O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Restaurante
  4. Restaurante Terrace no London Zoo / SHH

Restaurante Terrace no London Zoo / SHH

Restaurante Terrace no London Zoo / SHH
Restaurante Terrace no London Zoo / SHH, © Alastair Lever
© Alastair Lever

© Alastair Lever © Alastair Lever © Alastair Lever © Alastair Lever + 26

  • Arquitetos

    SHH
  • Localização

    Londres, Inglaterra, Reino unido
  • Arquiteto Responsável

    Neil Hogan, Brendan Heath, Alasdair Galloway, Peter Brown, Rose McShane, James Campbell, Adam Woodward, Alex Podolsky, Imogene Mitchell
  • Ano do projeto

    2013
  • Fotografias

  • Administrador de Contratos

    SHH
  • Consultoria de Custos

    WT Partnership
  • Consultoria de Abastecimento e Serviço de Atendimento

    Boyd-Thorpe Associates
  • M&E

    ME7
  • Engenharia Estrutural

    HRW
  • Construtora Principal

    Buxtons
  • Layout de Cozinha, Balcões, Sinalização

    Design Front
  • Construtora do Sistema de Abastecimento e Serviço de Atendimento

    Ampersand
  • Paisagismo

    James Aldridge Design
  • Mais informações Menos informações
© Alastair Lever
© Alastair Lever

Descrição enviada pela equipe de projeto. Os arquitetos e designers do SHH transformaram o restaurante principal do ZSL London Zoo (O Restaurante Terrace), remodelando e ampliando o edifício de 1920 como parte de um projeto de três anos que custou £ 4.6m. A capacidade do restaurante quase triplicou, como resultado, de 240 para 700 pessoas (tornando-se um dos maiores restaurantes de visitantes diários do Reino Unido), enquanto que a pegada do edifício também aumentou em quase 1.000 metros quadrados, para incluir dois terraços amplos e uma enormemente aumentada, área de mezanino. "O SHH honra-se de se juntar à longa lista de ilustres arquitetos que trabalharam com o ZSL London Zoo na criação de novos edifícios e recintos ao longo de sua história de 187 anos", comentou o diretor criativo do SHH, Neil Hogan. "Profissionalmente para nossa atividade, este é um importante projeto de edifício público, e para nós e uma forte adição ao nosso portfólio, que tendeu historicamente a apresentar novos trabalhos de construções no setor residencial, enquanto que o nosso trabalho no setor de hospitalidade esteve focado principalmente em interiores de restaurantes, em projetos como o Café Liberty, o Coach House na Casa Hatfield e o nosso multi-premiado projeto do Barbican Foodhall e Lounge".

Fachada Sul
Fachada Sul

"O restaurante existente no zoológico foi atualizado para atender às crescentes necessidades dos visitantes do Zoo", comentou o diretor adjunto do SHH e coordenador do projeto, Brendan Heath. "Como as demandas de visitantes aumentaram na atração de Londres, o restaurante viu-se na necessidade de ter mais espaço de armazenamento de alimentos e equipamentos modernizados. O novo design tinha que garantir que o restaurante funcionasse como um lugar de atividades para eventos especiais no Zoo e também mantivesse a qualidade arquitetônica do edifício original de John James Joass. Acima de tudo, nosso objetivo era criar um espaço de grande impacto, altamente funcional, o que acrescentaria qualidade real para a experiência do visitante, e ser capaz de lidar com o enorme volume de pessoas que vêm através do zoo - até 10 mil por dia". O projeto começou com um estudo de viabilidade encomendado pela ZSL (Sociedade Zoológica de Londres), olhando para a restauração em todo o local, que inclui também vários quiosques e uma área de varejo e um café dentro do "Animal Adventure Café". O estudo, realizado em conjunto com os consultores de serviços de refeições, Boyd-Thorpe Associates e os consultores de custos, WT Partnership , resumiu que o melhor caminho era fazer um grande investimento principal no restaurante do edifício Regent, para que ele pudesse se tornar um verdadeiro carro-chefe para a oferta de hospitalidade do Jardim Zoológico.

