O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. IDOM Headquarters / ACXT

IDOM Headquarters / ACXT

IDOM Headquarters / ACXT
IDOM Headquarters / ACXT, © Aitor Ortiz
© Aitor Ortiz

Os novos escritórios do Grupo IDOM está localizados no antigo entreposto aduaneiro no canal de Deusto, em Bilbao. Tem 14.400 m2 destinados a escritórios de pesquisa e desenvolvimento, como também o quarto branco, a oficina de protótipos, e outros espaços sociais.

Implantação

Exteriormente, e a partir da primeira idéia, o projeto foi desenvolvido a partir da forma de ocupação do telhado, que foi preenchido com bens que foram armazenados no edifício. Um tapete verde imaginário foi projetado como se tivesse sido simplesmente colocado no telhado, escondendo todas as unidades de ar condicionado que na maioria dos edifícios de escritórios são visíveis, resultando em impacto sonoro e visual. Algumas topografias surgem como resultado da adaptação do “tapete” nas máquinas. Dobras e superfícies que se assemelham a uma colina sobre a qual passear nos momentos de relaxamento e conversa com os colegas, para isso é o chão sobre o qual este ambiente de descanso do edifício foi projetado. A parte plana do “tapete” é de grama natural. Para motivos de manutenção e de peso, a parte que cobre as máquinas, as dobras, é uma relva artificial.

© Aitor Ortiz

Queríamos dar às fachadas um design que fosse altamente protetor solar, mas que não comprometesse a vista a partir do interior do edifício e que nos ajudasse a controlar a irradiação solar e, portanto, o gasto energético. Então, criamos algo como “brides solares, cujo desenho surge como uma extensão imaginária do tapete do telhado, como algo que fosse esticado sobre as fachadas e que se dobra nas suas singularidades: uma sacada existente de frente apra o canal, a enteada, pontos de acesso para os bombeiros através da fachada e outras áreas específicas.

© Aitor Ortiz

Durante o projeto foram desenvolvidas inúmeros desenhos. Por fim, decidimos por uma solução horizontal que tinha o equilíbrio ideal de estética, custo e manutenção: perfis extremados de alumínio suportados pelos perfis de aço HEA com parafusos AISI 316 de aço inoxidável. A fachada do edifício é resolvida com um composto de alumínio e lã de rocha nas partes cegas e com vidro de alta performance numa estrutura como uma cortina de moldura de alumínio nos espaços entre os pilares. Entre os carris de ripas e a fachada, foi concebida uma plataforma para limpeza externa e manutenção.

© Aitor Ortiz

No interior, o design combina elementos existentes com outros novos. As grandes vigas da estrutura original (um armazém portuário) são deixadas descobertas na maioria dos andares. As aberturas utilizadas pelos velhos elevadores de carga que levantavam a carga até o telhado agora são ocupadas por uma esplêndida escadaria principal e elevadores panorâmicos que oferecem pontos de vista dos escritórios e do canal. No último andar da torre, onde a barulhenta casa das máquinas do elevador de carga costumava ficar, agora há uma biblioteca, um espaço para as idéias fluírem no silêncio.

© Aitor Ortiz

No andar térreo, foi necessário eliminar 3 pilares para acomodar uma sala de exposições com 400m2. Três quadros de descarga, com grande altura no meio, determinam o desenho da sala: um revestimento de madeira contínuo sobre pisos, paredes e tetos, que se adapta à forma das vigas através de uma geometria de inspiração marítima, como o casco de um barco.

© Aitor Ortiz

O edifício tem medidas de eficiência energética inovadoras: Torneiras e equipamentos sanitários de consumo muito baixo; tanques de armazenamento de água da chuva no telhado, sob a relva, para a rega automática do jardim; sistemas automáticos de regulagem de iluminação, slats de proteção solar nas fachadas, painéis fotovoltáicos no telhado da torre e difusão exclusiva pelo movimento e HVAC por sistemas de água. Para estes últimos, os diferentes feixes coloridos que completam o HVAC e a iluminação num só elemento foram projetados e instalados: as vigas frias. Estima-se que estas medidas trarão economia de energia de cerca de 60%, em comparação com o consumo normal de uma construção semelhante.

