1. ArchDaily
  2. Juan Román

Juan Román: O mais recente de arquitetura e notícia

Bienal de Veneza 2016: "Reporting from Chile" (ou, do Chile para o Mundo)

Grupo Talca. Imagem © Laurian Ghinitoiu
Grupo Talca. Imagem © Laurian Ghinitoiu

No início do mês de março, no Palácio de Governo do Chile, foi organizado um evento inédito para a arquitetura chilena: membros do governo, autoridades do governo e a imprensa se reuniram para participar, da primeira conferência de imprensa em espanhol realizada pela Bienal de Veneza.

Neste contexto, um emocionado Alejandro Aravena, curador desta edição da Bienal de Veneza e primeiro sul-americano a desempenhar este papel, apresentava as últimas notícias acerca de "Reporting from the Front", a 15ª Mostra de Arquitetura que abriu suas portas ao público do dia 28 de maio:

Tanto a Bienal, quanto os arquitetos convidados, ou os que estão trabalhando na curadoria, não pretendem outra coisa senão abrir um debate que possibilite que a arquitetura e a cidade melhorem a qualidade de vida, e que os arquitetos possam compartilhar seu conhecimento para alcançar esse objetivo.

Não é a mesma coisa colocar estas questões em nossos espaços comuns de fala e colocar-las no Palácio Presidencial. De alguma forma, este evento transmite a mensagem de que estes temas são importantes. Por isso, muito obrigado pela oportunidade de estar aqui.

A presença da Presidente em um acontecimento como este é um símbolo que consolida um capítulo de avanços e conquistas da arquitetura chilena no mundo. Nas últimas décadas, a arquitetura chilena posicionou-se no mundo como uma das produções mais potentes, levando arquitetos nacionais a receber o reconhecimento que há alguns anos atrás não se podia imaginar.

A Contracorriente / Pavilhão do Chile na XV Bienal de Arquitetura de Veneza

A contracorriente, pavilhão do Chile na Bienal de Veneza 2016, mostra o trabalho de uma geração de jovens que concebe, projeta, gerencia, capta financiamento e constrói pequenas obras de arquitetura para obter seu título profissional de arquiteto. Eles têm em comum pertencerem ao território rural do Vale Central do Chile. Ao terminarem sua formação acadêmica, regressam aos lugares de origem para contribuir com a comunidade e construir arquiteturas que, em seu conjunto, desenham um conjunto de lugares que acolhem a vida e o trabalho de agricultores e suas famílias.

Essas arquiteturas têm sido levantadas com o mínimo, com restos de processos agrícolas e com os materiais que se encontram à mão, aportando valor e inserindo esse território na globalidade, por meio de um relato regional, mas não regionalista. Nesse entorno rural e em uma paisagem em mudança contínua resultante da exploração agrícola e o desenvolvimento urbano, emergem pavilhões, paradores, mirantes, restaurantes e praças, ou simplesmente locais de sombra e encontro, efêmeros ou permanentes, explícitos ou abstratos.

© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian GhinitoiuCortesia de Consejo Nacional de la Cultura y las Artes+ 31

"A Contracorriente": Pavilhão do Chile na Bienal de Veneza 2016

Com curadoria de Juan Román e José Luis Uribe,a representação do Chile na Bienal de Veneza 2016 será a mostra A Contracorriente, que exibirá 15 projetos de estudantes que têm como objetivo transformar a vida cotidiana das pessoas que vivem em regiões rurais do país.

A Contracorriente exibe o trabalho de uma nova geração de arquitetos que conceberam, financiaram, projetaram e construíram pequenos projetos de arquitetura para obterem seus diplomas. Projetos que foram construídos com muitos poucos meios, utilizando os recursos excedentes dos processos agrícolas e materiais locais disponíveis em contextos rurais.