O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Laboratório
  4. França
  5. Tectoniques
  6. Laboratórios de Pesquisa INRA / Tectoniques Architects

Laboratórios de Pesquisa INRA / Tectoniques Architects

Laboratórios de Pesquisa INRA / Tectoniques Architects
Laboratórios de Pesquisa INRA / Tectoniques Architects, © Inra
© Inra

© Inra © Inra © Inra © Inra + 12

  • Arquitetos

  • Localização

    Região de Lorraine, França
  • Arquiteto Responsável

    Tectoniques Architects
  • Projeto de Paisagismo

    Itinéraire Bis
  • Engenheiros

    Anglade Bois, Sechaud & Bossuyt Fluides, Inddigo Environnement
  • Área

    1440.0 m²
  • Fotografias

Descrição enviada pela equipe de projeto. Pesquisa no Coração da Floresta

O terreno de Champenoux, na região de Lorraine, é uma das cinco sedes do Institut National de la Recherche Agronomique (Instituto Nacional de Pesquisa Agronômica), na França. Localizado na imensa floresta de Amance, acrescentou novos laboratórios e edifícios de escritórios no local ao conjunto existente.

© Inra
© Inra

Estes centros de pesquisa de alto nível técnico hospedam pesquisadores franceses e estrangeiros que trabalham em conjunto para estudar a ecologia e a genômica das florestas. Devido à sua história e posição geográfica, o centro INRA em Nancy sempre devotou grande parte dos estudos às florestas e seus produtos (dos quais a madeira é o mais importante). Quinhentas pessoas estudam assuntos desde o genoma, ao território, incluindo o funcionamento de árvores e ecossistemas, bem como a economia de silvicultura e a produção de biomassa.

Para estes especialistas de madeira na França, o esquema tinha de ser exemplar do ponto de vista ambiental, com toda a madeira utilizada aparente, a fim de tornar a forma do edifício consistente com sua função.

Laboratórios de Pesquisa INRA / Tectoniques Architects, © Inra
© Inra

Sua fachada sul curva engloba toda a entrada do terreno e aparece como uma série de tiras de madeira sobre a paisagem ao fundo. O lado norte suave é uma resposta aos outros edifícios que datam da década de 1960. Estes dois elementos dinâmicos do sistema estão ligados por um átrio, que é o verdadeiro coração do projeto.

Por trás de sua aparência leve, este edifício esconde altos padrões técnicos exigidos pelos contratantes. Os arquitetos e o cliente trabalharam juntos em uma simbiose mutuamente benéfica para otimizar seu desempenho e envolver toda a indústria madeireira local, de uma forma altamente relevante.

© Inra
© Inra

O átrio, entre o Centro Nervoso e um Jardim Interno

O átrio é o centro nervoso do sistema. É como o interior de uma "colmeia", que prospera com a visibilidade mútua entre as atividades diversas. É um local de interação, discussão, partilha, encontros e exposições de trabalhos. Esta imagem transforma nossa percepção sobre pesquisa. Ele conecta-se aos dois edifícios em um ambiente agradável caracterizado pela interação de escadas, passarelas e transparências nos pontos de vista.

Para enfatizar o caráter único deste espaço, os paisagistas do escritório  Itinéraire Bis projetaram um jardim exótico, com uma natureza diferente e surpreendente, que é tropical, abundante e colorida.

Maquete
Maquete

Todas as áreas de circulação, escadas e elevadores estão imersos nessa paisagem interna.

O átrio é generosamente iluminado e as plantas são regadas com a água coletada da chuva. Dispõe de uma piscina atraente, e a vegetação é plantada diretamente no solo. As plantas estão organizadas em três estratos: plantas herbáceas no chão, arbustos e moitas até a altura humana, e árvores de grande porte em forma de coluna que sobem através dos pavimentos.

"O princípio era de que as vegetações ilustrassem todos os estratos da floresta tropical, ligado ao assunto de alguns dos pesquisadores do Instituto e em resposta às condições de temperatura e umidade no átrio. Cada estrato é caracterizado por uma planta representativa (plantas rasteiras: figueira anã rastejante; arbustos: ave do paraíso; trepadeiras ou videiras: jasmim estrela; planta epífita: aloés candelabros; árvores: palmeira  jaggery palm [Caryota urens]; planta aquática: rabo-de-cavalo) ".

© Inra
© Inra

Para os especialistas das florestas locais, este é um habitat florestal exótico incomum, compatível com o calor que é mantido constante durante todo o ano.

Graças ao átrio, as tiras norte e sul - que são ocupadas por espaços de baixa profundidade - possuem fachadas duplas, com as vantagens conhecidas em termos de pontos de vista, ventilação e iluminação natural. Uma grande  membrana côncava de plástico ETFE cobre-o e fornece uma iluminação natural uniforme, difusa e controlada, produzindo um efeito de céu artificial.

