O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Espaço De Exibições
  4. Reino Unido
  5. C.F. Møller
  6. 2009
  7. Centro Darwin / C.F.Møller Architects

Centro Darwin / C.F.Møller Architects

Centro Darwin / C.F.Møller Architects
Centro Darwin / C.F.Møller Architects, © Torben Eskerod
© Torben Eskerod

© Torben Eskerod © Torben Eskerod © Torben Eskerod © Torben Eskerod + 31

  • Arquitetos

    C.F.Møller Architects
  • Localização

    Londres, Inglaterra
  • Arquiteto Responsável

    Anna Maria Indrio
  • Engenharia Estrutural

    Arup
  • Cliente

    Natural History Museum
  • Empreiteira

    HBg ltd
  • Orçamento

    £$78 M
  • Área

    16000.0 m2
  • Ano do projeto

    2009
  • Fotografias

  • Category

Descrição enviada pela equipe de projeto. 1. VISUALIZAÇÃO DA COLEÇÃO

Expressando um conceito arquitetônico único e apropriado

O desenho para a segunda fase do projeto do Centro Darwin é caracterizado por um conceito arquitetônico forte e atrativo para conter e representar a vasta coleção etimológica e botânica que fazem parte do acervo do Museu de História Natural.

© Torben Eskerod
© Torben Eskerod

O Casulo

A solução para resolver as várias necessidades do cliente e claramente simbolizar a coleção mundial de espécies é o ‘Casulo' (no original, the Cocoon), uma tradução arquitetônica que forma a envoltória de proteção interna .

A escala do Casulo não permite que ele seja visualizado inteiramente de nenhuma posição. Isso enfatiza sua grande escala. A forma e tamanho dão ao visitante uma compreensão tangível do volume das coleções contidas ali.

© Torben Eskerod
© Torben Eskerod

As coleções do acervo do Museu de História Natural estão entre as mais extensas e preciosas do mundo. Para preservar, manter e representar adequadamente esta coleção, uma estrutura adequada, tanto na sua expressão e a construção física era necessária. O Casulo faz isso através da criação de um ícone, que representa a preservação, proteção e natureza. É construído de paredes de 300 mm de espessura, com uma forma geométrica definida baseada em equações matemáticas. O acabamento das superfícies são de gesso polido cor de marfim, semelhante a um casulo de seda, no qual uma série de juntas de dilatação o envolvem, assemelhando-se fios de seda.

© Torben Eskerod
© Torben Eskerod

2. RESPEITO AO TERRENO

Respeitando o patrimônio arquitetônico existente

A segunda fase do Centro Darwin destina-se a gerir a diferença de escala, abordagem arquitetônica e para criar uma ligação física entre o marco original do edifício Alfred Waterhouse Museum e o anexo mais contemporâneo da primeira fase do Centro Darwin. Também serve como um edifício de referência em seu próprio direito, a parede envidraçada da fachada revelando parcialmente a forma tri-dimensional sólida do casulo em seu interior.

© Torben Eskerod
© Torben Eskerod

Unindo passado, presente e futuro

Este anexo transforma os edifício existentes em algo mais que a soma de suas partes. Este novo edifício conecta os edifícios novos e existentes em um diálogo formando um conjunto de experiências espaciais, dinâmicas, unindo o passado, presente e futuro para o museu.

A curva suave do enorme casulo é uma característica icônica do novo edifício do Centro Darwin e o átrio público é dramático, alto e repleto de luz natural.

A segunda fase do Centro Darwin completa a porção oeste da propriedade do Museu de História Natural, unindo os edifícios existentes além de reforçar e clarificar os padrões de circulação dentro do museu, tanto para funcionários e visitantes.

© Torben Eskerod
© Torben Eskerod

3. MAXIMIZANDO O ACESSO UNIVERSAL

Acesso Público para o núcleo científico da segunda fase do Centro assume a forma de um percurso para o visitante ao londo do Casulo, vislumbrando as áreas das coleções científicas sem comprometer as atividades centrais de proteção, preservação e pesquisa.

© Torben Eskerod
© Torben Eskerod

Ao passar pelo Casulo, o visitante entre em um novo espaço onde os limites entre os mundos interno e externo da pesquisa científica se mesclam.

O visitante pode experimentar o Centro Darwin como um espaço de aprendizado atraente e interativo, observando as atividades científicas e de pesquisa, sem interromper o trabalho científico em andamento.

© Torben Eskerod
© Torben Eskerod

Ver a galeria completa

Localização do Projeto

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Centro Darwin / C.F.Møller Architects" [Darwin Centre / C.F. Møller] 31 Dez 2014. ArchDaily Brasil. (Trad. Santiago Pedrotti, Gabriel) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/759635/darwin-centre-cfmoller-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.