© Alastair Lever
© Alastair Lever

Quando a equipe do SHH foi nomeada para o projeto, começaram por avaliar o edifício original, composto de térreo, mezanino e espaços do primeiro andar. Os 1196 m² do pavimento térreo ofereciam o serviço de restaurante e atendimento para os visitantes e uma área de cantina para o pessoal da equipe. Os 445 m² do mezanino eram compostos por uma área de troca de equipe, escritórios e espaço de apoio, juntamente com banheiros públicos do espaço para locação privado do primeiro andar, a Príncipe Albert Suite (cujo interior deveria permanecer fora do brief do novo edifício). Enquanto uma extensão térrea da década de 60, de estrutura de madeira, na frente (que se estende um pouco além das asas do edifício de tijolos vermelhos originais) tinha permitido um aumento do número de visitantes, já não era mais suficiente para lidar com os níveis atuais de demanda. "O prédio original é relativamente simples", comentou Brendan Heath. "Sua característica mais significativa foi uma série de janelas de dupla altura em arco, que tinham sido cobertas no decorrer da década de 60 no trabalho de extensão, com a adição de uma estrutura de telhado plano, deixando-os meio dentro e meio fora do edifício."

© Alastair Lever
© Alastair Lever

A equipe do SHH começou demolindo a extensão dos anos 60 e indo de volta para suas bases e criando uma nova extensão em camadas para a frente do edifício, aumentando a área do piso térreo com um novo espaço de pé direito de 6 m na frente e criando novas escadas até um mezanino expandido, bem como um novo e generoso mezanino com deck e um pequeno terraço no primeiro andar acima. O SHH também construiu uma pequena extensão para os fundos do edifício, para criar um novo espaço de armazenamento para alimentos. Depois de arrancar uma série de tetos falsos no piso térreo, a equipe do SHH trouxe o edifício de volta à sua estrutura original e revelou três das cinco janelas em arco, que agora ligam a nova extensão com o espaço térreo original como um recurso de conexão dinâmica, visível do exterior do edifício. A sensação geral do prédio recém reformado é limpa, crua e urbana, toda em vidro, madeira, tijolos aparentes e colunas metálicas, com um marcante teto nervurado de decks na extensão de pé direito duplo. A enorme quantidade de sistemas mecânicos e sistemas elétricos necessárias para a construção de tratamento de ar, refrigeração e aquecimento está localizada principalmente no quintal de serviço na parte posterior do edifício, com mais duas unidades de tratamento de ar estabelecidas dentro de dois ambientes estreitos ao lado das asas do edifício no nível do mezanino e primeiro andar, revestidos de Parklex com portas de descarga escondidas. Visualmente, as salas de máquinas parecem perfuradas no chão (embora estruturalmente não estejam), mas estendem uma linha visual clara para cima através dos dois níveis.

© Alastair Lever
© Alastair Lever

Externamente, o bloco soldado na pavimentação anuncia o novo edifício e o separa da pavimentação em zig-zag da praça externa (Barclay Court). Lugares para sentar no exterior e as mesas são parcialmente cobertos pela beirada do prédio (em Parklex de quartzo colorido) para proteção solar máxima. Virado para o sul, uma parede de cortina de vidro de altura total na frente da extensão é perfurada por seis portas de 2,5 m de altura. Na parte superior das portas, ha um acabamento de grade anodizado, combinando alumínio na cor cinza prateado, e leva o olho para longe da placa de gesso do teto. O gradeado é também caracterizada ao longo da borda de todo o piso do mezanino, como um meio de minimizar o seu volume visual.

© Alastair Lever
© Alastair Lever

No centro da frente do vidro para a extensão fica um quiosque com duas frentes, com um café-bar com barista e oferta de produtos de confeitaria, aberto durante todo o dia e um pouco antes da entrada principal do restaurante. O quiosque também é revestido em Parklex e se dobra para cima na abertura para criar uma cobertura (especialmente criada para o projeto por uma empresa que geralmente faz as portas para hangares de aviões). Quando fechado, ele parece desaparecer no prédio. O Serviço no quiosque e em todo restaurante é operado pela Ampersand e apresenta uma variedade de alimentos frescos, que vão desde um forno de pizza de barro, até pratos quentes e frio, todos localizados em um layout muito espaçoso e amplo para a parte de trás do piso térreo. Todas as estações de serviço para a área de buffet foram criados pelo Design front, que também criou o logotipo e a sinalização para o Restaurante Terrace na frente do edifício. Uma cozinha remodelada recentemente para a a parte posterior do edifício foi projetada para acomodar o grande aumento da capacidade e inclui novos toldos, equipamentos de cozinha de primeiríssima linha e dois novos elevadores de carga para atender a todos os andares. Uma nova loja de comida desidratada também foi incorporada na parte posterior, recentemente estendida do edifício, juntamente com uma instalação de escritório para a equipe do Jardim Zoológico. "Por causa de uma ligeira diferença de nível entre a frente do edifício existente e a Barclay Court", comentou Brendan Heath, "queríamos evitar degraus ou qualquer outra barreira à entrada e por isso criamos a necessidade de uma saída sem desníveis dentro da própria extensão, com vários patamares até a área de buffet, juntamente com duas rampas para cadeiras de rodas e acesso de carrinhos. Meios de acesso e circulação claros, que o antigo prédio não tinha, foram fundamentais para determinar o projeto do edifício".

