Aquário de Bacalhaus do Museu Marítimo de Ílhavo / ARX

Aquário de Bacalhaus do Museu Marítimo de Ílhavo / ARX

© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG+ 33

Ílhavo, Portugal
  • Arquitetos: ARX PORTUGAL
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  2500
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2012
  • Fotógrafo Fotografias:  Fernando Guerra | FG+SG
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: S-VITECH
© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG
  • Estruturas:TAL PROJECTOS, Projectos, Estudos e Serviços de Engenharia Lda.
  • Instalações E Equipamentos Eléctricos E De Telecomunicações, Segurança Integrada:AT, Serviços de Engenharia Electrotécnica e Electrónica Lda.
  • Instalações E Equipamentos Mecânicos:PEN, Projectos de Engenharia Lda.
  • Instalações E Equipamentos De águas E Esgotos:Atelier 964
  • Cliente:Câmara Municipal de Ílhavo
  • Arquitetos Responsáveis:José Mateus, 
Nuno Mateus
  • Equipe:Ricardo Guerreiro, Fábio Cortês, Ana Fontes, Baptiste Fleury, Luís Marques, Sofia Raposo, Sara Nieto, Héctor Bajo
  • Cidade:Ílhavo
  • País:Portugal
Mais informaçõesMenos informações
© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Do Arquiteto.O aquário de bacalhaus é um edifício que liga outros dois e configura um complexo edificado disperso, unido em torno dos temas do mar e da pesca. Nesta invulgar estrutura tríptica, o Museu Marítimo é o lugar da memória, o Aquário o espaço da vida marinha e o CIEMAR, instalado na antiga escola adaptada, o centro de investigação para as actividades do Homem ligadas ao mar.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Na articulação destas três unidades o edifício é simultaneamente um equipamento urbano autónomo que se relaciona com a envolvente e define um espaço público, mas é também um edifício-percurso, que se desenvolve em espiral em torno do tanque e liga o Museu à antiga Escola.

Planta Pavimento Térreo
Planta Pavimento Térreo

Num contexto de pequenas casas dispersas, a volumetria ocupa os interstícios desta estrutura urbana doméstica e instaura o domínio público. Mas ao fazê-lo fragmenta-se em dois corpos estratificados na horizontal, individualizados e sobrepostos, na procura de uma escala de transição. Na sua dualidade matéria, o corpo branco em betão emerge do chão e configura a base de uma praça que define; o corpo aéreo de escamas negras metálicas configura a escala da praça, numa urbanidade pública redefinida a três dimensões.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

No coração do edifício está o peixe e o mar. A visita desenrola-se numa espiral em rampa, numa viagem que se inicia em suspensão sobre o tanque, para passar a um modo de mergulho de descoberta progressiva, numa experiência de imersão no habitat do bacalhau. O auditório informal, com ampla visibilidade para o interior do aquário, marca uma pausa na visita para contemplação e informação sobre a vida desta espécie.

Corte Longitudinal
Corte Longitudinal

Todos os componentes técnicos de controle estão colocados em cave, garantindo um funcionamento subliminar dos sistemas de suporte de vida, da qualidade da água salgada, do controle da temperatura do ar e ainda das novas reservas do Museu Marítimo

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Ílhavo, Portugal

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: " Aquário de Bacalhaus do Museu Marítimo de Ílhavo / ARX" [Ílhavo Maritime Museum Extension / ARX Portugal] 02 Ago 2013. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/01-131297/aquario-de-bacalhaus-do-museu-maritimo-de-ilhavo-slash-arx> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.