O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Madrid RIO / West 8, Burgos & Garrido, Porras La Casta, Rubio Alvarez Sala

Madrid RIO / West 8, Burgos & Garrido, Porras La Casta, Rubio Alvarez Sala

Madrid RIO / West 8, Burgos & Garrido, Porras La Casta, Rubio Alvarez Sala
Madrid RIO / West 8, Burgos & Garrido, Porras La Casta, Rubio Alvarez Sala , © Jeroen Musch
© Jeroen Musch

vista aérea ponte Toledo

Em 2005, uma competição internacional foi anunciada para o projeto de uma área acima de um túnel com uma seção de 30 metros por onde passa uma auto-estrada adjacente ao antigo centro da cidade. A equipe de projeto vencedora propôs resolver a situação urbana exclusivamente utilizando recursos de arquitetura da paisagem. O design é baseado na ideia de “3+30″ – um conceito que propõe dividir os 80 hectares do desenvolvimento urbano em uma trilogia de projetos estratégicos iniciais que estabeleçam uma estrutura básica para então servir como fundação sólida para um número de projetos posteriores, iniciados em parte pela prefeitura e também por investidores privados e moradores.

Um total de 47 subprojetos com um orçamento combinado de 280 milhões de euros têm sido desde então desenvolvidos, dentro os mais importantes o Salón de Pinos, Avenida Portugal, Huerta de la Partida,  Jardins da Ponte de Segovia, Jardins da Ponte de Toledo, Jardins da Virgen del Puerto e o Parque da Arganzuela. Além das várias praças, bulevares e parques, um conjunto de pontes foram realizações que melhoraram conexões entre os distritos urbanos ao longo do rio. Os primeiros subprojetos foram realizados na primavera de 2007. A realização do projeto completo foi planejada para a Primavera de 2011.

Corte

Salón de Pinos (realização:2010)

O Salón de Pinos é projetado como um espaço verde linear que ligará os espaços urbanos existentes e os novos entre si ao longo do Manzanares River, localizado quase inteiramente no topo de um túnel de autoestrada, e faz referência à flora das montanhas nos arredores de Madri. Os pinheiros capazes de sobreviver sobre rochas são plantados em mais de 8000 metros quadrados. Uma “coreografia” da plantação da árvore com diferentes cortes, seleções de características de crescimento de árvores, plantas combinadas e inclinadas levam a um caráter natural e escultural do espaço para criar um monumento botânico. Uma variedade de testes, plantas e materiais cuidadosamente selecionados formam o design de um suporte para árvores com referências aos chifres do touro.

Avenida de Portugal

Avenida de Portugal (realização: Maio 2007)

A Avenida, um dos caminhos mais importantes no centro de Madri, é caracterizada pelos seus arredores impressionantes. A rodovia fica na fronteira entre um dos mais densos quarteirões residenciais e a Casa de Campo – antigamente terreno de caça do rei da Espanha – e de longe oferece uma vista impressionante para o centro da cidade histórica na margem do Manzanares. Realocando a estrada em um túnel e providenciando estacionamento subterrâneo para mil veículos, foi possível converter o espaço em um jardim, beneficiando os moradores locais em particular. O design faz referência a Portugal como seu tema – a extensão da Avenida de Portugal leva em direção a Lisboa, no processo de travessia de um famoso vale por suas flores de cerejeira e por outro lado extremamente enterrado e inóspito como o clima da Estremadura. A abstração das flores de cerejeira como um elemento de design do parque, o plantio de diferentes tipos de cerejeiras para estender o período em que elas florescem, a reinterpretação da pavimentação de Portugal e a conexão do espaço com seu entorno levou à criação de um espaço público popular.

© Jeroen Musch

Huerta de la Partida (primeira fase de realização em 2007, segunda fase em 2009)

O City Palace foi construído como um conjunto barroco com uma coreografia estrita que conectou o Royal Palace com os terrenos de caça e o jardim de fruta e vegetal do outro lado do rio.  Através das mudanças de infraestrutura dos anos 50 o pomar se transformou num centro de transportes. Ao contrário da tendência inicial de criar uma reconstrução histórica, a Huerta é agora uma interpretação moderna do pomar. É formado por uma grande variedade de árvores frutíferas em grupos, arranjadas em fileiras alternadas: figueiras, amendoeira, romeira e outras árvores que simbolizavam o paraíso no passado.

Nas últimas décadas o rio aparece de novo, sinuoso. Sua nascente e foz são especialmente modeladas. A cavidade define o ponto final do curso da água e mostra ao observador a imagem do conjunto intacto de novo – a combinação dos elementos do castelo Barroco da cidade. Como consequência do design há uma nova entrada para a Casa de Campo que conecta logicamente ao espaço público.

Parque da Arganzuela

Parque da Arganzuela ( realização em 2011)

O motivo dominante para a maior parte do projeto é a água. O rio Manzares canalizado e abandonado é cercado por paredes arquitetônicas. O parque é baseado nas diferentes emoções e paisagens no contexto da água, o que faz desse elemento algo sensitível e explorável. O sistema de riachos atravessa o parque e formará em cruzamentos e com a topografia diferentes espaços e lugares. Os diversos riachos têm cada um seu próprio caráter. O Rio Seco, por exemplo, é uma interpretação dos rios da paisagem espanhola nos quais você sente a presença da água em qualquer estação, mas ao longo do ano somente a vegetação ao longo do leito do rio e seus pedregulhos são visíveis. A variedade botânica criará diferentes atmosferas e permitirá uma estruturação de espaços clara com alta variedade de diferentes humores.

Pontes Cascara ( realização em 2010)

Ao contrário da infraestrutura usual técnica e pragmática de pontes para pedestres, foi criado um lugar onde o rio é realmente experenciado. Ele é projetado como uma cúpula maciça de concreto com textura áspera. As pontes têm escala de elementos do parque e não infraestrutural. Mais de cem formam o estreito deck de metal. O detalhamento fino se torna visível quando entra na ponte. O teto possui mosaicos do artista espanhol Daniel Canogar. Na borda do teto a luz entra e ilumina o trabalho de arte e o deck por reflexão.

Ficha técnica:

  • Arquitetos:West 8, Burgos & Garrido, Porras La Casta, Rubio Alvarez Sala
  • Ano: 2006
  • Área construída: 80000 m²
  • Tipo de projeto: Paisagismo
  • Operação projetual:Revitalização
  • Status:Construído
  • Materialidade: Pedra e Concreto
  • Localização: Madrid, Espanha

Equipe:

  1. Equipe de Projeto: West 8 urban design & landscape architecture, Burgos & Garrido, Porras La Casta, Rubio Alvarez Sala
  2. Coordenação de Projeto: Ginés Garrido Colomero
  3. Cliente: Prefeitura de Madri
  4. Renderizações: Cortesia de West 8

 

Conclusão: 2011

Cita: Camila Bortoluzzi. "Madrid RIO / West 8, Burgos & Garrido, Porras La Casta, Rubio Alvarez Sala " 21 Jul 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/60376/madrid-rio-west-8-burgos-e-garrido-porras-la-casta-rubio-alvarez-sala> ISSN 0719-8906