Planta de coberturas

O telhado verde oferece uma série de benefícios adicionais que afetam o ambiente urbano próximo, como a redução do efeito ilha de calor, agindo como um ruído, graças ao elemento de absorção de CO2 da sua vegetação. Além disso, a possibilidade de manter água acumulada em um tanque de escoamento no piso térreo, contribui para o controle de água em tempos de chuvas e tempestades pesadas.

© Aitor Ortiz

As vigas frias integram baterias de água, lâmpadas e sensores de iluminação, e são instaladas entre as grandes vigas existentes, que, devido ao fato de que elas estão descobertas, fazem o máximo de sua inércia, dada por sua grande massa e atenuam as diferenças de temperatura entre o dia e a noite, quando o sistema de climatizarão é ligado ou desligado. O HVAC trabalha com a água que alimenta as baterias, sem as partes mecânicas. Ela ajuda a criar um sistema eficaz e duradouro, exigindo o mínimo de manutenção. O sistema de difusão para a ventilação é o deslocamento através do qual o ar sai peo solo, a uma velocidade muito baixa, e sobe, ao se aquecer, em direção ao teto, onde entra em contato com as pilhas e depois desce por confecção natural. Um projeto de instalação livre, muito confortável e tranqüilo.

© Aitor Ortiz

A cor dos feixes contribui para tornar o ambiente de trabalho mais amigável, longe dos limites habituais monocromáticos nos espaços de escritórios abertos, e mais perto da vibração das cores verde e ocre que são vistos quando sentado aos pés de uma arvore.

No perímetro do edifício, as áreas de fachadas adjacentes, a fim de atenuar o excesso de luz natural, paredes e tetos foram pintados de cinza. O interior foi deixado na cor branca machado, a cor que a estrutura existente tinha, que é deixado bruto, descoberto.

Um objetivo importante do projeto era criar um espaço de trabalho amplo e arejado, com comunicação visual grande entre os departamentos, sem barreiras entre os níveis de função e de filiação da empresa IDOM. No centro dos andares, um halo de entrada serve, em alguns casos, para estabelecer uma zona para secretários, e em outros, área para falar ao telefone sem perturbar os colegas.

Poucos escritórios foram planejados, mas muitas soas de reuniões e trabalho em equipes. Para evitar a criação de barreiras psicológicas entre as salas de escritório e as áreas abertas, planejamos nenhuma partição convencional com vidro fixo e porta, mas sim três painéis de de vidro deslizastes que permitem que telas de 2/3 do escritório fiquem abertas para as áreas de trabalho.

Esquema conceitual

Barulho e espaços de trabalho abertos são muitas vezes sinônimos, por isso foi dada atenção especial para as superfícies de absorção: no chão, um tapete com o estado de arte de 6.6 fibras; na frente das mesas, placas perfuradas com lã de rocha, e nos tetos, as vigas frias possuem um revestimento projetado com um véu de absorção de som e placas perfuradas de modo que a sua posição entre as vigas existentes serve como uma armadilha acústica.

Esta estratégia se repete nos ambientes de visitantes, onde foram projetados um revestimento de lã de rocha nas paredes, com o véu absorvente e chapas eletro dicromato galvanizadas, um acabamento industrial utilizado para fazer filtros e peneiras. O piso do porão, que o edifício não tinha anteriormente, está abaixo do nível do canal Deusto. Para assegurar ventilação adequada, minimizar infiltrações e umidade, as arredes e as fundações foram cobertas com malha de camuflagem.

Ficha técnica:

  • Arquitetos:ACXT Arquitectos
  • Ano: 2011
  • Área construída: 14,400 m²
  • Tipo de projeto: Institucional
  • Status:Construído
  • Materialidade: Metal e Concreto
  • Estrutura: Concreto e Aço
  • Localização: Bilbao, Espanha
  • Implantação no terreno: Isolado

Equipe:

  1. Arquitetos: ACXT Arquitectos
  2. Arquiteto Responsável: Javier Perez Uribarri
  3. Colaboradores: Oscar Ferreira da Costa, Jabier Fernández Sánchez, Josu Eguileor Astigarraga
  4. Construtor: BALZOLA

Sobre este escritório
ACXT Arquitectos
Escritório
Cita: Leonardo Marquez. "IDOM Headquarters / ACXT" 16 Abr 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/43558/idom-headquarters-acxt> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.