O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Bibliotecas
  4. Guatemala
  5. Solis Colomer Arquitectos
  6. 2011
  7. Biblioteca Koica / Solis Colomer Arquitectos

Biblioteca Koica / Solis Colomer Arquitectos

Biblioteca Koica / Solis Colomer Arquitectos
Biblioteca Koica / Solis Colomer Arquitectos, Cortesia de Solis Colomer arquitectos
Cortesia de Solis Colomer arquitectos

Cortesia de Solis Colomer arquitectos Cortesia de Solis Colomer arquitectos Cortesia de Solis Colomer arquitectos Cortesia de Solis Colomer arquitectos + 21

Cortesia de Solis Colomer arquitectos
Cortesia de Solis Colomer arquitectos

A Biblioteca Koica é um projeto financiado pela Agência de Cooperação Internacional da Coreia, uma edificação destinada ao cultivo intelectual e à formação acadêmica do programa "Villa de las Niñas" da Irmandade de Maria, cujo objetivo é oferecer uma educação integral garotas de poucos recursos provenientes na maioria de áreas rurais.

O desenho se insere entre duas edificações preexistentes, permitindo criar uma espécie de recipiente para o espaço que se traduz em uma pequena praça cívica que resgata e evidencia os valores do espaço aberto e sua relação com a arquitetura. O primeiro aspecto interessante do projeto é a fachada, uma série de planos fechados, conceito fundamental na concepção, tal como explica o arquiteto Mauricio Solís, a fachada sintetiza a ideia de escape análoga à maneira como a escritora Susanna Tamaro se refere ao ato de leitura e aos próprios livros, uma forma de escape da imaginação.

Cortesia de Solis Colomer arquitectos
Cortesia de Solis Colomer arquitectos

Assim como a fachada pode ser entendida com uma barreira, a qual é necessário atravessar, a criação da arquitetura permite levar seus usuários além, no caso da biblioteca. Essa intenção dá um claro argumento de como a arquitetura e seus espaços permitem aos usuários encontrar-se em um lugar no qual se dissolve o caráter de internado e nasce a possibilidade de encontrar-se em um mundo distinto.

A biblioteca conta com 812 metros quadrados de construção e se resolve em três módulos formando uma malha que se adapta às arvores existentes no local. Esses módulos dão forma ao projeto, que se desenvolve em três níveis, os quais contemplam desde um átrio de pé direito triplo, um auditório, um laboratório de informática e uma área de leitura.

Cortesia de Solis Colomer arquitectos
Cortesia de Solis Colomer arquitectos

No interior, a parede que atua como a barreira externa é negada, pintada de preto, passa a ser um objeto em último plano.

Cortesia de Solis Colomer arquitectos
Cortesia de Solis Colomer arquitectos

Solís explica que "o central do projeto é o jardim, que pode ser entendido como um 'lugar secreto e mágico acessível somente pela biblioteca e que a rodeia como um espaço aberto que dá a possibilidade de conectar a imagem da natureza a um processo educativo". Razão pela qual a sala de leitura se abre ao jardim por meio de aberturas que permitem o diálogo constante, mantido em todos os espaços do edifício.

Cortesia de Solis Colomer arquitectos
Cortesia de Solis Colomer arquitectos

A sala de leitura, espaço de formação intelectual, possui pé direito duplo que conceitualmente o torna o mais importante da biblioteca, fazendo referência ao ideal de espaços destinados ao desfrute da literatura. Trata-se de um espaço que dignifica o leitor, gera certo tipo de respeito, um verdadeiro espaço de convivência "sigilosa".

Cortesia de Solis Colomer arquitectos
Cortesia de Solis Colomer arquitectos

Acima deste espaço anteriormente descrito, aparece um terraço jardim convertido em espaço de convivência lúdica, com morrotes gramados nos quais as alunas podem sentar-se para ler de uma maneira não tradicional e que reforça o contato com o verde. Este espaço, além de possibilitar um uso cultural ao livre, permite conectar funcionalmente uma das edificações preexistentes, mediando ambos os edifícios. 

Materialmente, a biblioteca se apresenta com uma imagem austera, por um lado reflete a formação austera das Irmãs de Maria, mas também fala sobre a honestidade do desenho, uma arquitetura funcional na qual "nada sobra". Como menciona Solís, o projeto foi pensado de tal maneira que ao entender a soma de todas as partes ele faz sentido. Desde o uso do concreto aparente, tanto no piso como no sistema estrutural evidente e de madeiras recicladas tipo OSB (oriented stand board), assim com painéis de PVC perfurados, mostra-se que a arquitetura pode ser sóbria e sem alardes e ao mesmo tempo com qualidade e criatividade arquitetônica.

Cortesia de Solis Colomer arquitectos
Cortesia de Solis Colomer arquitectos

Um dos materiais que mais chama a atenção, principalmente no exterior do edifício é o revestimento de cerâmica esmaltada, branca em seu estado original, mas que possui variantes em sua tonalidade (de acordo com o tempo de cozimento). Um material de manufatura local que quando utilizado em grande escala gera uma tela cromática rica visualmente e que convida o toque.

Este projeto, além de ser unicamente um edifício destinado à educação é, sem dúvida, uma proposta que propõe repensar como a arquitetura pode incidir sobre as pessoas, um desenho que sugere a possibilidade de ver as coisas de uma forma distinta, positiva. Nesse sentido, a Biblioteca Koica se apresenta como uma arquitetura que dignifica, visto que não só brinda os usos necessários para educar uma população vulnerável, mas também mostra possibilidades de criar um imaginário, reconhecer um espaço propositivo da possibilidade de uma vida melhor, validando o argumento da complementaridade entre arquitetura e educação.

Cortesia de Solis Colomer arquitectos
Cortesia de Solis Colomer arquitectos

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Solis Colomer Arquitectos
Escritório
Cita: "Biblioteca Koica / Solis Colomer Arquitectos" [Biblioteca Koica / Solis Colomer Arquitectos] 29 Jun 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Arruda, Murilo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/123434/biblioteca-koica-slash-solis-colomer-arquitectos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.