Prédio em frente e verso

As acomodações são separadas em dois lados. O lado norte do volume é uma resposta aos edifícios de 1960 existentes no local, com uma fachada lisa, revestimentos de painéis e faixas horizontais de esquadrias. Ele ecoa as edificações vizinhas, nas quais estão ligadas por uma varanda de madeira. A maioria dos laboratórios estão deste lado do edifício, beneficiando-se da luz estável, sem superaquecimento no verão, e mantendo uma conexão visual direta com o resto do Campus.

O lado sul materializa a entrada do Campus. Ele caracteriza o projeto com sua pele dupla de madeira e seu plano curvado. A maioria dos escritórios estão deste lado do edifício, claramente visíveis do caminho de entrada, equipados com a proteção solar adequada, e beneficiando-se de grandes vistas.

Corte
Corte

As varandas de acesso externo, protegidos por um elemento vazado de madeira, estendem os espaços de trabalho, através de peças de madeira e tiras horizontais e verticais entrelaçadas ou entrecruzadas. As varandas de acesso agem como toldos, ajustados para equilibrar a proteger dos ganhos solares, conferindo a privacidade e confidencialidade necessárias. A densidade varia de acordo com o aspecto. De leste a oeste, a textura da "pele" externa é densificada e cria um efeito dinâmico sobre a fachada.

O guarda-corpo em grade de aço inoxidável e os pisos de grade de metal trazem leveza e transparência a esta camada exterior, criando inúmeros efeitos de tecelagem. Trata-se de uma estrutura suspensa independente, a fim de evitar pontes térmicas, construída  de acordo com o princípio da utilização de uma  única seção transversal da madeira (4 cm x 12 cm) ao longo, de modo a manter uma aparência muito delgada.

Estrutura Revelada

Fora de uma área técnica, no piso térreo do edifício norte, todo o projeto possui estrutura em madeira, o que é inédito para um complexo de laboratórios com exigências técnicas tão elevadas (em relação a temperatura, poluição, vibrações, etc).

© Inra
© Inra

A madeira é usada em todos os lugares (para fachadas, pisos e divisórias internas). Acima e além de argumentos a favor da eco-construção, que o escritório de arquitetura promove em todos os seus projetos, isso ecoa nos assuntos das pesquisas realizadas dos laboratórios.

O processo de construção escolhido consiste na utilização de elementos de madeira maciça com pequenos vãos e espaçados na modulação 1,20 m x 6 m. É um esquema que usa uma grande quantidade de madeira local selecionado da floresta vizinha, muito pouco convertida e processada.

A construção seca, o uso de uma modulação pequena, o tamanho e os meios de montagem dos componentes "macro" pré-fabricados, e um planta baixa flexível são medidas que garantem a futura adaptabilidade deste edifício de laboratórios, até mesmo a curto prazo. Os espaços de piso são libertos de quaisquer estruturas, e podem ser divididos e modificados como desejado, de acordo com as necessidades.

Considerando este sistema de construção muito aparente, pode-se dizer que este projeto é muito representativo no trabalho do escritório Tectoniques. Pode-se traçar um paralelo, por exemplo, com o Espace Nordique para o Biathlon em Bessans (na área de Savoie, nos Alpes Franceses).

© Inra
© Inra

Experiências com madeira proveniente de um canal curto entre produção, comercialização e distribuição

O programa destaca e promove as qualidades da madeira: 250 m³ de abeto prata e abeto de Douglas foram utilizados para este projeto, apenas na forma de madeira maciça. Ilustra o potencial da floresta da região e a indústria madeireira para atender esta demanda muito específica. A madeira utilizada para fins estruturais foi obtida a partir de florestas das montanhas de Vosges, em que as árvores foram escolhidas, ainda vivas, por suas características dimensionais e mecânicas. A madeira foi serrada a poucos quilômetros do canteiro de obras e fornecida de acordo com um modelo contratual, posto em prática nos últimos anos pela ONF (Escritório Nacional de Florestas).

Isto promove o abeto de Vosges, que mesmo com grandes quantidades nas florestas de Vosges, encontra dificuldades de aceitação no mercado. Foram utilizadas madeiras com a classificação C24, da empresa Sélection Vosges. Decidiu-se usar a madeira serrada tangencialmente, o que exigiu o know-how específico das serrarias da região de Lorraine. A serraria Bastien, em Romoneix, realizou a operação usando toras da floresta  Ormont-Robache e da Défilé de Straiture ravine. Foi estabelecida uma estreita cooperação entre ONF e a serraria, sendo que toda a madeira utilizada para a construção do projeto é rastreável.

Planta Baixa
Planta Baixa

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Laboratórios de Pesquisa INRA / Tectoniques Architects" [INRA Research Laboratories / Tectoniques Architects] 14 Mai 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Delaqua, Victor) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/113635/laboratorios-de-pesquisa-inra-slash-tectoniques-architects> ISSN 0719-8906