O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Instituto
  4. Portugal
  5. Pitagoras Group
  6. 2009
  7. Centro de Formação Avançada de Pós-Graduação / Pitagoras Group

Centro de Formação Avançada de Pós-Graduação / Pitagoras Group

Centro de Formação Avançada de Pós-Graduação / Pitagoras Group
Centro de Formação Avançada de Pós-Graduação / Pitagoras Group, © José Campos
© José Campos

© José Campos © José Campos © José Campos © José Campos + 30

  • Arquitetos

    Fernando Seara De Sá, Raul Roque Figueiredo, Alexandre Coelho Lima, Manuel Vilhena Roque
  • Localização

    Guimarães, Portugal
  • Colaboradores

    Marlene Sousa, Mariana Paiva, Carla Guimarães, Francisco Oliveira, Hélio Pinto
  • Ano do projeto

    2009
  • Fotografias

© José Campos
© José Campos

Descrição enviada pela equipe de projeto. O complexo de edifícios onde a Prefeitura de Guimarães agora construiu o Centro de Formação Avançada de Pós-Graduação da Universidade do Minho, se encontra na "Zona de Couros", uma zona de remanso formada por um conjunto de pequenos becos e caminhos que, seguindo o riacho existente, constituem a estrutura viária desta área.

© José Campos
© José Campos

A paisagem da "Zona de Couros" se caracteriza por edifícios abandonados ou transformados, mas também por memórias, as vezes imaginárias e subjetivas, que as pessoas desenvolveram a partir dos fragmentos que chegaram até os nossos dias. A partir destes fragmentos podemos conservar os tanques de tratamento de couros que podemos encontrar em toda esta área, os edifícios e estruturas em madeira e, naturalmente, o pequeno riacho que foi a razão para a instalação desta atividade (tratamento de peles) nesta área. Foi importante desde o início do processo do projeto a localização do edifício na "Zona de Couros", uma área que sofreu certa segregação do núcleo urbano adjacente, localizado dentro das muralhas do centro histórico de Guimarães, mas sedimentado de soluções ricas e autônomas e edificações industriais que, juntos, tem um inegável interesse arquitetônico e, imediatamente, proporcionam alguns temas para reflexão e desenvolvimento.

© José Campos
© José Campos

Um desses complexos é composto pelos edifícios que foram ocupados pela antiga fábrica "Freitas & Fernandes". Não vamos fazer referência a nenhum edifício especificamente, mas sim a um conjunto de construções dispostas em torno de um pátio, que testemunharam grande parte dos acontecimentos que moldaram a "Zona de Couros" como nós a conhecemos hoje em dia. Parte destes prédios foram reformados com a instalação do CAFPG. O conjunto de edifícios destinados ao CAFPG - UM, está situado a oeste do grande pátio interno, e estas construções foram as que sucessivamente se adaptaram as necessidades da produção têxtil e apresentaram um estado de conservação muito desigual. A área agora ocupada pelos edifícios CAFPG se transformou muito, de maneira construtiva (mediante a introdução de estruturas de concreto armado e paredes de tijolos) ou espacialmente (mediante a introdução de novos níveis e acesso), o que tornou virtualmente impossível a apreensão do seu estado original.

© José Campos
© José Campos

O programa escolhido - materializado pelo projeto - pode ser resumido, fracamente, como um edifício escolar para a Universidade do Minho, focado na formação de mestres e doutores, e se distingue das outras unidades da mesma instituição não apenas por seus espaços de pesquisa ocuparem um lugar central, mas também por estar localizado fora do campus e no centro da cidade.

© José Campos
© José Campos

O edifício tem dois pisos e reserva o ático para áreas técnicas. O nível térreo abriga as áreas de estar, acima de um pé direito duplo, áreas pedagógicas (salas de aula) e a área administrativa. No primeiro andar estão localizados os escritórios, laboratórios e salas de atividades, além da biblioteca conectada às áreas sociais, buscando um local mais reservado e adequado para a sua função. As áreas de circulação têm uma geometria irregular, para dar espaço para os chamados "living lab`s" e estes, antes de tudo, estarão representando as áreas dos atuais projetos acadêmicos.

© José Campos
© José Campos

Os edifícios e o programa criam um dilema de projeto; primeiramente, a realidade de um edifício muito desfigurado e sem atrativos, e depois, as expectativas existentes na sua recuperação e reabilitação. Para a questão de qual seria a atitude adequada às expectativas das construções recuperadas, respondemos com uma proposta de um projeto com grandes opções de flexibilidade. Evitamos uma abordagem rígida sobre a intervenção e implementação e usamos uma resposta pragmática e detalhada para cada uma das equações e problemas enfrentados no projeto. Desconhecendo a realidade do edifício original, tudo teria que passar por sua reinvenção usando imagens esquemáticas destituídas do seu conteúdo concreto.

© José Campos
© José Campos

De modo geral, propomos a demolição de todas as áreas em que adivinhamos a substituição de soluções construtivas originais para paredes de tijolos e demolição total das estruturas existentes em concreto armado, e, paradoxalmente, também propusemos como princípio fundamental a manutenção da volumetria como um repositório essencial da memória do edifício existente.

© José Campos
© José Campos

Este é o paradoxo do projeto, a reinvenção do edifício mantendo inalterada a sua volumetria, utilizando para a sua definição externa elementos que caracterizam a "Zona de Couros" - madeira e acabamentos em granito - ou até mesmo usar sistemas de construção leves ao propor o cobre como o acabamento de cobertura de uma parte significativa do edifício. Simultaneamente, propõe-se a reconstrução completa dos interiores, utilizando materiais e linguagens contemporâneas, a fim de acolher e responder às exigências de conforto impostas pelos normas e regulamentações.

© José Campos
© José Campos

O projeto de paisagismo foi limitado ao pequeno pátio formado pelos edifícios da intervenção e propôr, para além da dominante laje de granito em caminhos e pontos de acesso, a introdução oportuna de pequenas áreas verdes e uma pavimentação de tijolo, de modo a assegurar a intimidade desses espaços com um design minimalista que iria fortalecer a presença da chaminé de tijolos de aspecto industrial.

Planta 1º Pavimento
Planta 1º Pavimento

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Pitagoras Group
Escritório
Cita: "Centro de Formação Avançada de Pós-Graduação / Pitagoras Group" [Postgraduate Advanced Training Centre / Pitagoras Group] 11 Fev 2014. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/175727/centro-de-formacao-avancada-de-pos-graduacao-slash-pitagoras-arquitectos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.