seguem e enfatizam o ritmo da estrutura interior. Entre as esquadrias, um sistema de fachada ventilada foi projetado com faixas madeira de abeto torcidas independentemente ao limite tectônico do próprio material, alcançando assim um efeito de textura tridimensional que varia ao longo de toda a elevação. A ideia da fachada também considera o efeito do tempo em um material natural como a madeira, então foi decidido adicionar uma tonalidade dourada semi-transparente em todos os seus elementos. Durante os primeiros anos a edificação manterá uma imagem constante que desaparecerá para dar passagem aos desejados tons prateados que caracterizam esta madeira conforme ela envelhece.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Para reduzir o impacto visual em um ambiente tão sensível, o edifício procura se decompor em fragmentos menores. O volume é interrompido por alguns cortes, ou incisões de formato irregular, que são então cobertos com uma superfície de vidro refletivo. O resultado destas incisões é a percepção de espaços de espelhos infinitos; portas ou caminhos da floresta subdividindo opticamente transversalmente a construção.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

No interior, o edifício é organizado de forma a continuar o caminho que se inicia no exterior. Este caminho é atravessado por uma súbita invasão de luz causada principalmente pelas incisões no volume da construção que também oferecem vistas do exterior. Estas invasões transformam o que seria um caminho linear em um emocional, graças ao ritmo da repetição constante da estrutura e interrupções que permitem os espaços externos adentrarem no edifício.

Tecnicamente, este projeto representa um dos primeiros exemplos de construções públicas em larga escala na Finlândia a ser construído com estrutura, paredes externas e acabamentos utilizando a madeira. Apesar das rígidas normas contra incêndio, foi possível deixar os quadros estruturais de madeira visíveis no interior de todo o edifício. Foi importante evitar cobrir a estrutura para perceber a suave textura do material e da superfície curva do telhado, acentuada pelo ritmo estável das vigas.

Museu Gösta Serlachius  / MX_SI , © Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Esta estrutura também foi projetada para dar maior flexibilidade aos espaços interiores devido ao planejamento de futuras exibições. Apoios foram deixados nas laterais, liberando, desta forma, elementos da construção e deixando livres as partes centrais das galerias, os quadros foram também calculados de forma a segurar grandes peças de artes que poderiam ser penduradas a partir das vigas do telhado.

Corte 2
Corte 2

Conforme o parque se tornava parte da jornada aos sentidos e à experiência do visitante do museu, o projeto também começou a assumir o exterior em larga escala. Novas áreas de parque foram renovadas e introduzidas, a ponte conectando o parque com a ilha Taavetinsaari foi projetada e novos elementos de arte foram posicionados na paisagem, como as esculturas feitas por Harry Kivijärvi, trabalhos que por sua vez representam um novo diálogo entre o museu e o ambiente natural onde estão localizadas.

© Pedro Pegenaute
© Pedro Pegenaute

Alguns dos prêmios e reconhecimentos do projeto incluem uma nominação para o European Union Prize for Contemporary Architecture - Mies van der Rohe Award 2015, um prêmio da Arquitectura Española Internacional e um reconhecimento no Premio NAN. Na Finlândia recebeu o prêmio de melhor projeto em madeira em 2014, e foi um dos finalistas no Finlandia Prize for Architecture e também na Associação de Engenharia Civil da Finlândia.

Outras premiações incluem o Young Architect of the Year Award, YAYA2014, finalista nos prêmios da RUM magazine e Merit Award em nosso programa Wood Design & Building Awards, Canadian Wood Council/Conseil canadien du bois (www.cwc.ca).

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Escritório
Cita: "Museu Gösta Serlachius / MX_SI " [Gösta Serlachius Museum / MX_SI ] 17 Jan 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Stofella, Arthur) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/760186/museu-gosta-serlachius-mx-si> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.