O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Apartamentos
  4. Argentina
  5. BAK arquitectos
  6. 2009
  7. Edifício EEUU 4263 / BAK Arquitectos

Edifício EEUU 4263 / BAK Arquitectos

  • 13:00 - 18 Janeiro, 2013
  • Traduzido por Pedro Vada
Edifício EEUU 4263 / BAK Arquitectos
Edifício EEUU 4263 / BAK Arquitectos, © Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

© Gustavo Sosa Pinilla © Gustavo Sosa Pinilla © Gustavo Sosa Pinilla © Gustavo Sosa Pinilla + 21

  • Arquitetos

    María Victoria Besonías, Luciano Kruk. BAK Arquitectos
  • Localização

    Estados Unidos 4263, Buenos Aires, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina
  • Área

    1419 m2
  • Ano

    2009
  • Fotografias

  • Colaboradores

    Sebastián Indri e arq. Leandro Pomies
  • Calculo Estrutural

    Arq. Luciano Kruk
  • Gerente de Obra

    Roberto Fernandez
  • Superfície do Terreno

    277,40 m2
  • Construtora

    FK Construcciones
  • Mais informações Menos informações
© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

O lugar

Tivemos que construir um edifício de apartamentos em um típico lote de 8,66 de largura em Boedo, um lugar que ainda mantém suas características de bairro, vem modificando sua fisionomia como consequência da densificação urbana produzida nestes últimos anos em importantes setores da cidade. A particularidade do terreno em que deveríamos intervir é que em seu vizinho posterior funciona uma escola de futebol e uma pequena praça. As vistas para este pulmão verde coincide com a melhor orientação: norte.

© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

A proposta

Pensamos que para as transformações que serão produzidas em curto ou médio prazos na área, o edifício deveria ser uma parte mais simples, suficientemente neutra para conviver com o que hoje está e com o que pode aparecer no futuro. Com uma vontade concentrada em sua expressão construtiva e em seu processo produtivo. Por esta razão nos pareceu apropriado propor um edifício cuja a fachada não apresentasse detalhes nem articulações e, se possível, se resolvesse em apenas um material. Nos propusemos também experimentar o concreto assim como já fizemos nas casas de veraneio em Mar Azul. ou nas casas de uso permanente na Grande Buenos Aires. Fizemos assim por avaliamos que este sistema estético e construtivo, com adaptações necessárias, nos resolveria tanto o tema sobre o material dominante de fácil assimilação por diferentes entornos, como a redução do tempo de construção, a baixa manutenção futura e um custo dentro dos padrões.

© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

A adaptação fundamental foi deixar o concreto à vista exclusivamente para resolver a fachada, o núcleo vertical e uma série de paredes internas que cumprem a dupla função de dividir ambientes e estrutural. Para as duas empenas, pareceu lógico continuar pensando em uma solução tradicional de pilares de concreto escondidos em uma parede dupla de drywall. Queríamos também, como a Casa de Concreto, resolver as fachadas como um fole entre o espaço público e o privado, com uma série de painéis verticais que variam sua posição de pavimento para pavimento e permitem resolver as aberturas em cada ambiente, em toda a largura e altura disponíveis. As vistas para o interior das unidades que dão para a rua estão protegidas por estes elementos e as que dão para o pulmão verde permitem perceber a medida que o usuário se move dentro do apartamento, o que molda uma paisagem sempre em mudanças. Outro propósito que perseguimos foi que a planta do térreo fosse livre de funções, oferecendo ao espaço público ar, luz e vistas para o jardim posterior e que o outro lado não tivesse unidades habitacionais prejudicadas por seu contato com a cota pública. Por último, nos preocupamos com que cada apartamento fosse o mais flexível possível e foi dado uma expansão generosa, protegidos pelos painéis que organizam a fachada.

© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

A organização funcional

O edifício de térreo livre, com cinco pavimentos tipo de quatro unidades de apenas um ambiente e um sexto pavimento onde tem um terraço e ambientes de uso comum, além de uma unidade de habitação com um quarto.

Para os ambientes com vistas para a cidade e iluminação natural, no pavimento tipo, quatro unidades são espelhadas: duas para a frente, que são alinhadas pelos banheiros e cozinhas e dois para a parte de trás em idêntica situação. Os painéis de concreto, já que definem estes espaços de serviços tem, como já dissemos, uma função estrutural e também delimita os ambientes "fole" que dão maior intimidade sonora aos espaços principais de cada unidade habitacional. A criação de dois pequenos pátios no centro obedece ao proposito de proporcionar que todas as unidades tenham ventilação cruzada e iluminação adicional no setor mais profundo do pavimento.

© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

A solução construtiva

O sistema estrutural que resolve o pavimento tipo, com apoios no centro do mesmo, exigiu um espaço de transição para que pudesse ter o térreo livre com apoios apenas nas empenas. O mesmo foi o resultado das vigas que recebem as cargas do sistema de paredes centrais, centro também transferida para as empenas.

A empena foi rebocada e pintada com látex branco no interior e com um emplastro plástico no exterior. Os pisos são painéis de concreto, divididos por placas de alumínio. O encontro entre as paredes foi resolvido com um perfil embutido de alumínio. As aberturas são de alumínio anodizado de cor bronze escura. O sistema de calefação e refrigeração foi resolvido com equipamentos split individuais.

© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

De Mar azul à Boedo

Foi muito interessante como experiência para nosso escritório trabalhar sobre a adaptação de um sistema estético e construtivo originado para intervir em um ambiente e programa específico: casas de veraneio em uma floresta, em um contexto tão diferente. Assumimos o desafio de que a linguagem que estávamos desenvolvendo nas casas poderia suportar a paisagem de escala, a troca de programa e sua localização no tecido urbano. O resultado obtido nos confirma que um sistema de estratégias de abordagem de projetos e de soluções estéticas e construtivas planejados a priori como corpo de idéias, não limita as possibilidades de resolução de diferentes problemas que possam ser apresentados, sem a experimentação com cada nova atribuição.

Planta
Planta

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Edifício EEUU 4263 / BAK Arquitectos" [Edificio EEUU 4263 / BAK Arquitectos] 18 Jan 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Vada, Pedro) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/147773/edificio-eeuu-4263-slash-bak-arquitectos> ISSN 0719-8906