O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Concursos
  3. Menção Honrosa no Concurso para o Centro Cultural de Eventos e Exposições em Paraty / Filipe Gebrim Doria

Menção Honrosa no Concurso para o Centro Cultural de Eventos e Exposições em Paraty / Filipe Gebrim Doria

Menção Honrosa no Concurso para o Centro Cultural de Eventos e Exposições em Paraty / Filipe Gebrim Doria
Menção Honrosa no Concurso para o Centro Cultural de Eventos e Exposições em Paraty / Filipe Gebrim Doria, Cortesia de  Filipe Gebrim Doria
Cortesia de Filipe Gebrim Doria

menção honrosa - paraty

Competição : Concurso Centro Cultural de Eventos e Exposições – Cabo Frio, Nova Fribugo e Paraty
Premio : Menção Honrosa - Paraty
Projeto :
Autores : Filipe Gebrim Doria, Fernanda Mangini, Luiza Itokazu e Sérgio Zancopé (imagens 3D), Rulian Nociti de Mendonça, 2014, Paraty - RJ

Na sequência de publicações dos vencedores do Concurso Centro Cultural de Eventos e Exposições – Cabo Frio, Nova Fribugo e Paraty, mostramos desta vez o projeto que foi premiado com Menção Honrosa para a cidade de Paraty, de autoria do arquiteto Filipe Gebrim Doria. A seguir, imagens e a descrição da proposta pelo autor.

Do arquiteto: Pensar um projeto para a cidade de Paraty, dada a sua relevância como patrimônio edificado, nos leva antes de tudo a uma reflexão acerca das condições urbanas existentes. Trata-se de uma cidade histórica, onde tanto as áreas antigas como as novas possuem uma urbanização com lotes de tamanho reduzido, a escala das construções é basicamente a do gabarito dos sobrados, os quarteirões são bem consolidados, definindo o espaço público por excelência, a rua.

Cortesia de  Filipe Gebrim Doria
Cortesia de Filipe Gebrim Doria

A área escolhida para o CCEE está situada em um bairro fora do centro histórico, o mesmo possui urbanização mais recente, ainda pouco consolidada. O terreno encontra-se no limiar entre a área loteada e o início da mata Atlântica que se estende em direção a Serra do Mar.

A partir de uma primeira abordagem chega-se a duas condicionantes que irão direcionar o partido do projeto:

  • O tipo de urbanização da cidade, tendo em sua grande maioria construções de escala e gabarito reduzido
  • O local no qual o edifício se insere, tendo contato direto com a natureza a seu redor.

O programa proposto vem de encontro a isso na medida em que se caracteriza pelo uso público, o que fortalece e propicia a ideia de integração entre o edifício e o meio que o cerca. No entanto a demanda de espaços amplos e generosos, para atender a um grande público, cria uma dualidade entre a escala da intervenção e seu entorno.

Cortesia de  Filipe Gebrim Doria
Cortesia de Filipe Gebrim Doria

PARTIDO

O partido adotado responde em um só tempo a todas as questões. O que se propõe não é um único edifício mas um conjunto de elementos edificados e não edificados que gere um espaço que atenda ao programa e se insira no meio urbano e na paisagem de forma clara e precisa.

Um grande pavilhão de 100x60 metros, com malha modular de 5x5 metros materializada por um conjunto de vigas e pilares de madeira. “Uma cobertura que constrói o território, que protege sem subtrair a luz do sol, que realiza a grandeza do espaço, independentemente das suas dimensões, na medida em que estabelece um centro contíguo a tudo, onipresente tanto no plano horizontal como no vertical – o lugar onde o dentro é maior que o fora”.

Os volumes internos que abrigam os espaços fechados são dispostos a partir de uma rígida lógica baseada no atendimento funcional e na modulação racional. O projeto explora essa tensão tornando uma aparente limitação em um fator de criação de espaços diversos. Mantem-se dentro de uma forma prismática a flexibilidade necessária para abrigar a variação de usos e espaços, todas elas contidas pelas proporções precisas dos limites. “Na tensão entre a afirmação da ordem e a aleatoriedade da vida encontra-se um sentido”.

Cortesia de  Filipe Gebrim Doria
Cortesia de Filipe Gebrim Doria

A disposição rompe com o usual para este tipo de programa, alterando a relação entre circulações, espaços de permanência e usos, tornando o um espaço uno, onde a noção de começo e fim, dentro e fora, abrigado e não abrigado passa a ser questionada.

