Tim De Chant

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Podemos parar de desenhar árvores no topo dos arranha-céus?

Peruri 88 / MVDRV. Rendering © RSI-Studio
Peruri 88 / MVDRV. Rendering © RSI-Studio

Tim De Chant é o editor sênior digital de NOVA e editor na NOVA Next. Ele também escreve para Per Square Mile, o blog onde este artigo foi originalmente publicado.

Apenas alguns anos atrás, se alguém quisesse fazer algo mais na moda, colocaria sobre isso um pássaro. Aves estavam em toda parte. Não tenho certeza se o Twitter foi o que começou todo a agitação, mas isso ficou tão cansativo que Portlandia realizou uma sátira chamada: "Ponha um pássaro." ("Que triste sacola de lona. Já sei! Vou colocar um pássaro nela", por exemplo)

Acontece que os arquitetos têm feito a mesma coisa, mas com árvores. Quer fazer um arranha-céu parecer moderno e sustentável? Coloque uma árvore sobre ele. Ou melhor, dezenas. Muitas propostas de arranha-céus de alto conceito são enfeitadas com árvores. No último andar, em terraços, nas brechas e fendas, ou em varandas absurdamente grandes. Basicamente em qualquer lugar horizontal e longe do chão. Apesar de os arquitetos estarem desenhando dezenas, ainda não vi algum destes arranha-céus "verdes" na vida real. (Há uma notável exceção - BioMilano, ainda não concluído) Porém - e um grande porém - se algum destes edifícios for construído, é provável que as árvores estarão sem folhas antes mesmo que o investidor possa dizer que quer o "retorno sobre o investimento". Isso é bastante fora da realidade. Eu entendo porque arquitetos gostam desenhá-las em seus edifícios. Realmente, eu entendo. Mas será que podemos parar?

Descubra por que não é uma boa ideia colocar árvores em arranha-céus, após o intervalo...