1. ArchDaily
  2. Bill De Blasio

Bill De Blasio: O mais recente de arquitetura e notícia

Como cidades mais verdes podem ajudar a criar um futuro equitativo?

Compreender os motivos que engendram desigualdades econômicas e sociais em nossa sociedade é um dos tópicos mais controversos e amplamente debatidos no campo do urbanismo. É evidente que esta é uma questão complexa, onde muitos fatores devem ser considerados—sendo um deles a localização e acessibilidade às áreas verdes em uma cidade. Embora parques urbanos sirvam como espaços de convívio e lazer, construindo comunidades, seus benefícios para a saúde pública nem sempre compensam. Em muitos casos, a instalação de áreas verdes se dá às custas de um amplo processo de gentrificação e expulsão das comunidades mais pobres. Neste contexto, nos cabe pensar em soluções que nos permitam construir cidades melhores, mais verdes e principalmente, mais inclusivas e portanto, menos desiguais.

7 Lições do Novo Guia de Projeto de Habitação Acessível de Nova Iorque

Quando pensamos em projetos de habitação social nos Estados Unidos, muitas vezes pensamos em caixas: grandes edifícios de tijolos, sem muito caráter estético. Mas as implicações dos arranha-céus padronizados e reluzentes podem ser muito mais do que estéticos para as pessoas que vivem lá. O geógrafo Rashad Shabazz, por exemplo, lembra em seu livro Spatializing Blackness, como o projeto habitacional em Chicago, onde cresceu - repleto de grades, vigilância por vídeo e detectores de metal - parecia mais uma prisão do que uma casa. Relatos de isolamento, confinamento e manutenção inadequada são ecoados por residentes de habitações públicas em todo o país.

Mas a habitação pública americana não precisa ser desolada. Um novo conjunto de padrões de projeto da Comissão de projeto Público de Nova Iorque (PDC) - em colaboração com a Federação de Belas Artes de Nova Iorque e o Instituto Americano de Arquitetos de Nova Iorque - espera virar uma nova página na arquitetura habitacional acessível.

Step Up on Fifth, em Santa Mônica, da Brooks + Scarpa, foi identificado pelo relatório como um estudo de caso por suas janelas e portas. Cortesia de Brooks + ScarpaO empreendimento Navy Green no Brooklyn foi um estudo de caso fundamental no relatório. Aqui, a habitação de apoio, projetada por Architecture in Formation e Curtis + Ginsburg. Imagem © Tom Powel ImagingOs apartamentos Tetris em Ljubljana, por OFIS Arhitekti, foram identificados pelo relatório como um estudo de caso por sua concentração. Imagem Cortesia de OFIS ArhitektiCreston Avenue Residence no Bronx. Cortesia de MAP Architects+ 16

Nova Iorque anuncia um ambicioso plano de construir 200 mil habitações a preços acessíveis

Nova Iorque. Imagem © niogaco [Flickr]
Nova Iorque. Imagem © niogaco [Flickr]

O crescimento demográfico de Nova Iorque, a especulação imobiliária num dos mercados mais atrativos do mundo e a enorme concentração milionários estão complicando as coisas para quem efetivamente vive na Big Apple e procura um lugar para morar. "Temos uma crise de acessibilidade habitacional em nossas mãos. Afeta todos: desde a base da pirâmide econômica [...] até a classe média", reconheceu Bill de Blasio, prefeito de Nova Iorque.

Posto isso, já estão sendo divulgados detalhes do mais ambicioso plano de habitação na história dos Estados Unidos: Housing New York, que pretende construir e preservar 200 mil unidades de habitação a preços acessíveis para famílias de baixa e média renda em cinco bairros da cidade nos próximos dez anos.

"Quando fizemos o anúncio as pessoas pensaram que havíamos enlouquecido", comenta Gary Rodney da Corporação de Desenvolvimento Habitacional de Nova Iorque (HDC).

Saiba mais sobre os detalhes desse plano, a seguir.