A transição entre a área externa e interna se dá de maneira gradual, como uma experiência sensorial. Para quem chega pela Avenida Vera Cruz há uma esplanada entre a calçada e o prédio, esse recuo permite ao observador uma contemplação do conjunto e da escala do edificado.

Caminhando pela mesma, que cumpre o papel urbano de uma pequena praça, livre para todo tipo de apropriação, acompanha-se o espelho d água e a vegetação que permeiam o edifício, fazendo alusão as mares altas que invadem as ruas de Paraty nas cheias.

Implantação. Image Cortesia de  Filipe Gebrim Doria
Implantação. Image Cortesia de Filipe Gebrim Doria

A entrada se dá através de um platô que faz a transposição do nível da calçada para o nível do pavilhão. Já dentro do mesmo, abrigado pela cobertura com pé direito de 4.5m, composta por 3 camadas; tela metálica, vidro e pergolado de madeira, que filtram e dão forma a luz, tem-se acesso a todas as áreas do programa, dispostas dentro de volumes de vidro autoportante semitranslúcidos que fazem a transição final entre espaço externo e interno de forma poética.

A materialidade do vidro contrasta com o aconchego da madeira e do paisagismo dando um ar contemporâneo ao conjunto. A semitransparência esvazia o sentido de massa e permite que o observador crie mentalmente uma imagem abstrata do que ocorre no interior sem desvendá-lo previamente.

Planta do térreo. Image Cortesia de  Filipe Gebrim Doria
Planta do térreo. Image Cortesia de Filipe Gebrim Doria

ESTRUTURA / FUNCIONALIDADE

O programa está distribuído de forma a hierarquizar e ordenar os usos e as circulações. Os espaços fechados que abrigam o programa possuem estrutura independente, com vigas e pilares metálicos e cobertura em telha dupla com isolamento termo acústico.

O pé direito atende as necessidades funcionais dos usos propostos, com altura livre e generosa e entre forro para instalações. Particularmente no volume que abriga o espaço multiuso cria-se uma área da edificação com 2 pavimentos para abrigar espaços do programa que não demandam pé direito elevado, como os banheiros, o escritório da administração e as áreas de apoio.

Esquema do programa. Image Cortesia de  Filipe Gebrim Doria
Esquema do programa. Image Cortesia de Filipe Gebrim Doria

Na fachada noroeste, dispõem-se o auditório e o salão multiuso, que são as maiores concentrações de área do programa e caracterizam-se como espaços com menor relação com o exterior. Para vencer o vão de 20 metros que ambos possuem foi adotado o sistema de vigas vagão. O mesmo contribui com a espacialidade das salas na medida em que se compõe de um belo conjunto de extrema leveza visual.

O espaço multiuso, com possibilidade de compartimentação, conta com ampla flexibilidade, podendo servir a todo tipo de evento. Um corredor lateral organiza o acesso as áreas de apoio podendo garanti-lo ou restringi-lo conforme a necessidade de cada utilização.

Corte AA. Image Cortesia de  Filipe Gebrim Doria
Corte AA. Image Cortesia de Filipe Gebrim Doria

Pelas duas laterais do edifício ocorre o acesso de carga e descarga, por elas chega-se a todas as áreas de serviço ou restritas como depósitos, cozinhas, banheiros, administração, camarins, etc. sem interferir no fluxo dos usuários. Voltados para a fachada frontal estão os espaços fechados que usufruem mais do contato com o exterior; salas de reunião, café e restaurante.

A circulação, externa aos volumes fechados, se dá por espaços amplos, que funcionam como uma espécie de rua coberta. As 4 faces do edifício possuem tratamento semelhante, não subjugando ou hierarquizando sua relação com o entorno.

Corte CC. Image Cortesia de  Filipe Gebrim Doria
Corte CC. Image Cortesia de Filipe Gebrim Doria

Os volumes fechados possuem fachadas compostas por portas em chapa metálica, vidro semitranslúcido autoportante e vidro criando uma composição dinâmica que possibilita a variação funcional necessária, possibilitando uma relação visual maior ou menor entre interior e exterior conforme a proporção adotada para cada um dos elementos. 

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Romullo Baratto
Autor
Cita: Romullo Baratto. "Menção Honrosa no Concurso para o Centro Cultural de Eventos e Exposições em Paraty / Filipe Gebrim Doria" 06 Abr 2014. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/187428/mencao-honrosa-no-concurso-para-o-centro-cultural-de-eventos-e-exposicoes-em-paraty-slash-filipe-gebrim-doria> ISSN 0719-8906