© Alastair Lever
© Alastair Lever

Escadas suspensas estruturadas em aço com balaustradas de vidro para um ambiente aberto levam de ambos os lados do piso térreo à extensa área de estar do mezanino e do terraço além, mas pouco interferem com a sensação deslumbrante, espaçosa e transparente do interior do edifício. O interior da extensão frontal apresenta uma variedade de mesas e cadeiras soltas e fixas, de mesas de carvalho com bancos de altura de bar em laranja vibrante, até mesas brancas menores com assento preto e branco, além de acentos modulares em forma de "S", oferecendo facilidade de acesso e de arranjo informal para famílias com crianças pequenas ou carrinhos de bebê. A menor área à esquerda do andar térreo, dentro da seção da asa, pode ser separada conforme necessário para reuniões ou eventos privados, através de grandes telas divisórias de correr. O piso é uma cerâmica cinza de ladrilho cerâmico Solus ao nível do solo com linóleo Forbo para o mezanino. Em todas as direções, o interesse visual é despertado por diferentes níveis de construção, com o drama adicionado pelos arcos de alvenaria aparente, colunas metálicas expostas, luminárias Artemide de grande escala (penduradas em duas fileiras sobre os espaços com pé direito duplo); a enorme escala de 35 metros quadrados da claraboia, que se estende por toda a largura da ampliação, diretamente em frente a fachada original de tijolo arqueado, e o impressionante teto de metal coberta com nervuras na área da extensão, com as placas no teto de madeira fibrosa Troldtekt, particularmente eficaz para a absorção do som, foram instaladas nas áreas de teto abaixo do mezanino.

© Alastair Lever
© Alastair Lever

No nível do mezanino, o grande (245 metros quadrados) terraço externo apresenta ladrilhos de cerâmica cinza em 600 x 600 milímetros quadrados, da Deck Tile Company, com acabamento rugoso para a segurança. A balaustrada na frente tem vista para baixo, para a Barclay Court e para o novo habitat dos pinguins, enquanto a iluminação externa do deck ilumina por completo o terraço quando as luzes estão baixas ou quando o prédio abriga eventos noturnos. "A área de estar do mezanino interno teve que se encaixar em um altura bastante apertado entro o piso e o teto", explicou Brendan Heath. "Por isso tivemos que minimizar quaisquer serviços, que normalmente se sentariam no interior do espaço do teto, criando uma parede falsa para a parte posterior do mezanino. Isso só se sobressai por 0,5 m e é quase imperceptível, mas esta foi a melhor decisão do de baixar os tetos na única parte do esquema que não era excepcionalmente espaçosa."

© Alastair Lever
© Alastair Lever

No primeiro andar, a reforma abrangeu um elevador de mercadorias; novas salas de máquinas revestidas com Parklex (que agem em parte como balaustradas para o novo terraço no primeiro andar). O terraço no primeiro andar, pertencente a Prince Albert Suite, a parte que pode ser alugada para eventos privados, é um recuo e oferece 215 metros quadrados de espaço, com uma balaustrada de vidro que protege a claraboia em sua borda posterior. Os móveis aqui são de madeira e são um pouco mais tradicionais do que na varanda abaixo, para casar com a aparência e sensação do espaço Prince Albert Suite existente. O novo terraço tem uma estrutura de piso composto, feito a partir de uma bandeja de metal de aço corrugado preenchido com concreto, que foi pulverizado com um sistema de tancagem de isolamento e uma membrana à prova de umidade, antes de receber o mesmo azulejo que o terraço do mezanino abaixo.

Planta Baixa Pavimento Térreo
Planta Baixa Pavimento Térreo

Ver a galeria completa

Cita: "Restaurante Terrace no London Zoo / SHH" [Terrace Restaurant at London Zoo / SHH] 24 Nov 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Márquez, Leonardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/155066/restaurante-terrace-no-london-zoo-slash-shh> ISSN 0719-8906