Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Desenho Participativo

Desenho Participativo: O mais recente de arquitetura e notícia

Superando o clichê da "participação"

07:00 - 15 Outubro, 2016
Superando o clichê da "participação", © Wikipedia User: CLTS. Licensed under CC BY 2.0
© Wikipedia User: CLTS. Licensed under CC BY 2.0

Existe o desenho participativo? Ou trata-se simplesmente de uma etiqueta de marketing que os arquitetos e urbanistas utilizam? Está é, talvez, a pergunta central por trás de muitas das intervenções e projetos que vemos nas cidades latino-americanas, mas que não sabemos responder.

Em primeiro lugar, levanta-se a pergunta sobre o que podemos definir como "participação" dentro da atuação urbana encontra-se em constante discussão. O que é o que entendemos por participação? Como se faz? Quais métodos são necessários para que, efetivamente, afirme-se que existiu participação em um determinado projeto? Sobre a linha dessas questões, em Maio deste ano promoveu-se uma discussão chamada "O desenho participativo existe?", onde o diretor da Msc Building and Urban Design in Development da University College of London, Camilo Boano, desenvolveu algumas ideias sobre o tema da participação. Aqui colocam-se algumas reflexões:

Sete lições sobre ganhar confiança da comunidade no desenho participativo

09:00 - 28 Fevereiro, 2016
Sete lições sobre ganhar confiança da comunidade no desenho participativo, Espaços de Paz em Cumaná. Imagem © José Tomás Franco
Espaços de Paz em Cumaná. Imagem © José Tomás Franco

Continuando nossa cobertura de Espaços de Paz 2015 em Venezuela, lhes apresentamos uma série de reflexões sobre os desafios que representa o trabalho com uma comunidade quando falamos de desenho participativo sobretudo quando as gerações mais jovens de arquitetos latino-americanos começam a mostrar interesse e dedicação por esta forma de metodologia.

Durante uma semana, percorremos os projetos em construção do Espaços de Paz em Caracas, Barquisimeto, San Carlos, Cumaná e La Guaira: todos localizados em bairros socialmente frágeis e comunidades desconfiadas de intervenções deste tipo por promessas anteriores jamais cumpridas. Por isso, aproveitamos esta oportunidade para refletir e conversar com arquitetos e vizinhos, tentando responder uma das perguntas fundamentais por trás da fotografia do final feliz: como realmente de ganha a confiança ao trabalhar com comunidades?

Conheças as lições a seguir.

Espaços de Paz em Cumaná. Imagem © José Tomás Franco Espaços de Paz em Cumaná. Imagem © José Tomás Franco Espaços de Paz em Cumaná. Imagem © José Tomás Franco Espaços de Paz em La Guaira. Imagem © Nicolás Valencia M. + 15